O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Aprender as lições de um ano como nenhum outro

Num editorial na UEFA Direct, o Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, destaca as lições aprendidas pela UEFA e pelo futebol europeu durante 12 meses verdadeiramente sem igual, enfatizando o trabalho de equipa, a união e a solidariedade, capazes de ajudar o futebol a superar qualquer obstáculo.

O presidente da UEFA, Aleksander Čeferin
O presidente da UEFA, Aleksander Čeferin

Poucos eventos sublinham a riqueza da diversidade cultural no nosso continente do que as distintas tradições com que cada povo recebe o novo ano – desde dançar a valsa na Áustria a deitar roupas velhas fora em Itália, ou a abrir as torneiras na Turquia, para que a boa sorte possa correr. Porém, não há mais nenhuma tradição de final de ano que una praticamente todos os países da Europa e não só: olhar para os últimos 12 meses em jeito de balanço e fazer planos para o futuro.

O futebol não é excepção, nem mesmo num ano tão tumultuoso como este. Há muitas lições a retirar da forma como os organismos responsáveis, federações nacionais, Ligas, clubes, jogadores e adeptos se mantiveram unidos por entre a pandemia do coronavírus, de forma a adaptarem-se a uma mudança sem precedentes. Três ilações merecem destaque:

A UEFA testou e conseguiu encontrar uma fórmula para que as suas competições, com mais de mil jogos, entre selecções e clubes, pudessem ser retomadas em Agosto.

O Protocolo Para o Regresso ao Jogo, publicado em Julho, estabelecia fortes padrões médicos e operacionais para toda as provas da UEFA. Nenhuma pedra ficou por mexer, de forma a proteger todos os envolvidos nos nossos jogos, dentro e fora de campo.

A popularidade do futebol e o seu alcance conferem-lhe ainda maior responsabilidade social. Em tempos de necessidade, ele tem o poder de apoiar e dar suporte às comunidades.

Federações nacionais, Ligas, clubes e jogadores lançaram inúmeras iniciativas para ajudar as respectivas comunidades locais a lidarem com o confinamento nacional. Ente essas iniciativas houve recolha de fundos para aquisição de equipamento médico, entrega de comida às pessoas mais velhas e vulneráveis, produção de vídeos de treinos sobre como manter a forma em casa, usando o futebol como forma de promover importantes mensagens a nível de saúde.

Ao longo dos últimos nove meses nós superámos uma série de significativos obstáculos. Obstáculos que teriam parecido, cada um deles, insuperáveis em tempos normais. Reescrever por inteiro o calendário de 2020/21 da UEFA, reformular e concluir quatro competições em quatro semanas em Agosto, preparar um regresso limitado de adeptos em segurança para o jogo da Supertaça Europeia em Budapeste e adiar o EURO 2020 por um ano – alteração que, entre outras coisas, permitiu que as temporadas internas de 2019/20 fossem concluídas na íntegra quando o futebol voltou, no Verão.

Em 2020, aprendemos que trabalhando juntos num espírito de compromisso e compreensão, actuando como uma equipa e lutando pelos mesmos objectivos, podemos superar qualquer obstáculo. É uma lição que nos será muito útil no futuro.