Presidente da UEFA homenageia Kobe Bryant pela sua posição anti-racista

A lenda do basquetebol era fã de futebol de longa data e destacou durante toda a sua vida a necessidade da educação na luta contra o racismo.

Presidente da UEFA homenageia Kobe Bryant pela sua posição anti-racista
Presidente da UEFA homenageia Kobe Bryant pela sua posição anti-racista ©Getty Images

Enquanto o mundo se depara com a trágica morte da lenda do basquetebol Kobe Bryant, num acidente de helicóptero ocorrido no domingo, o Presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, descreveu o jogador, adepto de futebol desde sempre, como um exemplo da maneira como lidou com o racismo no desporto.

"Não conhecia o Bryant pessoalmente", disse Čeferin, "mas sempre fiquei impressionado com a maneira como ele nunca vacilou em assumir uma posição firme contra o racismo. Isso tornou-o num verdadeiro modelo para outras estrelas do desporto".

"É impossível compreender a tristeza que sua família está a sofrer neste momento", acrescentou Čeferin. "O mundo do desporto está unido no apoio".

Educação para combater o racismo

Kobe Bryant quando jogava nos Lakers
Kobe Bryant quando jogava nos Lakers©Getty Images

Aleksander Čeferin destacou os comentários de Bryant, a 16 de Janeiro, sobre a recente série de incidentes racistas no futebol, particularmente em Itália  onde o astro dos LA Lakers viveu dos 6 aos 13 anos. Numa entrevista realizada pela CNN durante um evento da Major League Soccer, na Califórnia, Bryant sublinhou o papel crítico da educação no combate ao racismo entre os adeptos de futebol.

"Tem a ver sempre com a educação e a compreensão de que o racismo é algo que faz parte da nossa cultura há algum tempo", disse Bryant. "Mesmo agora, tendo percorrido um longo caminho, ainda há muito para ser feito e penso que a educação é sempre a coisa mais importante."

Primeira experiência de Bryant no futebol

Fã da Serie A e da grande equipa do Milan no final da década de 1980, na qual jogavam Marco van Basten, Ruud Gullit e Frank Rijkaard e que introduziram Bryant na modalidade, o facto é que ele também viveu o seu lado mais sombrio. As lições aprendidas moldaram a sua firmeza numa posição anti-racista ao longo de uma carreira de 20 anos na NBA.

"Enquanto crescia em Itália, obviamente testemunhei-o em primeira mão em alguns jogos de futebol. Os meus pais ensinaram-me e educaram-me sobre como lidar com esse tipo de situção", afirmou Bryant na mesma entrevista à CNN.

Elogios das estrelas do futebol

A estreita afinidade de Kobe Bryant com o mundo do futebol ficou evidente no coro de homenagens de clubes e estrelas após o anúncio da sua morte, no domingo.

Bryant com a camisola do Barcelona em 2015
Bryant com a camisola do Barcelona em 2015©Getty Images

O FC Barcelona chamou Bryant de "um desportista exemplar", enquanto Lionel Messi escreveu no Instagram: "Foi um prazer conhecê-lo e compartilhar bons momentos juntos. Perdemos um génio como nenhum outro."

After his second goal for Paris-Saint German in a Ligue 1 match on Sunday night, Brazilian star Neymar flashed the number 24 with his fingers in memory of his friend's Lakers' shirt number. United States football star, Megan Rapinoe tweeted: "Heart going out to the Bryant family right now. RIP."

Após marcar o seu segundo golo pelo Paris-Saint Germain, em jogo da Ligue 1 realizado no domingo à noite, o astro brasileiro Neymar exibiu o número 24 com os dedos em memória ao número da camisola usada por Bryant nos Lakers. A estrela de futebol dos Estados Unidos, Megan Rapinoe, escreveu no Twitter: "O meu coração está agora com a família Bryant. RIP."

Kobe Bryant, adepto "rossoneri"

Num tributo que teria tocado o próprio Bryant, o AC Milan também elogiou o seu célebre adepto: "Não temos palavras para expressar o quão chocados estamos ao ouvir a trágica morte de um dos maiores desportistas de todos os tempos e adepto dos 'rossoneri', Kobe Bryant. Todos os nossos pensamentos estão com as famílias das pessoas afectadas por este trágico acidente. Iremos sentir a sua falta para sempre, Kobe."