O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Centenários espanhóis homenageados em Madrid

Andoni Zubizarreta, Iker Casillas e Xavi Hernández receberam a medalha e o boné comemorativos da UEFA numa cerimónia que decorreu na sede da Federação Espanhola de Futebol.

Andoni Zubizarreta, Iker Casillas e Xavi Hernández (à direita) foram homenageados pela UEFA
Andoni Zubizarreta, Iker Casillas e Xavi Hernández (à direita) foram homenageados pela UEFA ©RFEF

A sede da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), que está situada na Ciudad de Fútbol, em Madrid, foi palco, esta quinta-feira, de mais uma comemoração história do futebol do país ibérico.

Três dos quatro jogadores que atingiram a centena de internacionalizações ao serviço de Espanha foram homenageados pela UEFA na sala Luis Aragonés – que recebeu o nome do seleccionador que conduziu o país ao triunfo no UEFA EURO 2008. Andoni Zubizarreta, Iker Casillas e Xavi Hernández receberam um boné e uma medalha comemorativos. O único ausente foi o avançado Raúl González, que tinha compromissos ao serviço do FC Schalke 04.

A prioridade foi dada ao jogador mais experiente, Zubizarreta, que juntou 126 internacionalizações e foi o primeiro a receber o boné comemorativo das mãos de José Luis Pérez-Paya, antigo presidente da RFEF. "O boné é muito bonito", afirmou o antigo guarda-redes de 50 anos, que representou Athletic Club, FC Barcelona e Valencia CF. "Quero agradecer à UEFA por este prémio, é uma grande honra."

O actual titular da baliza, Casillas, que tem 125 internacionalizações, foi o segundo a subir ao pódio, com o capitão de Espanha e do Real Madrid CF a ser homenageado por José Luis Millán Roca, outro antigo presidente da RFEF. "É sempre muito bom ser alvo de uma homenagem como esta", afirmou o espanhol de 30 anos. "É nestes momentos que me lembro de todos os meus colegas de equipa e de todas as pessoas que me ajudaram."

Juan Padrón, vice-presidente da RFEF, entregou o boné comemorativo a Xavi, com o médio de 31 anos do Barcelona, que representou Espanha em 105 ocasiões, a afirmar: "Este prémio é um belo reconhecimento e enche-me de orgulho. Quando olho para trás, só tenho recordações fantásticas."

Depois de os três jogadores terem recebido os bonés, o presidente da RFEF, Ángel María Villar Llona, que também é terceiro vice-presidente da UEFA e presidente da Comissão de Arbitragem da UEFA, entregou as medalhas comemorativas a Zubizarreta, Casillas e Xavi.

"Quero felicitar estes três jogadores, mas também o Raúl, que enviou um pedido de desculpas por não poder estar presente", explicou Villar Llona. "Estes prémios foram um ideia do presidente da UEFA, Michel Platini, que é um homem do futebol e que se preocupa com os jogadores."

A RFEF aproveitou a ocasião para apresentar cinco quadros que recordam os cinco golos mais importantes da história da selecção. O artista responsável, Andrés Sánchez, explicou: "O processo de pintura destes momentos foi muito complicado, porque queria que fossem o mais realistas possíveis."

Os golos retratados são os de Telmo Zarra, no Campeonato do Mundo de 1950; o remate de Marcelino que valeu o triunfo na final do Campeonato da Europa de 1964; o golo de Kiko Narváez que valeu o ouro nos Jogos Olímpicos de 1992; o golo decisivo de Fernando Torres na final do UEFA EURO 2008 e o remate de Andrés Iniesta que valeu o triunfo no prolongamento na final do Campeonato do Mundo de 2010.