Agentes de integridade ouvem mensagem da UEFA

Agentes de integridade da UEFA de vários países estiveram reunidos em Skopje para falarem do seu contributo para a empenhada luta do organismo contra a corrupção e viciação de resultados.

Participantes do seminário realizado em Skopje
Participantes do seminário realizado em Skopje ©FFM

A determinação da UEFA em proteger o futebol do malefício da viciação de resultados e em punir aqueles que forem considerados culpados de tal crime foi uma vez mais sublinhado com a realização do primeiro seminário regional de Agentes de Integridade, organizado em Skopje pelo organismo máximo do futebol europeu.

Agentes de integridade da Albânia, Bulgária, Croácia, Hungria, ARJ Macedónia, Montenegro, Roménia, Sérvia e Eslovénia juntaram-se à UEFA na capital macedónia para olharem para os avanços registados na luta contra a viciação de resultados, examinarem o trabalho levado a cabo em diversos países e olharem para estratégias que permitam dar, no futuro, seguimento às campanhas desenvolvidas nesta área.

No seguimento de uma decisão tomada pelo Comité Executivo da UEFA há dois anos, a UEFA estabeleceu uma rede de agentes de integridade, cuja função passa por estabelecer a ligação entre as autoridades do futebol e as autoridades legais no que à viciação de resultados diz respeito. Os agentes de integridade trocam informação e conhecimentos com a administração da UEFA, monitorizam procedimentos disciplinares e coordenam acções relevantes na área, para além de desenvolverem programas de formação para jogadores, árbitros e treinadores.

Graham Peaker, coordenador dos serviços de inteligência da UEFA, explicou aos delegados presentes os valores a seguir. "A UEFA tem a obrigação de proteger o futebol da viciação de resultados", salientou. "A política é de tolerância zero. Todas as partidas de futebol devem ser disputadas sob o espírito do respeito e da justiça, com os resultados a serem determinados apenas e exclusivamente a partir dos méritos das equipas envolvidas. O resultado de um jogo deve permanecer incerto até ao seu final."

Peaker acrescentou que os indivíduos envolvidos na viciação de resultados vêm, sobretudo, do mundo do crime organizado e que o seu único interesse é financeiro. Depois, deu exemplos de casos de viciação de resultados investigados pela UEFA, com os jogadores e os árbitros considerados culpados a serem punidos com a exclusão de quaisquer actividades relacionadas com o futebol. Peaker lembrou que a UEFA já baniu árbitros e jogadores e que excluiu também clubes das competições europeias.

Os agentes de integridade presentes em Skopje ouviram também que a UEFA estava a realizar apresentações de consciencialização sobre a questão da viciação de resultados junto de jogadores, árbitros, treinadores e administradores, com o intuito de os alertar dos potenciais perigos caso se envolvam nessa actividade. A UEFA encontra-se, igualmente, a trabalhar de perto com as autoridades estatais e lançou uma linha de apoio para permitir que as pessoas a contactem caso tenham conhecimento de qualquer acção relacionada com a viciação de resultados. "Se jogadores, treinadores ou qualquer outro indivíduo envolvido na organização de um jogo for considerado pela UEFA como culpado de viciar ou tentar viciar resultados, receberá de imediato um cartão vermelho para toda a vida", frisou Peaker. Há, apenas, uma simples mensagem de "três Rs" para jogadores, árbitros, treinadores e dirigentes: "Reconhecer o que está a acontecer; Rejeitar, dizendo não; e Reportar qualquer tipo de abordagem."

Urs Kluser, agente de integridade da UEFA, reforçou: "Não podemos deixar que os viciadores de resultados passem impunes." Elogiou, de seguida, os agentes de integridade das várias federações pela elevada qualidade do seu trabalho e por terem conseguido estabelecer relações fortes com as respectivas autoridades estatais. "Precisamos que as autoridades estejam, também elas, envolvidas na luta contra este problema", reflectiu Kluser, antes de encorajar os agentes de integridade a prepararem "dossiers" exaustivos que permitam, depois, uma actuação capaz por parte da polícia e dos delegados do ministério público. Durante o seminário, várias das federações nacionais presentes na assistência destacaram os seus trabalhos na luta contra a viciação de resultados e o evento resultou, assim, num preciso meio para a troca de ideias e conselhos, tanto para o presente como para o futuro.

Kluser transmitiu uma mensagem deixada pelo Presidente da UEFA, Michel Platini, que lembrou que a viciação de resultados representa a maior ameaça ao futebol actual. Destacou que o futebol não se pode dar ao luxo de ignorar este problema e que serão feitos todos os esforços para elevar a consciencialização a todos os níveis: federações, clubes, jogadores e público. "Podemos, até, actuar como um dissuasor para aqueles que possam já estar envolvidos", concluiu.

A UEFA disponibiliza, anualmente, fundos a todas a federações, na tentativa de ajudar a financiar a posição de agentes de integridade. Os agentes de integridade da UEFA trabalham lado a lado com os seus homólogos das federações nacionais, apoiando a operação da rede e monitorizando a recolha e troca de informações.