Distribuição das receitas da Champions League

Os clubes presentes na UEFA Champions League 2011/12 partilharam entre si um total de 754,1 milhões de euros, referentes às receitas televisivas e ao seu desempenho desportivo na prova.

A final de 2012 teve lugar em Munique
A final de 2012 teve lugar em Munique ©Getty Images

Os clubes que marcaram presença na UEFA Champions League da última temporada receberam um total de 754,1 milhões de euros, com os dois clubes que disputaram a final de Munique, Chelsea FC e FC Bayern München, a receberem as maiores quantias.

A distribuição financeira de receitas a partir da fase de grupos de 2011/12 pode ser consultada aqui

Os pagamentos de solidariedade efectuados às federações nacionais dos clubes envolvidos nas pré-eliminatórias das competições de clubes da UEFA de 2011/12 pode ser encontrados aqui

O Chelsea FC, que conquistou a prova depois de um triunfo no desempate por penalties na Fußball Arena München, em Maio, recebeu 59,935 milhões de euros em pagamentos da UEFA. Este valor é composto por 29,9 milhões de euros em bónus de participação e desempenho da equipa desde a fase de grupos e por 30,035 milhões provenientes do valor do mercado de televisão. O Bayern, por seu lado, recebeu um total de 41,73 milhões de euros: 26,9 milhões pela participação e performance e 14,83 milhões oriundos dos direitos de transmissão televisiva.

Para além disso, o Chelsea recebeu ainda nove milhões de euros pela sua vitória na final, enquanto o Bayern recebeu 5,6 milhões por ter sido finalista. Os outros clubes a receberem maiores quantias pela presença na UEFA Champions League 2011/12 foram FC Barcelona (40,550 milhões de euros), AC Milan (39,864 milhões de euros), Real Madrid CF (€38,434 milhões de euros), Manchester United FC (35,182 milhões de euros) e FC Internazionale Milano (31,569 milhões de euros).

O total de 754,1 milhões de euros em prémios distribuído pelos 32 clubes participantes desde a fase de grupos consiste em 413 milhões de euros de montantes fixos e 341.100 milhões de euros oriundos do mercado de transmissões televisivas. Todos os clubes tiveram direito a um mínimo de 7,2 milhões de euros, de acordo com o sistema de distribuição, relativo a um bónus de participação de 3,9 milhões de euros e 3,3 milhões do bónus pelos jogos da fase de grupos, 550 mil euros por cada um dos seis encontros.

Adicionalmente, foram ainda pagos bónus de desempenho na fase de grupos: os clubes participantes receberam €800.000 por vitória e €400.000 por empate, com o Real Madrid a ser o único clube a conseguir somar o valor máximo de 4,8 milhões de euros nessa fase da prova. Os 16 clubes que passaram aos oitavos-de-final receberam, cada um, um valor adicional de três milhões de euros, enquanto os clubes que atingiram os quartos-de-final receberam mais 3,3 milhões de euros cada e cada um dos quatro semifinalistas embolsaram um bónus de 4,2 milhões de euros.

O dinheiro proveniente dos direitos de transmissão televisivos foi, entre outros factores, distribuído a cada clube de acordo com o valor proporcional do respectivo mercado de televião, pelo que os valores variaram consoante o país (ou federação nacional).

Os clubes que participaram nas pré-eliminatórias receberam, igualmente, pagamentos de solidariedade. Cada campeão nacional que não se conseguiu qualificar para a fase de grupos recebeu €200.000, enquanto todos os clubes que foram sendo eliminados ao longo das três pré-eliminatórias de qualificação receberam €130.000 por ronda disputada, num máximo de €390.000. Cada uma das 20 equipas envolvidas no "play-off" recebeu o montante fixo de 2,1 milhões de euros, independentemente do desfecho dos respectivos embates.