Taça dos Clubes Campeões Europeus de parabéns

Passaram 60 anos sobre o arranque da edição inaugural da Taça dos Campeões, com a  recepção do Sporting ao Partizan. Olhamos para como a UEFA se preparou para esse dia de 4 de Setembro de 1955.

O primeiro presidente da UEFA, Ebbe Schwartz (ao centro) e o comité organizador da Taça dos Campeões numa reunião após o nascimento da prova.
O primeiro presidente da UEFA, Ebbe Schwartz (ao centro) e o comité organizador da Taça dos Campeões numa reunião após o nascimento da prova. ©UEFA archives

O Comité Executivo da UEFA tomou uma importante decisão na sua reunião em Paris, a 21 de Junho de 1955, quando ficou assente que a UEFA – fundada um ano antes – assumiria a organização de uma nova competição europeia de clubes, cuja nome seria Taça dos Clubes Campeões Europeus.

O projecto inicial para uma competição do género surgira no Inverno anterior do diário francês L’Equipe, sugestão que contou na Primavera com o apoio de um grupo de clubes europeus. Com a UEFA e a FIFA envolvidas nas conversações, o organismo que superintende o futebol a nível mundial autorizou em Maio de 1955 a UEFA a assumir a organização da nova competição.

Os regulamentos originais delineados pelo jornalista do L’Equipe, Jacques Ferran, acabaram aprovados com pequenas alterações. Posto isto, a UEFA convidou as federações a participarem através dos seus clubes campeões nacionais, dando também prioridade aos clubes inicialmente convidados a participar pelo jornal francês – sendo que alguns deles, de facto, não eram os campeões de então – e, por último, um comité organizador da UEFA sucedeu ao original criado pelo L’Equipe e pelos clubes.

A etapa seguinte do lançamento da recém-criada competição deu-se quando o Comité de Emergência da UEFA, que lidava com assuntos urgentes entre as reuniões do Comité Executivo da UEFA, reuniu em Paris, a 17 de Julho de 1955. O painel identificou os clubes originalmente envolvidos no projecto de criação de uma competição europeia de clubes, que já tinha sido oficialmente proposto pelas respectivas federações sob convite da UEFA; aguardando pela confirmação dos outros; e tomou nota dos últimos pedidos de participação oriundos de toda a Europa.

O painel solicitou aos clubes para que contactassem entre si com urgência a fim de serem marcadas as datas dos jogos das duas mãos, que teriam de ocorrer até 1 de Novembro de 1955, devendo depois comunicar à UEFA até 10 de Agosto de 1955 por forma a poder ser concluída a lista dos jogos.

Até 14 de Agosto de 1922, data em que o Comité Executivo da UEFA reuniu em Londres, havia uma série de ausências notáveis na primeira eliminatória. Apesar do campeão inglês, Chelsea FC, ter sido incluído na lista dos jogos, e agendado para defrontar os suecos do Djurgårdens IF, os londrinos acabariam por não integrar a competição inaugural – com as autoridades do futebol inglês a manifestarem preocupação, em particular, por causa do volume de jogos.

Uma equipa que esteve na primeira prova foi o 1. FC Saarbrücken que, por uma única vez, representou o protectorado francês de Saarland, que havia sido separado da Alemanha no pós-guerra.

O alinhamento final da primeira eliminatória ficou completo após várias confirmações, saídas e substituições terem ocorrido: AGF Aarhus (Dinamarca), RSC Anderlecht (Bélgica), Djurgårdens IF (Suécia), PSV Eindhoven (Holanda), Gwardia Warszawa (Polónia), Hibernian FC (Escócia), AC Milan (Itália), MTK Budapest (Hungria, então denominado de Vörös Lobogó SE), FK Partizan (Jugoslávia), SK Rapid Wien (Áustria), Real Madrid CF (Espanha), Sporting CP (Portugal), SC Rot-Weiss Essen (Alemanha), 1. FC Saarbrücken (Saarland), Servette FC (Suíça) e Stade de Reims (França). A UEFA pôde então concluir a lista de jogos, fazendo ajustamentos em função da desistência do Chelsea e de uma série de pequenas alterações nos participantes a nível nacional.

Por consideração da UEFA, cada clube ficaria com a receita dos jogos em casa e suportava os custos da organização, bem como dos árbitros - viagem e alojamento e um subsídio diário de 25 francos suíços. Aos clubes foi também lembrado que deviam pagar a sua taxa de participação de 100 francos suíços à UEFA o mais rapidamente possível.

Com tudo preparado para o pontapé de saída da primeira Taça dos Clubes Campeões Europeus, a prova arrancou 4 de Setembro 1955 - um domingo. O Sporting Clube de Portugal defrontou então o FK Partizan de Belgrado, no Estádio Nacional, em Lisboa.