Portugal e Benfica de luto por Coluna

Mário Coluna, antigo capitão do Benfica e da selecção de Portugal, faleceu esta terça-feira, aos 78 anos de idade, vítima de uma infecção pulmonar grave.

Mário Coluna antes da final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1968
Mário Coluna antes da final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1968 ©Getty Images

Mário Coluna, antigo capitão do SL Benfica e da selecção de Portugal, faleceu aos 78 anos de idade, vítima de uma infecção pulmonar grave.

Mário Esteves Coluna nasceu a 6 de Agosto de 1935, em Inhaca, Moçambique, então colónia portuguesa. Após começar a sua carreira no Desportivo de Lourenço Marques, chegou ao Benfica em 1954 e realizou um total de 677 jogos pelo clube, que capitaneou em 328 ocasiões e do qual acabou por se tornar numa autêntica lenda, ficando conhecido entre os adeptos como "Monstro Sagrado".

Ao longo das 17 temporadas em que envergou a camisola das "águias", Coluna conquistou duas Taças dos Clubes Campeões Europeus (1960/61 e 1961/62), dez títulos de campeão nacional e seis Taças de Portugal. Deixou o Benfica em 1970, para rumar ao Olympique Lyonnais, antes de regressar a Portugal para terminar a carreira de jogador ao serviço do Sport Clube Estrela de Portalegre, em 1972.

"Coluna ganhou em vida a admiração daqueles que tiveram o privilégio de o ver jogar, mas ganhou igualmente o respeito e o reconhecimento de todos quantos, não tendo tido a oportunidade de ver o seu futebol, sabem por relatos e testemunhos que ele foi dos maiores talentos da sua geração", pode ler-se numa mensagem deixada pelo presidente do Benfica no "site" oficial do clube sobre o antigo capitão, "alguém cujo percurso de vida é único e cujo legado irá perdurar muito para além da sua morte".

Ao serviço da selecção principal de Portugal, que representou em 57 ocasiões, marcando oito golos, Coluna viveu o seu melhor momento no Campeonato do Mundo de 1966, em Inglaterra, capitaneando a turma das "quinas" rumo ao terceiro lugar. Depois de deixar os relvados foi presidente da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) e desempenhou ainda as funções de ministro do desporto de Moçambique.

Faleceu em Maputo, Moçambique, esta terça-feira, menos de dois meses após a morte de Eusébio da Silva Ferreira, seu antigo colega de equipa no Benfica e na selecção nacional.