Champions League: distribuição das receitas de 2013/14

A UEFA revelou a distribuição de receitas para a UEFA Champions League de 2013/14 e SuperTaça Europeia, de um total estimado em cerca de 1,34 mil milhões de euros.

O troféu da UEFA Champions League
O troféu da UEFA Champions League ©AFP/Getty Images

A UEFA apresentou o seu sistema de distribuição de receitas da UEFA Champions League para a época 2013/14. Estima-se que a receita comercial bruta da UEFA Champions League e da SuperTaça Europeia seja cerca de 1,34 mil milhões de euros.

Cerca de 75 por cento da receita total dos direitos media e contratos comerciais concluídos pela UEFA, até um máximo de 530 milhões de euros, são destinados aos clubes, enquanto os restantes 25 por cento estão reservados ao futebol europeu, permanecendo na posse da UEFA para cobrirem custos organizacionais e administrativos, bem como pagamentos de solidariedade a federações, clubes e Ligas.

Um total de 82 por cento de qualquer receita recebida do mesmo fluxo, para além dos 530 milhões, também terá como destino os clubes, enquanto os restantes 18 por cento serão alocados ao futebol europeu, permanecendo com a UEFA para os propósitos acima listados.

Por outro lado, uma contribuição de 40 milhões será efectuada a partir da quota de clubes da UEFA Champions League para a quota de clubes da UEFA Europa League, à semelhança do que aconteceu em 2012/13. Para além disso, três milhões provenientes da quota de clubes serão alocados para subsidiar os montantes de solidariedade para as equipas eliminadas na fase de qualificação da UEFA Champions League e UEFA Europa League desta temporada.

Da receita comercial bruta estimada, 55 milhões serão atribuídos exclusivamente ao "play-off", como aconteceu em 2012/13. Cada um dos 20 clubes participantes nesta fase vai receber uma quantia fixa de 2,1 milhões. Após esta dedução, o montante bruto disponível para a UEFA Champions League e a SuperTaça Europeia ascende a 1,285 mil milhões de euros.

O montante líquido disponível para os clubes participantes será dividido em dois – 500,7 milhões em pagamentos fixos (prémios destinados à participação na fase de grupos, desempenho e apuramentos) e 409,6 milhões em pagamentos variáveis (receitas do mercado televisivo). A quantia oriunda do mercado televisivo será distribuída de acordo com o valor proporcional de cada um, representado pelos clubes que participarem na UEFA Champions League (da fase de grupos em diante), e será dividida entre as equipas participantes de um determinado país.

Os 32 clubes que participarem na fase de grupos da edição 2013/14 da UEFA Champions League podem antecipar um mínimo de 8,6 milhões. A equipa que se sagrar campeã da UEFA Champions League esta época pode receber 37.4 milhões, sem contar com a quota do mercado televisivo.

Cada uma das 32 equipas envolvidas na fase de grupos receberá um valor base de 8,6 milhões de euros. Os bónus de desempenho também contemplam um milhão por vitória e 500.000 euros por empate na fase de grupos. As equipas que participarem nos oitavos-de-final podem esperar 3,5 milhões, enquanto os oito apurados para os quartos-de-final recebem 3,9 milhões, cabendo aos quatro semifinalistas 4,9 milhões. O vencedor da UEFA Champions League receberá 10,5 milhões, enquanto o finalista vencido tem direito a 6.5 milhões.

Cada campeão nacional que não se apurar para a fase de grupos da UEFA Champions League receberá 200.000 euros. Para além disso, cada clube que participar na primeira pré-eliminatória da competição receberá 150.000 euros se não atingir a fase de grupos, enquanto os clubes que se ficarem pela segunda pré-eliminatória recebem 175.000 euros. Por fim, os clubes eliminados na terceira pré-eliminatória recebem 200.000 euros.

Entretanto, o vencedor da SuperTaça Europeia de 2013, a ter lugar em Praga, no final deste mês, recebe três milhões, cabendo 2,2 milhões ao finalista vencido.