Administração

A administração da UEFA conduz os negócios da UEFA e tem sede na Casa do Futebol Europeu, em Nyon, Suíça, desde 1999.

Sob a direcção do Secretário-Geral, Theodore Theodoridis, a administração da UEFA conduz os negócios da UEFA.

As suas funções incluem a implementação das decisões tomadas por cada Congresso da UEFA, pelo Comité Executivo da UEFA e pelo Presidente da UEFA; a preparação de congressos e conferências, assim como das reuniões do Comité Executivo da UEFA e dos outros comités; faz actas dos congressos e conferências, bem como de reuniões do Comité Executivo da UEFA e outros comités; executa a gestão operacional da UEFA; guarda os registos da UEFA e faz o trabalho de relações públicas.

A administração da UEFA tem sede na Casa do Futebol Europeu, em Nyon, na Suíça, que foi inaugurada a 22 de Setembro de 1999 e aberta oficialmente para funcionamento a 5 de Outubro de 1999. Antes disso, a UEFA conheceu diversas casas: Paris até 1959, Berna, capital federal da Suíça, até 1995, com duas passagens prévias pela cidade, em 1962 e 1974 e uns escritórios provisórios em Nyon entre 1995 e Setembro de 1999.

No final de Dezembro de 2018, 622 colaboradores, permanentes e com contrato a termo – incluindo administradores, advogados, secretários, treinadores, especialistas de media e de tecnologias de informação e tradutores – trabalhavam no campus administrativo da UEFA.

O edifício La Clairière foi inaugurado em 2010
O edifício La Clairière foi inaugurado em 2010©UEFA.com

Em Outubro de 2010, foi inaugurado um novo edifício administrativo da UEFA, em Nyon. O edifício La Clairière está localizado no lado oposto à Casa do Futebol Europeu e permitiu à UEFA juntar alguns dos seus funcionários que estavam espalhados por sítios diferentes. De forma circular, o edifício de quatro pisos vai de encontro aos mais elevados padrões ecológicos e ambientais, tendo a primeira pedra da estrutura sido colocada em Janeiro de 2009.

Um terceiro edifício da UEFA, Bois-Bougy, igualmente construído com as questões ambientais em mente, abriu portas em Março de 2012.

Em Abril de 2010, a UEFA sublinhou o seu empenho para com a cidade que a acolhe, Nyon, e o desenvolvimento do futebol europeu ao assumir a gestão do Centro Desportivo Colovray, situado em frente à sede da UEFA. O estádio inclui um relvado principal – que tem sido utilizado para treinos por clubes e selecções nacionais de renome –, uma pista de atletismo e um restaurante.

A UEFA utiliza o complexo Colovray para os seus próprios eventos e também aí fixou o Centro de Excelência de Arbitragem (CORE) para jovens árbitros.

Secretário-Geral da UEFA: Theodore Theodoridis

Nacionalidade: Grega
Data de nascimento: 1 de Agosto de 1965
Cargo actual na UEFA: Secretário-Geral 

Theodore Theodoridis, Secretário Geral da UEFA
Theodore Theodoridis, Secretário Geral da UEFA©UEFA.com

• Nascido em Atenas, Theodore Theodoridis integrou a UEFA em Janeiro de 2008 como director da divisão das selecções nacionais, sendo a sua principal missão a de apoiar as 55 federações-membro da UEFA no desenvolvimento geral do futebol, numa perspectiva estratégica e operacional.

• Theodoridis, casado e pai de dois filhos, foi eleito Secretário Geral Adjunto da UEFA em Outubro de 2010. "Toda a minha carreira tem decorrido no futebol", disse, "e não há um dia que passe em que não reconheça esse facto como um grande privilégio. Para mim é um jogo empolgante, repleto de surpresas no último minuto, capacidades espectaculares e intensa competição."

• Antes de integrar a UEFA, Theodoridis foi membro da Direcção da Federação Helénica de Futebol (EPO), na Grécia, e foi responsável das relações internacionais da federação até Dezembro de 2007. Durante este período desempenhou um papel fulcral no desenvolvimento do futebol do país, que culminou com o triunfo da Grécia no UEFA EURO 2004.

• Theodoridis trabalhou no Comité de Competições de Clubes da UEFA (1998-2000) e foi terceiro vice-presidente do mesmo comité (2007-09). Foi também membro do Comité de Estádios e Segurança da UEFA (2000-04), antes de se tornar vice-presidente deste comité (2004-07).

Cargos anteriores na UEFA
Comité de Competições de Clubes da UEFA (membro 1998-2000, terceiro vice-presidente 2007-09)
Comité de Estádios e Segurança da UEFA (membro 2000-04, vice-presidente 2004-07)
Director, Divisão das Selecções Nacionais (2008-2016)
Secretário Geral Adjunto (2010-2016)
Secretário Geral interino (Março-Setembro de 2016)

Finanças

A Divisão de Finanças da UEFA é responsável pela gestão da contabilidade geral, tesouraria, controlo e relatórios financeiros da UEFA e das suas empresas afiliadas. Dá valor à forma eficiente como trabalha e presta apoio efectivo a outros departamentos em assuntos financeiros de forma proactiva.

A Divisão de Finanças desempenha papel decisivo na salvaguarda dos activos da UEFA, de modo a minimizar o risco de perda financeira. Dos seus deveres também fazem parte a gestão do controlo interno para mitigar riscos; criar e apresentar relatórios financeiros relevantes e imparciais a elementos internos e externos, tais como as federações. As ferramentas tecnológicas de análise financeira fornecem informação de elevada qualidade que apoiam as iniciativas de gestão estratégica da UEFA, tais como análises financeiras estratégicas, orçamentos e previsões.

Relatórios
Relatório Financeiro da UEFA 2016/17
Relatório Financeiro da UEFA 2016/17 - anexo
Relatório Financeiro da UEFA 2015/16
Relatório Financeiro da UEFA 2015/16 - anexo
Relatório Financeiro da UEFA 2014/15
Relatório Financeiro da UEFA 2014/15 - anexo
Relatório Financeiro da UEFA 2013/14
Relatório Financeiro da UEFA 2013/14- anexo
Relatório Financeiro da UEFA 2012/13
Relatório Financeiro da UEFA 2012/13- anexo

Competições

Ao longo de seis décadas as competições da UEFA encantaram espectadores, produziram jogos e golos memoráveis, sublinharam o brilho e o talento de muitos futebolistas, homens e mulheres, e provaram vezes sem conta as razões pelas quais o futebol é o desporto mais popular do mundo.

Portugal comemora o triunfo no UEFA EURO 2016
Portugal comemora o triunfo no UEFA EURO 2016©Getty Images

A UEFA organiza 18 competições de futebol, desde os torneios de elite como o Campeonato da Europa ou as melhores competições de clubes, passando pelas provas destinadas aos jogadores jovens e amadores, sem esquecer as competições de futsal e os promissores torneios para mulheres, das mais velhas às mais jovens.

O Campeonato da Europa está entre os maiores espectáculos desportivos a nível mundial, lado a lado com o Campeonato do Mundo e os Jogos Olímpicos. Na fase final, disputada de quatro em quatro anos, e a partir de 2016 com 24 equipas, podem ver-se muitos dos melhores jogadores da Europa, numa celebração brilhante do futebol de selecções e das entidades nacionais deste desporto.

Uma nova competição de selecções vai arrancar em Setembro de 2018. A UEFA Nations League reflecte o desejo da UEFA e das suas 55 federações membro em melhorar a qualidade e notoriedade das competições de selecções em toda a Europa.

As duas principais competições de clubes da UEFA, a UEFA Champions League e a UEFA Europa League, não são apenas irresistíveis para os adeptos, são igualmente muito atractivas em termos comerciais. O troféu da Champions League é o que todos os melhores jogadores mundiais querem conquistar, já que a competição se tornou no espectáculo mais prestigiado a nível global. A Europa League, por sua vez, criou impacto em poucos anos, consequência da sua diversidade e disseminação geográfica dos clubes.

A Supertaça Europeia coloca em confronto os vencedores das duas principais competições de clubes da época anterior, num duelo que coroa o início da nova temporada todos os anos.

Os troféus da UEFA Europa League, a SuperTaça Europeia e o troféu da UEFA Champions League
Os troféus da UEFA Europa League, a SuperTaça Europeia e o troféu da UEFA Champions League©Getty Images

Muitos dos jogadores das selecções que competem no Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA já tiveram a oportunidade de ganhar experiência nas competições de clubes da UEFA, e alguns deles acabam mesmo por ficar na iminência de serem incluídos nas selecções seniores. Esta competição ganhou lugar nas preferências dos adeptos por mérito próprio.

As estrelas do futuro estão prontas para serem descobertas nas competições masculinas destinadas aos escalões de formação, tais como o Campeonato da Europa de Sub-19 da UEFA e o Campeonato da Europa de Sub-17 da UEFA. A competição de Sub-19 já revelou vários jogadores que passaram a figurar sob as luzes da ribalta nos anos seguintes, enquanto o evento de Sub-17 oferece aos espectadores uma primeira exibição de talento por parte dos jovens futebolistas.

A UEFA ofereceu também aos jovens jogadores uma nova iniciativa que lhes permite brilhar, através do lançamento da UEFA Youth League, em 2013/14. Nas duas primeiras edições experimentais da competição, o acesso à prova foi reservado às equipas jovens dos 32 clubes participantes na fase de grupos da UEFA Champions League. A partir de 2015/16, a UEFA Youth League tornou-se uma competição permanente da UEFA e foi a 64 equipas, o que permitiu a inclusão dos campeões nacionais de futebol jovem.

O portfólio de competições da UEFA não esquece os jogadores amadores. A Taça das Regiões da UEFA coloca em campo equipas regionais compostas por jogadores que esperam pela oportunidade de actuar a nível europeu.

O futsal é, hoje, um novo e bem-sucedido sector do futebol, com identidade própria e muito clara. O Futsal EURO para selecções nacionais, cuja fase final é disputada de dois em dois anos, consegue agora atrair um número recorde de espectadores nos jogos da fase final, bem como ao nível da cobertura mediática e dos interesses comerciais. E a UEFA Futsal Champions League para clubes ganha cada vez mais importância, dado que o futsal não pára de crescer enquanto desporto desde a sua introdução como nova modalidade, pela FIFA, em 1988. Decisões estratégicas da UEFA levaram também ao lançamento de duas novas competições em 2018/19 – o UEFA Women's Futsal EURO e o Campeonato da Europa de Futsal de Sub-19 da UEFA.

A Holanda ganhou o Europeu Feminino em 2017
A Holanda ganhou o Europeu Feminino em 2017©Sportsfile

O futebol feminino está também a transformar-se numa fantástica história de sucesso, e o trabalho da UEFA neste sector está igualmente a dar frutos, pois o futebol feminino ganha cada vez maior dimensão enquanto espectáculo desportivo e atractivo de público. De quatro em quatro anos, as melhores jogadoras europeias buscam o caminho da glória na fase final do Campeonato da Europa Feminino da UEFA, competição na qual várias jogadoras transformam-se em atletas famosas e referências de qualidade para o futebol feminino de selecções que cresce em cada edição.

As melhores jogadoras e muitas das jovens mais promissoras também deixam marca a nível de clubes em cada temporada na UEFA Women's Champions League, cuja final reverte-se de carácter especial. Após ter sido disputada durante vários anos na mesma cidade da final masculina da UEFA Champions League, a partida tem agora o seu local próprio separado, dando ao evento uma exposição ainda maior.

Mais e mais raparigas estão a ser atraídas para a prática do futebol, e aquelas que mais se destacam trilham o caminho nas respectivas selecções nacionais jovens para, potencialmente, participarem no Campeonato da Europa Feminino de Sub-19 da UEFA e no Campeonato da Europa Feminino de Sub-17 da UEFA. Cada edição destas duas provas contribui para a evolução em termos tácticos e técnicos, projectando para as luzes da ribalta aquelas que se tornarão as melhores jogadoras no futuro, e constituindo uma referência importante para o desenvolvimento das jogadoras mais jovens.

Federações Nacionais

Desde a sua fundação, em Basileia, Suíça, a 15 de Junho de 1954, a relação entre a UEFA e as suas federações-membro tem sido um dos pilares do trabalho do organismo no desenvolvimento do futebol. Apesar de, nos últimos anos, a UEFA ter procurado relacionar-se e dialogar com um cada vez maior número de parceiros, a ligação entre o organismo que tutela o futebol europeu e as suas federações tem continuado a ser uma prioridade e algo verdadeiramente inquestionável.

O nome completo da UEFA é Union des Associations Européennes de Football (União das Federações Europeias de Futebol). O organismo é uma associação de federações e, como tal, trabalha em conjunto, representa, defende interesses e presta ajuda às suas federações-membro.

As federações-membro da UEFA representadas em pinturas no túnel entre a Casa do Futebol Europeu e La Clairière
As federações-membro da UEFA representadas em pinturas no túnel entre a Casa do Futebol Europeu e La Clairière©UEFA.com

Em 1954, a UEFA tinha 31 federações associadas. Agora são 55 sob a sua alçada, de toda a Europa. Grande ou pequeno, cada país pode beneficiar de financiamento para o seu desenvolvimento e da orientação e assistência especializada da UEFA. Por sua vez, cada federação desempenha um papel vital, fornecendo informações e "feedback" no processo de tomada de decisões da UEFA, através da representação em comissões da UEFA e painéis de especialistas. Além disso, as federações cooperam em vários sectores de actividade específicos da UEFA para trocar informações e criar boas práticas futebolísticas.

O trabalho da UEFA com e para as federações é canalizado através da sua Divisão das Federações Nacionais, situada na Casa do Futebol Europeu, em Nyon, Suíça. A divisão, liderada pelo director as federações nacionais, por Zoran Laković, é o centro nevrálgico de uma enorme panóplia de actividades e eventos.

A relação é de recompensa para os dois lados – a UEFA e as suas federações trabalham lado a lado procurando o bem-estar do futebol europeu.

Topo