O "site" oficial do futebol europeu

Espanha e Rússia voltam a lutar pelo título

Publicado: sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012, 15.34CET
Espera-se um "grande espectáculo" no sábado, com a Espanha a procurar conquistar o seu quarto título europeu consecutivo, frente a uma selecção russa que bateu em duas das três finais anteriores.
por Paul Saffer
de Zagreb
Espanha e Rússia voltam a lutar pelo título
O treinador da Espanha, José Venancio López (à esquerda), e o seu homólogo da Rússia, Sergei Skorovich ©Action Images
  
Publicado: sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012, 15.34CET

Espanha e Rússia voltam a lutar pelo título

Espera-se um "grande espectáculo" no sábado, com a Espanha a procurar conquistar o seu quarto título europeu consecutivo, frente a uma selecção russa que bateu em duas das três finais anteriores.

A final do UEFA Futsal EURO 2012, no sábado, vai encerrar a oitava edição do Campeonato da Europa − e pela quarta vez no seu historial, Espanha e Rússia vão medir forças.

Para ser possível competir com ela é preciso ser-se perfeito em todos os aspectos. A primeira prioridade é defender
Sergei Skorovich
A Rússia é uma grande equipa, possui 14 jogadores de topo e também tem vindo a melhorar com o decorrer do torneio, tal como nós
José Venancio López

O triunfo da Espanha por 2-1 no jogo decisivo de 2005, em Ostrava, iniciou uma série de títulos consecutivos que espera prolongar para quatro na Arena Zagreb. Em 2010, na Hungria, a Espanha venceu a Rússia num jogo épico dos quartos-de-final, nos penalties, depois de um empate a zero, sendo que só em 2003 em que estas duas nações não se cruzaram na fase final de um EURO.

Com a Rússia a mostrar as suas intenções na quinta-feira, ao vencer a anfitriã Croácia por 4-2, diante de uma assistência-recorde do torneio (14,300 espectadores), o treinador Sergei Skorovich disse: "Existem bastantes razões para o facto de a Espanha ser tão boa. O seu jogo colectivo é soberbo, ao mesmo tempo que possui uma mentalidade vencedora. Emprega um estilo ofensivo e pode facilmente rodar jogadores, sem qualquer efeito negativo no desempenho. A sua confiança atinge níveis altíssimos.

"Mas como é óbvio, os seus jogadores são humanos, por isso podem cometer erros, mas ainda assim costumam sair por cima no final. Para além disso, também é capaz de aumentar o ritmo de jogo a qualquer altura. Para ser possível competir com ela é preciso ser-se perfeito em todos os aspectos. A primeira prioridade é defender, não interessa se é em pressing ou à zona". Konstantin Maevski e o guarda-redes Sergei Zuev podem ser ambos utilizados, depois de terem falhado o jogo de quinta-feira.

Em relação à Espanha, ganhou os sete jogos disputados até ao momento, fase de qualificação incluída, e mais uma vitória significa que completa uma campanha perfeita, algo que não acontecia desde que venceu a prova em Moscovo, há 11 anos. E isso apesar das ausências dos avançados Fernandao e Pola, ausentes da convocatória devido a lesão, e do problema nos gémeos que tem reduzido o tempo de jogo de um dos atletas mais experientes, Álvaro.

O treinador José Venancio López disse: "Temos um plantel fantástico, jogamos futsal colectivamente, por isso não importa se alguém não está presente, mas também é verdade que o Álvaro é muito importante para nós, porque é um jogador muito táctico e que lê bem o jogo devido à sua inteligência".

Venancio López ambiciona o seu terceiro título consecutivo no comando técnico da equipa, igualando assim o seu antecessor, Javier Lozano, enquanto para o guarda-redes Luis Amado e o defesa Kike será o quinto troféu – tal como o actual líder da Bota de Ouro, Torras, participaram no triunfo sobre a Rússia, em 2005.

"A Rússia é uma grande equipa, possui 14 jogadores de topo e também tem vindo a melhorar com o decorrer do torneio, tal como nós", acrescentou Venancio López. "Somos as duas melhores equipas do torneio e conto assistir a uma final dramática este sábado. Espero que a Arena esteja cheia e que se assista a um grande espectáculo".

Lin, que marcou na vitória por 4-2 sobre Portugal, há dois anos, que deu o título à Espanha na Hungria, acrescentou: "A Rússia é uma grande equipa, tecnica e tacticamente. Também é muito forte fisicamente, mas devemos concentrar-nos em nós próprios e tentar aproveitar os nossos pontos-fortes. Estamos muito confiantes".

• Vai haver participação anfitriã na final, já que o croata Danijel Janošević foi o escolhido para arbitrar a partida, juntamente com o italiano Francesco Massini, ficando o papel de terceiro árbitro reservado para o português Eduardo Coelho, enquanto o romeno Bogdan Sorescu será o cronometrista.

Última actualização: 12-02-12 0.42CET

Informação relacionada

Perfis dos jogadores
Perfis das equipas
Jogo relacionado

https://pt.uefa.com/futsaleuro/season=2012/matches/round=2000150/match=2008820/prematch/preview/index.html#nova+final+entre+espanha+russia