Escolhas do UEFA.com do Futsal EURO 2014

Do ao espírito colectivo da Itália a exibições individuais de talento da Rússia, passando pela magia de Ricardinho: confira as escolhas dos repórteres do UEFA.com em Antuérpia.

A união da selecção italiana foi crucial para a conquista do troféu
A união da selecção italiana foi crucial para a conquista do troféu ©Sportsfile

Gonzalo Aguado: Campeão despede-se com honra
De um ponto-de-vista espanhol, não é fácil escolher um destaque quando uma equipa está habituada a erguer o troféu e desta vez foi eliminada nas meias-finais, pela Rússia. Mas foi precisamente nesse aspecto, a derrota, que a Espanha provou ser uma verdadeira campeã. José Venancio López, o treinador da Espanha, em declarações à comunicação social, felicitou a Rússia pela sua vitória e não desculpou a derrota com outros factores. Mas podia tê-lo feito, já que a Espanha foi severamente atingida por lesões em Antuérpia, mas limitou-se a felicitar a Rússia e agradeceu aos seus jogadores pelo esforço efectuado no último mês. Sabíamos que a Espanha era boa na vitória, mas na hora da derrota é ainda melhor.

Wayne Harrison: Golos e lágrimas de Capar
Não é habitual um guarda-redes avançado marcar – no entanto, conseguir esse feito, ainda por cima em dois jogos consecutivos, de uma posição quase idêntica, para salvar a sua equipa da derrota com empates a três, certamente é. E foi isso que Matija Capar fez nos jogos da Croácia no Grupo D, frente a Espanha, campeã cessante, e República Checa, dois dias depois. Nada mau para um jogador que passou grande parte dos últimos anos pensando que a sua carreira ia acabar devido a lesão; daí as suas lágrimas após o empate com a Espanha. "Hoje o treinador disse que eu não ia ser guarda-redes avançado, mas o [Dario] Marinović sofreu uma lesão e então tive que assumir esse papel", disse ao UEFA.com depois do jogo com os checos. "Isto foi obra de Deus, acho eu!"

Mikhail Malkin: Rússia faz história
Antes das meias-finais, a Espanha não perdia com uma selecção europeia há nove anos, e com uma vantagem de 1-0 ao intervalo, depois de ter dominado os primeiros 20 minutos, esse recorde parecia destinado a manter-se. Mas a mentalidade russa mudou ao intervalo; os jogadores lutaram como tigres e deram a volta ao marcador, para 3-2, mas acabaram por sofrer o empate tardio, tal como na final de 2012. No entanto, desta vez, a Rússia deu seguimento ao seu excelente espírito olímpico e marcou o golo da vitória por intermédio de Robinho, a 66 segundos do fim do prolongamento. A Rússia começou a dançar a khorovod após o apito final, enquanto a Espanha não conseguia acreditar que, apenas pela segunda vez na sua história, ia falhar a final. "Mais tarde ou mais cedo, a derrota haveria de chegar", admitiu o treinador José Venancio López.

Paolo Menicucci: União "azzurri"
Desde o intransponível Stefano Mammarella na baliza até ao habilidoso Gabriel Lima, houve muitos momentos de brilhantismo individual da Itália na conquista do UEFA Futsal EURO 2014, mas a chave para os "azzurri" na Bélgica foi certamente o esforço colectivo por parte de todo o plantel, com os 14 jogadores a darem um contributo importante durante o torneio. Quando se tem um guarda-redes como Mammarella à sua frente, não é fácil ter uma oportunidade, mas Michele Miarelli não desperdiçou a ocasião para deixar a sua marca quando substituiu o No1, pouco tempo após este ter feito o 6-0 frente ao Azerbaijão, e rapidamente tratou de inscrever o seu nome na lista de marcadores. Alguma vez tinham visto dois guarda-redes marcarem no mesmo jogo? Eu não.

Paul Saffer: Eder Lima – quantidade e qualidade
O pivô da Rússia, Eder Lima, foi o melhor marcador do Campeonato do Mundo de 2012, naquela que foi a sua estreia numa fase final, e completou uma "dobradinha" única com oito golos que ajudaram a conquistar a Bota de Ouro adidas de 2014. O melhor deles foi sem dúvida o quarto; com a Rússia a perder por 4-3 frente a Portugal, perto do fim do jogo da fase de grupos, o passe longo de Robinho foi correspondido por um pontapé-de-bicicleta acrobático de Eder Lima, que garantiu o primeiro lugar do grupo. Veja os melhores momentos da fase de grupos (aproximadamente aos 01:37 segundos). A sua recepção de costas para a baliza e remate de pronto, a fazer o empate na final, também não foi mau, mas a propósito do outro golo, Eder Lima disse: "Este golo foi visto no Mundo inteiro, foi exibido em todas as televisões. Nunca tinha visto nada assim. Ninguém marcou desta forma, nem mesmo o lendário brasileiro Falcão".

Nuno Tavares: Magia de Ricardinho frente à Itália
A Itália pode ter eliminado Portugal pela oitava vez num torneio de selecções, após o triunfo por 4-3 nas meias-finais, mas essa estatística assustadora não desvaloriza o que, na minha opinião, foi a melhor exibição individual durante a fase final realizada em Antuérpia. Ricardinho já tinha aumentado a sua reputação brilhante na fase de grupos, frente a Holanda e Rússia, antes de mais um desempenho inspirado ter ajudado a sua equipa a eliminar a Ucrânia, nos quartos-de-final.

No entanto, o melhor ainda estava para vir, com o seu talento hipnotizante e empenho a darem esperança ao conjunto luso até ao último segundo do embate com a Itália, no Sportpaleis. Sempre um dos jogadores mais excitantes de observar, as suas cinco assistências, o valor mais elevado nesta edição, contam uma história diferente sobre o atleta de 28 anos, que outrora foi classificado como nada mais que um exibicionista.

Topo