Eder Lima fala de golos, da Itália e da vida na Rússia

Na véspera da final entre Rússia e Itália, o UEFA.com falou com Eder Lima, autor de sete golos na fase final, sobre a experiência que está a viver no torneio e os "azzurri".

©Sportsfile

A chegada da Rússia à quinta final do UEFA Futsal EURO, na qual vai defrontar a Itália, no sábado, tem a marca de Eder Lima.

Aos 29 anos, o líder dos marcadores da competição que decorre em Antuérpia, com sete golos, incluindo o sensacional pontapé acrobático marcado na fase de grupos contra a Portugal, "visto em todo o mundo" está a brilhar a grande altura e um "hat-trick" ante a Roménia nos quartos-de-final. Ao UEFA.com, Eder Lima falou sobre a veia goleadora e sobre a forma como está a viver a primeira experiência numa prova deste nível, sem esquecer a grande final com a Itália.

UEFA.com: Como está a lidar com este seu primeiro Futsal EURO?

Eder Lima: É um grande torneio, ao nível de um Mundial de Futsal. A única diferença é que não estão aqui o Brasil, o Paraguai e a Argentina. Tirando isso, o nível do futsal é o mesmo. Derrotámos a Espanha, mas ainda não vencemos o campeonato. Temos mais um jogo para fazer e temos de estar totalmente concentrados.

UEFA.com: A vitória por 4-3 sobre a Espanha foi um dos melhores momentos da sua carreira?

Eder Lima: Sim, sem dúvida. A Espanha é muito forte. Jogo futsal há muitos anos, mas nunca vi uma equipa jogar tão bem como a deles. Tudo funciona naquela equipa. A Espanha joga de forma muito pensada e faz exibições inteligentes. São a selecção mais forte do mundo, mas conseguimos vencer. Tivemos a mentalidade certa neste jogo, sem deixar de lutar. Demos 200% a defender e não 100. Para além disso, aproveitámos as oportunidades e tínhamos de o fazer.

UEFA.com: O que pensa da Itália?

Eder Lima: Também é uma boa equipa. Perdeu o primeiro jogo aqui [3-2 com a Eslovénia], mas desde então tem estado soberba. Luta como cães... Mas se jogarmos como o fizemos nas meias-finais, não terá muitas hipóteses. Já falei com alguns dos brasileiros naturalizados italianos. Felicitámo-nos mutuamente, mas não falámos da final nem dos outros jogos.

UEFA.com: Está feliz com os sete golos que já marcou no torneio?

Eder Lima: Para ser honesto, não é importante se os marquei ou não. O principal é ganhar o troféu. Fui o melhor marcador no Mundial 2012, com nove golos, mas não adiantou nada, pois fomos eliminados nos quartos-de-final. Tenho sido o melhor marcador da Liga russa, mas o TTG-Ugra Yugorsk não conquistou o título. Só ganhámos a Taça da Rússia.

UEFA.com: Ainda assim, qual foi o seu golo preferido?

Eder Lima: Aquele que marquei a Portugal. Foi um golo visto em todo o mundo, passado em todos os ecrãs de televisão. Nunca vi nada de parecido... Ninguém marcou daquela maneira, nem o lendário brasileiro Falcão. Os meus amigos tentaram procurar na Internet, mas não há nada igual a este golo que marquei. No entanto, não acho que seja uma celebridade. Sou uma pessoa normal.

UEFA.com: Vive na Rússia há oito anos. Pode contar-nos sobre a experiência?

Eder Lima: Vivo em Moscovo e sinto-me confortável lá. Adaptei-me muito bem à cidade. Sei quais são os bons restaurantes, conheço os melhores locais para passear com a família. Quanto vamos jogar à Sibéria, também me sinto confortável. É um cenário incrível. Gosto de jogar na Rússia. O Brasil e a Espanha também têm bons campeonatos, mas a liga russa é a melhor do Mundo.

Topo