O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Antevisão diária do UEFA Futsal EURO: Geórgia - Azerbaijão, Espanha - Bósnia e Herzegovina

O Grupo D abre com a Espanha a defrontar a Bósnia e Herzegovina, já depois de a Geórgia enfrentar o Azerbaijão.

A Bósnia e Herzegovina defronta a Espanha na sua estreia em fases finais
A Bósnia e Herzegovina defronta a Espanha na sua estreia em fases finais UEFA via Sportsfile

O Grupo D do UEFA Futsal EURO 2022 arranca este sábado na MartiniPlaza de Groningen, com a selecção mais bem sucedida na história da competição, a Espanha, a defrontar a estreante Bósnia e Herzegovina, ao passo que a Geórgia, também presente pela primeira vez numa fase final, vai medir forças com o Azerbaijão.

Onde ver o Futsal EURO


Geórgia - Azerbaijão
(13h30, Groningen)

A França foi a única estreante na fase final de 2018 e causou espanto com o soberbo empate a quatro bolas registado diante da Espanha e também assustando o Azerbaijão. Contudo, na qualificação para o presente torneio, a Geórgia empatou 4-4 em França e depois derrotou os Bleus por 3-2 para garantir a sua primeira presença na fase final. Agora é a vez de a Geórgia enfrentar o Azerbaijão, assim como a Espanha, e apesar de ser a selecção com o ranking mais baixo a lograr chegar à fase final (22ª antes da qualificação), representa um perigo claro face à capacidade ofensiva de Eilsandro, Fumasa, Roninho, Thales e Archil Sebiskveradze.

Na verdade, a ascensão da Geórgia parece ecoar um pouco a do próprio Azerbaijão, que ganhou proeminência repentina em 2010, quando se estreou em fases finais e chegou às meias-finais com algumas entusiasmantes exibições. Rizvan Farzaliyev, como nessa ocasião, continua a ser um jogador importante e o treinador que liderou a ascensão do Azerbaijão, Alesio, é responsável tanto pela selecção nacional como pelo Araz Naxçivan, que constitui o núcleo da equipa presente nos Países Baixos. No entanto, Maneca foi descartado após sofrer uma lesão no treino.

Avtandil Asatiani, seleccionador da Geórgia: "Estamos orgulhosos da primeira participação da Geórgia no Futsal EURO. Todos estão felizes porque vamos ouvir o hino da Geórgia e ver a bandeira do país neste torneio nos Países Baixos. Sabemos que temos pela frente uma fase de grupos muito complicada, mas vamos dar tudo para estar na próxima ronda. Estou apenas concentrado na minha equipa, mas penso que o Azerbaijão é uma formação forte, mesmo que alguns jogadores estejam ausentes."

Alessio, seleccionador do Azerbaijão: "Estudámos a fundo a Geórgia, uma vez que sabíamos que os íamos defrontar. Sei que vai ser um jogo muito complicado porque se trata de uma equipa com novos jogadores e que joga junta há muito tempo. São fortes do ponto de vista colectivo. Ambas as equipas estão cientes da importância do encontro, até porque a seguir vão ter de medir forças com a Espanha. É quase como uma final, mas também não quero deixar de fora a Bósnia e Herzegovina."

Estatística-chave: Os nove golos marcados por Sebiskveradze na qualificação não foram suplantados por ninguém presente na fase final, enquanto Roninho terminou na liderança das assistências (11).

Futsal EURO: Golos fantásticos na final
Futsal EURO: Golos fantásticos na final

Espanha - Bósnia e Herzegovina (16h30, Groningen)

Apenas por três vezes, em 2001, 2005 e 2016, a Espanha começou um Futsal EURO sem ser a campeã em título, sendo que em cada ocasião acabou por recuperar o troféu. Portugal derrotou os espanhóis no prolongamento da final de há quatro anos, em Ljubljana, mas a Espanha deu um sinal de intenção na nova fase de grupos da qualificação com jogos em casa e fora: nenhuma outra selecçáo marcou tantos golos como os seus 46 ou sofreu tão poucos como os três encaixados.

A Bósnia e Herzegovina, pelo contrário, está na sua primeira fase final e os seus quatro encontros oficiais anteriores ante a Espanha resultaram em quatro pesadas derrotas, com um total de 27 golos sofridos. No entanto, o último desses jogos foi em 2015 e o novo estatuto dos Dragões, que contam com vários jogadores que não são profissionais, é bem ilustrado pela forma como se apuraram num exigente grupo de qualificação que incluía a Sérvia e a Roménia.

Carlos Ortiz, capitão da Espanha: "Penso que o grupo está motivado após os dois últimos torneios (EURO e Mundial). A nível pessoa, estou muito motivado. Queremos que tudo corra bem e espero poder despedir-me da selecção nacional com a conquista de um título. Estamos cientes que temos de melhorar. O nível geral do futsal está cada vez mais equilibrado e vimos isso mesmo ontem com a Finlândia. O jogo contra a Bósnia e Herzegovina não vai ser nada fácil."

Fede Vidal, seleccionador da Espanha: "Importa-nos aquilo que fazemos. Ainda não decidimos quem vai jogar na baliza, mas ambos estão em grande forma. O Adolfo, que ainda não está connosco, não vai jogar amanhã e o Catela está em dúvida. Os restantes jogadores estão bem. O que temos visto até agora no torneio é aquilo que eu já esperava: grande equilíbrio. O nome das equipas já não interessa tanto como no passado. Conquistar estes três primeiros pontos é fundamental. A Bósnia e Herzegovina é uma grande equipa e esteve quase perfeita na qualificação."

Ivo Krezo, seleccionador da Bósnia e Herzegovina: "Não temos nada a perder contra uma equipa como a Espanha, sete vezes campeã da Europa e duas vezes do Mundo. A Espanha é uma das favoritas. Temos de ser corajosos e vamos ver o que acontece. É um problema o facto de os nossos dois guarda-redes estarem suspensos para o jogo de amanhã, mas confiamos no guardião que vai jogar."

Estatística-chave: Ortiz, que procura igualar o recorde de cinco títulos conquistados e que se vai juntar a Luis Amado na lista de jogadores presentes em sete edições do Futsal EURO, vai tornar-se o primeiro atleta a somar 50 jogos na competição, incluindo a qualificação.