O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

UEFA Futsal EURO 2022: O que esperar

A primeira fase final do UEFA Futsal EURO com 16 selecções arranca quarta-feira nos Países Baixos: escolhemos alguns dos pontos-chave a seguir.

O anfitrião País de Gales treina na Ziggo Dome, em Amesterdão, antes do confronto de quarta-feira com Portugal
O anfitrião País de Gales treina na Ziggo Dome, em Amesterdão, antes do confronto de quarta-feira com Portugal ANP/AFP via Getty Images

O UEFA Futsal EURO 2022 arranca quarta-feira nos Países Baixos, por sinal a primeira edição desde que a competição deixou de ser um evento bienal de 12 equipas para passar a uma fase final com 16 selecções disputada a cada quatro anos.

A fase de grupos decorre em Amesterdão e em Groningen até 29 de Janeiro, antes de a Ziggo Dome, situada na capital, receber os jogos a eliminar, com a final a ter lugar a 6 de Fevereiro. Escolhemos alguns pontos-chave a seguir no maior evento de futsal da UEFA.

Os grupos

Grupo A: Países Baixos (anfitrião), Sérvia, Ucrânia, Portugal (campeão)
Grupo B: Cazaquistão, Itália, Eslovénia, Finlândia
Grupo C: Rússia, Polónia, Eslováquia, Croácia
Grupo D: Geórgia, Espanha, Azerbaijão, Bósnia e Herzegovina

Pode alguém travar Portugal?

Provavelmente pela primeira vez desde o torneio inaugural de futsal da UEFA de 1996, a Espanha não começa como favorita. De facto, a edição de 2018, em Ljubljana, foi apenas a quarta vez em 11 edições em que a La Roja não levantou o troféu, sendo que desta feita o favoritismo pende para o lado de Portugal. A selecção comandada por Jorge Braz defende o estatuto de campeã europeia e mundial, isto depois de ter erguido o troféu na Lituânia no passado mês de Outubro.

Ricardinho pode ter-se retirado da selecção após a vitória na final frente à Argentina, mas o campeão da Europa continua a ter uma equipa repleta de jogadores que sabem o que é conquistar grandes provas, sendo que sete deles ajudaram o Sporting a vencer a última edição da UEFA Futsal Champions League.

Grandes golos no Futsal EURO 2018
Grandes golos no Futsal EURO 2018

A Espanha, no entanto, dificilmente pode ser descartada. Tal como na final do Futsal EURO 2018, Portugal precisou de um prolongamento para ultrapassar os seus vizinhos nos quartos-de-final do Mundial de 2021. Além disso, a lista de jogadores que ficaram de fora das escolhas para a fase final nos Países Baixos, incluindo Juanjo, Marc Tolrà, Solano, Bebe e Lin, sugere que a Espanha poderia nomear uma segunda lista de 14 atletas que também seriam candidatos à conquista do torneio e sublinha a força da sua candidatura.

Duas outras equipas encaixam-se igualmente no lote dos favoritos. O único título da Rússia aconteceu em 1999, mas o facto de ter chegado à final em várias edições do EURO desde então, assim como ao jogo decisivo do Mundial de 2016, ilustra na perfeição o seu poderio. O conjunto russo deixou uma excelente imagem no Mundial do ano passado na Lituânia, antes de ser eliminado pela Argentina após um épico desempate por penáltis. O Cazaquistão chegou às meias-finais do Mundial, assim como nas suas duas particpações anteriores no EURO, e parece ter desta feita mais soluções na sua equipa.

A duas vezes campeã Itália está em processo de reconstrução, mas sem o peso da expectativa pode causar uma surpresa, enquanto que o rendimento da Croácia na fase de qualifcação e da Sérvia no Campeonato do Mundo também sugere que podem ser um perigo para o quarteto de favoritos. Ucrânia, Eslovênia e Azerbaijão também não têm falta de experiência a este nível.

Calendário completo dos jogos

Estreantes querem surpreender

Os Países Baixos, um dos pioneiros do futsal internacional e até finalistas vencidos no primeiro Campeonato do Mundo de Futsal, em 1989, o último grande evento que receberam, regressam à fase final após oito anos de ausência e prepararam-se bem para tentarem recuperar os seus dias de glória. No entanto, um grupo com Sérvia, Portugal e Ucrânia não torna as coisas nada fáceis. Os neerlandeses voltam ao torneio mas a expansão da fase final permitiu a estreia de quatro nações.

Há quatro anos, a França, única selecção estreante na altura, ganhou notoriedade na cena europeia ao travar a Espanha e complicar a vida ao Azerbaijão. Contudo, os Les Bleus estão ausentes agora depois de ter sido eliminados pela Geórgia, provavelmente o principal debutante a seguir de perto, por coincidência integrada num grupo com espanhóis e azeris. A Geórgia tem um plantel com larga experiência, como o guarda-redes Zviad Kupatadze e o pito Elisandro, bem como os fantasistas Roninho, Thales, Archil Sebiskveradze e o recém-chamado Vilian.

No Grupo D está também a principal surpresa da qualificação, a Bósnia e Herzegovina. Num grupo competitivo do qual faziam parte Sérvia, Roménia e Macedónia do Norte, os bósnios garantiram um lugar na fase final a dois jogos do fim depois de vencerem os quatro primeiros jogos.

Muitos adeptos da modalidade devem ter igualmente felizes por ver outro estreante ganhar finalmente uma vaga após várias ameaças nos últimos anos, a Eslováquia, presente num Grupo C muito equilibrado. A Finlândia mostrou a sua ambição em 2013, quando contratou o experiente treinador Mićo Martić; o croata manteve-se ao leme mesmo após várias desilusões e os festejos efusivos na sequência da vitória sobre a Bélgica que permitiu o apuramento foram a prova do árduo trabalho que foi feito até chegarem finalmente ao grande palco.

Onde ver os jogos: TV/streams


Estrelas prontas para brilhar

Desde 2007, quando brilhou ao serviço do anfitrião Portugal, que Ricardinho se afirmou como a grande estrela do futsal europeu. No entanto, tendo finalmente ajudado o seu país a conquistar o título europeu em 2018, o veterano ala não estará nos Países Baixos, tendo decidido retirar-se a nível internacional após ter recuperado a tempo de uma lesão para conquistar o Mundial disputado no ano passado. Ainda assim, há muitos outros talentos que estão prontos para brilhar.

Adeus de Ricardinho à selecção: Pontos altos no Futsal EURO por Portugal
Adeus de Ricardinho à selecção: Pontos altos no Futsal EURO por Portugal

Os actuais campeões mundiais e europeus têm naturalmente vários candidatos a esse estatuto. Para muitos, Pany Varela, que marcou os dois golos de Portugal na vitória ante a Argentina na final do Mundial, foi o destaque desse torneio. E, especialmente depois de as suas exibições terem ajudado o Sporting a vencer a UEFA Futsal Champions League da última temporada, Zicky, pivô de apenas 20 anos de idade, pode ter o talento e o carisma para protagonizar uma carreira tão espectacular como a de Ricardinho.

A Espanha teve muitas vezes demasiados jogadores de qualidade para que um se destacasse especialmente, mas há muitos que ainda podem vestir a pele de herói nos Países Baixos: Adolfo e Raúl Campos, talvez, o capitão Ortiz que persegue um quinto título, ou mesmo Sergio Lozano, que está de volta após superar mais uma lesão grave.

Futsal EURO: Golos fantásticos na final
Futsal EURO: Golos fantásticos na final

Mais uma vez, o coração da selecção do Cazaquistão será o guarda-redes Higuita e o talento versátil de Douglas Junior, talvez o jogador mais completo do futsal europeu. O russo Sergei Abramov está no auge e um jogador dois anos mais velho do que Ricardinho, Robinho, não mostra sinais de desaceleração após um excelente Campeonato do Mundo.

Outros jogadores a seguir com atenção são Bolinho (Azerbaijão), Alex Merlim (Itália), Igor Osredkar (Eslovénia), Dario Marinović (Croácia) e o capitão da Finlândia, Panu Autio, que viajou para a fase final de 2007 em Portugal como adepto e que lidera agora o seu país no torneio com mais de 100 golos internacionais marcados.