Itália vence Rússia e conquista título em Antuérpia

A Itália começou a participação no UEFA Futsal EURO 2014 com uma derrota surpreendente mas, menos de duas semanas depois, conquistou o título ao bater a Rússia na final.

Itália vence Rússia e conquista título em Antuérpia
©UEFA.com

A Itália tinha a fama de começar mal as grandes competições internacionais de futebol, para atingir a melhor forma nos momentos decisivos, como aconteceu no Campeonato do Mundo de 1982. Uma tradição que se manteve no triunfo no UEFA Futsal EURO 2014.

Após a derrota no desafio de estreia, os italianos melhoraram jogo a jogo até à final, altura em que encantaram os quase 12.000 espectadores presentes no Sportpaleis de Antuérpia e conseguiram um triunfo por 3-1 sobre a Rússia, que dois dias antes tinha terminado abruptamente com a candidatura de Espanha ao quinto título consecutivo. O triunfo de Itália, o segundo título Europeu após o triunfo de 2003 em casa, assentou num enorme espírito colectivo, em que até os jogadores menos utilizados, como Massimo De Luca e Murilo, deram um contributo decisivo quando a equipa mais precisava, mas os grandes protagonistas foram o guarda-redes Stefano Mammarella, o capitão Gabriel Lima, o criativo Saad Assis e o atacante Fortino.

Itália, Rússia, Espanha e Portugal eram apontados como os grandes favoritos à conquista do título e todos conseguiram atingir as meias-finais, mas alguns não evitaram contratempos. Rússia e Portugal não sentiram dificuldades para bater a Holanda, antes de empatarem 4-4 entre si, com Eder Lima a estabelecer o resultado final com um soberbo pontapé de bicicleta. Itália perdeu por 3-2 na estreia com a Eslovénia e a Espanha consentiu um empate 3-3 com a Croácia, com o guarda-redes avançado Matija Capar a marcar ao cair do pano, repetindo a proeza dois dias depois frente à República Checa.

No entanto, Espanha e Itália conseguiram vencer tranquilamente os desafios seguintes e garantiram o primeiro lugar dos respectivos grupos, com a campeã em título a golear a República Checa por 8-1 e a “azzurra” a bater por 7-0 o Azerbaijão. A anfitriã Bélgica, que tinha perdido por 6-1 com a Roménia, não conseguiu melhor do que um nulo frente à Ucrânia. Os ucranianos, que no primeiro jogo tinham batido a Roménia por 1-0, foram a primeira selecção a ultrapassar a fase de grupos de um Europeu de Futsal sem sofrer golos.

Nos quartos-de-final, a Ucrânia foi batida por 2-1 por Portugal, o mesmo resultado do triunfo da Itália sobre a Croácia, que mostrou que o quarto lugar conseguido em 2012, quando acolheu a prova, não aconteceu por acaso. A Espanha bateu a Eslovénia por 4-0 e Rússia goleou a Roménia por 6-0, duas exibições impecáveis que permitiam antever uma excelente meia-final.

A Espanha tinha vencido a Rússia na final de 2012, depois de chegar ao empate no final do tempo regulamentar, e desta vez conseguiu igualar de forma semelhante. O embate da meia-final, que é considerado um dos melhores jogos de futsal de sempre, só ficou decidido a 66 segundos do final, quando Robinho fez o 4-3 para a Rússia. Tinha chegado ao fim a invencibilidade de Espanha frente a selecções europeias que durava há nove anos.

A Itália também tinha batido Portugal por 4-3 e para a maioria dos observadores estava longe de ser favorita para a final, mas revelou-se claramente superior à Rússia. Gabriel Lima inaugurou o marcador, Eder Lima fez o empate para a Rússia que lhe valeu a conquista da Bola de Ouro adidas em oito golos, mas Gabriel Lima fez a assistência para o golo de Murilo, que só foi chamado para representar Itália na véspera da fase final. Daniel Giasson estabeleceu o resultado final de 3-1 no final do primeiro tempo e o jogo ficou definitivamente decidido quando o russo Cirilo foi expulso, pela segunda vez consecutiva na final de um Europeu.

Conteúdos relacionados

Topo