O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Roménia sem receio da Espanha

Sito Rivera admite que a Roménia "pode ser devastada" pelos compatriotas da Espanha nos quartos-de-final, mas acredita que pode causar surpresa diante da avisada selecção campeã.

José Venancio López sabe que a sua equipa tem consciência do que está em jogo
José Venancio López sabe que a sua equipa tem consciência do que está em jogo ©Action Images

A Roménia foi a primeira equipa a apurar-se para os quartos-de-final do UEFA Futsal EURO 2012, mas dois dias depois recebeu a notícia que temia: a campeã Espanha seria o seu adversário na Arena Zagreb, esta segunda-feira.

A Espanha ganhou os dez jogos realizados frente à Roménia, mais recentemente por 7-1, no Grand Prix 2010, no Brasil. Quatro desses desaires aconteceram desde que o espanhol Sito Rivera assumiu o comando técnico da Roménia, em 2009, mas a sua estadia tem sido um sucesso até ao momento. Qualificou o seu país adoptivo para o segundo EURO da sua história e ultrapassou a fase de grupos, graças a uma vitória sobre a República Checa, por 3-1, depois de ter perdido com a Croácia, por 2-1.

"Obviamente, é o teste mais difícil possível, que teremos que enfrentar com todas as nossas forças", disse Rivera. "Não ganhámos nenhum dos dez jogos frente à Espanha, mas temos as nossas hipóteses. Podemos vencer, especialmente se estivermos num dia bom e a Espanha num dia mediano ou mesmo mau."

O seu homólogo, José Venancio López, admira aquilo que Rivera alcançou com uma equipa que só começou a jogar em 2003, altura em que a Espanha já tinha conquistado o título mundial e europeu. "Fizeram uma boa escolha ao contratá-lo, porque a Roménia melhorou bastante nos últimos anos", disse Venancio López. "A sua táctica evoluiu consideravelmente e possui recursos para tornar o jogo difícil."

Com a conquista do quarto título europeu consecutivo em mente, a Espanha venceu Eslovénia, por 4-2, e Ucrânia, por 4-1, na fase de grupos, continuando assim em Zagreb. Mas o experiente Álvaro deve falhar este desafio, devido a uma recaída da lesão contraída nos gémeos, e um romeno em particular preocupa Venancio López.

"Uma arma que eles utilizam muito bem é o guarda-redes avançado", disse. "Os nossos jogadores estão conscientes do que está em jogo. Temos que vencer, porque se tratam de jogos a eliminar, momentos decisivos, de vida ou morte."

Rivera, que não pode contar com o castigado Gabriel Dobre, sabe que o risco de retirar um guarda-redes fixo pode ser tomado. "Frente à Espanha, podemos perder, podemos inclusive ser arrasados, mas quero que os meus jogadores joguem o que sabem, sem medo. Penso que consegui incutir-lhes isso", disse.

"Alinhar com um guarda-redes avançado é uma situação que depende da forma como o jogo se desenrolar, mas que tem de ser bem gerida a defender e a atacar. Somos inferiores à Espanha, por isso julgo que haverá alturas em que teremos de utilizar essa estratégia."