O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Novak quer deixar legado croata

O capitão da selecção da Croácia, Tihomir Novak, acredita que os anfitriões podem dar boa conta de si na prova e conseguir "algo que será lembrado no mundo do futsal".

Tihomir Novak (à esquerda) deposita grandes esperanças na Croácia
Tihomir Novak (à esquerda) deposita grandes esperanças na Croácia ©Ruslan Mikayilli/Azerisport.com

Na qualidade de anfitriã do torneio, a Croácia está de volta ao Campeonato da Europa de Futsal pela primeira vez desde 2001 e o seu capitão, Tihomir Novak, revela-se determinado em aproveitar esta oportunidade de ouro "para fazer algo que será lembrado no mundo do futsal".

Para Novak, o UEFA Futsal EURO 2012 apresenta-se como a ocasião perfeita para promover a modalidade na Croácia. O defesa do MNK Split está, apesar de tudo, ciente que tal impacto será bem maior se a equipa da casa for capaz de dar aos seus adeptos reais motivos para poderem festejar.

"Esta é uma grande oportunidade para atrair pessoas às arenas – as pessoas que já mostraram que gostam de futsal e as outras que vão gostar ainda mais depois desta prova," afirmou o jogador de 25 anos de idade. "Mas não chega estarmos apenas envolvidos na competição; precisamos de conseguir algo dentro de campo, de atingir um resultado significativo."

Novak crê que a chave para o sucesso da selecção croata será a sua capacidade para lidar com a "enorme pressão" inerente ao facto de jogar perante inúmeros adeptos com "grandes expectativas" – algo a que não estão habituados. "Sabemos que vamos ter os nossos adeptos nas bancadas e todos esperamos responder bem a isso e dar ainda mais de nós próprios no terreno de jogo."

A Croácia dá início ao torneio esta terça-feira, em Split, frente à Roménia no Grupo A, antes de medir forças com a República Checa, conjunto frente ao qual foi eliminada na fase de apuramento para o Europeu de 2010. Novak guarda memórias dolorosas desse desaire em Março de 2009, em Ostrava (a precisar de um empate, Novak fez o 2-1 para a sua equipa aos 39 minutos, mas os checos marcaram por duas vezes e seguiram em frente). "Queremos vingar essa derrota e agora vamos jogar em casa," avisou.

E até onde podem ir? Novak considera a Espanha a grande favorita, seguida por Rússia, Itália e Portugal, mas está optimista quanto à campanha da Croácia. "Acredito que, se encontrarmos a nossa melhor forma, e com uma pequena ajuda dos nossos adeptos, podemos atingir a fase a eliminar. Se ultrapassarmos a fase de grupos, então tudo é possível."