O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Biro Jade quer mais

Nascido no Brasil, o veterano Biro Jade tem sido uma das estrelas do Azerbaijão a brilhar na Hungria e falou ao uefa.com sobre a experiência de participar no Europeu e o embate frente a Portugal.

Biro Jade (à esquerda) falou em exclusivo ao uefa.com
Biro Jade (à esquerda) falou em exclusivo ao uefa.com ©Sportsfile

Estreante numa fase final do Campeonato da Europa de Futsal, o Azerbaijão dificilmente poderia imaginar um baptismo de fogo como aquele que tem protagonizado em solo húngaro, onde já atingiu as meias-finais. E se a equipa orientada por Alesio da Silva quer ir ainda mais longe e derrotar Portugal nesta quinta-feira, em Debrecen, muito dependerá do desempenho de Biro Jade, o veterano fixo que completou 36 anos um dia antes do triunfo sobre a Ucrânia no desempate por grandes penalidades. O atleta nascido no Brasil falou com o uefa.com sobre a experiência de participar no Europeu e projectou ainda o embate ante Portugal.

Presente especial
A vitória nos quartos-de-final sobre a Ucrânia representou muito mais do que um presente atrasado para Biro Jade, como este explicou ao uefa.com. "A passagem às meias-finais foi um presente muito especial para mim. Estamos todos felizes e este feito vai permitir ao futsal do Azerbaijão dar um passo muito grande. Estou muito contente por ter participado nesse momento", disse o incansável jogador, invariavelmente o elemento mais utilizado na equipa azeri. "Antes de virmos para a Hungria já estávamos conscientes da nossa força e não escondo que o nosso grande objectivo era chegarmos às meias-finais. Talvez para alguns os nossos resultados estejam a ser uma surpresa, mas não para nós. A nossa preparação foi a melhor possível e estamos totalmente concentrados, até porque quando se relaxa isso normalmente é punido com resultados menos bons", prosseguiu.

Segredo? Amar o futsal
Quem está atento ao futsal sabe perfeitamente o quão raros são jogadores como Biro Jade, ainda para mais tendo em conta a idade de um dos heróis do Araz Naxçivan na caminhada até à "final four" da Taça UEFA de Futsal de 2010, que terá lugar em Abril. A explicação para tal longevidade não podia ser mais... apaixonada. "Não tenho grandes segredos para o facto de ser um dos jogadores mais utilizados da equipa aos 36 anos de idade. Gosto muito de treinar, mas, acima de tudo, amo o futsal. Ainda não penso em terminar a carreira. Enquanto tiver força e os meus colegas acreditarem em mim vou continuar a jogar", frisou o internacional azeri. O Azerbaijão terá de ultrapassar Portugal para marcar presença na final deste sábado, mas Biro Jade salientou que o nome do próximo adversário nunca foi a maior preocupação: "Durante o nosso percurso nunca procurámos escolher um adversário e isso não mudou agora que vamos defrontar Portugal. Acho que as quatro melhores equipas do Europeu estão nas meias-finais, pelo que tudo pode acontecer".

Entrosamento
"Portugal tem uma equipa muito forte e costuma sempre fazer boa figura nos Europeus. Para além disso trata-se de uma formação que aparece sempre nos momentos decisivos, em que é necessário vencer", adiantou Biro Jade. O facto de dez dos 12 jogadores que forma a selecção do Azerbaijão alinharem no mesmo clube - o Araz - é sinónino de um entendimento que se tem revelado fundamental na evolução da selecção nacional. "Temos apenas dois jogadores de outro clube que não o Araz, pelo que isso acelera o processo de entrosamento. Há cerca de um ano e meio muitas pessoas não sabiam sequer que existia futsal no Azerbaijão e hoje já sabem. O mais difícil não é chegar a este nível, mas sim mantê-lo", concluiu Biro Jade.