O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Espanha faz valer estatuto

José Venancio López disse que a sua equipa mereceu bater a Rússia, apesar de ter sido apenas nos penalties e num jogo que Sergei Skorovich descreveu como "futsal de bom nível".

José Venancio López (à esquerda), treinador da Espanha, felicita o guardião Luis Amado depois das grandes penalidades
José Venancio López (à esquerda), treinador da Espanha, felicita o guardião Luis Amado depois das grandes penalidades ©Sportsfile

José Venancio López, treinador da Espanha, disse que a sua equipa mereceu a vitória frente à Rússia nos quartos-de-final do Campeonato da Europa de Futsal – , apesar de a campeã em título se ter imposto apenas no desempate por grandes penalidades, depois de 40 minutos sem golos.

Decisão nos penalties
A campeã em título teve maior ascendente ao longo do tempo regulamentar, mas as suas tentativas esbarraram sucessivamente em Sergei Zuev, guardião russo. No entanto, num desempate por grandes penalidades épico, o herói foi Luis Amado, de Espanha, que defendeu o oitavo remate da Rússia e decidiu o jogo a favor da sua equipa, que agora vai defrontar a República Checa nas meias-finais, na quinta-feira.

Abordagem positiva
"Quero dar os parabéns aos meus jogadores, não apenas pela vitória, mas também por tudo aquilo que fizeram em campo", disse Venancio López ao uefa.com. "Demonstrámos desde o primeiro ao último minuto que somos uma equipa vencedora". De facto, essa atitude positiva ficou vincada mais tarde, quando Amado foi substituído por Kike, que actuou como guarda-redes-avançado.

Correr riscos
"Queríamos evitar as grandes penalidades, já que aí a sorte também tem o seu papel", acrescentou o treinador. "Viemos para este torneio com humildade, mas também viemos até à Hungria para nos sagrarmos campeões europeus. Por isso é que corremos o risco de utilizar um guarda-redes-avançado. No final, acabámos por merecer a vitória, que pertenceu à equipa que mais lutou por ela".

Rússia elogiada
Mas isso não significa que Venancio López não tenha ficado impressionado com a formação de Sergei Skorovich. "A Rússia foi um adversário valoroso", prosseguiu. "Possui uma excelente equipa, com jogadores muito talentosos, mas fomos capazes de controlar o jogo. Colocámos bastante pressão no adversário ao defender no seu meio-campo. Não os deixámos jogar. Apenas ameaçaram em remates de longa distância. Criámos mais oportunidades que eles, mas não fomos capazes de as concretizar. O seu guarda-redes, Zuev, fez uma grande exibição. Foi o seu melhor jogador hoje".

"Futsal de bom nível"
O primeiro torneio de Skorovich como treinador da Rússia terminou com uma eliminação precoce, mas teve a pequena consolação de se ter despedido num jogo bem disputado. "O público presente assistiu a futsal de bom nível", disse. "Ambas as equipas jogaram muito bem, viram-se boas jogadas de combinação, paixão e intensidade. Resumindo, houve tudo aquilo que torna o futsal uma modalidade apaixonante. Infelizmente, não conseguimos marcar durante o tempo regulamentar. No que diz respeito aos penalties, são sempre uma lotaria e o nosso adversário teve a sorte do seu lado. Os parabéns para ele".

Sob pressão
Apesar de a Espanha ter sido melhor na segunda parte, Skorovich não concorda que a sua equipa tenha sido dominada. "Não penso que depois do intervalo tenhamos jogado pior ou que o nosso adversário tivesse mais posse de bola", disse. "Não fomos perigosos no ataque, mas é preciso não esquecer que estávamos a defrontar a campeã europeia que, provavelmente, é a melhor selecção do continente".