O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Bácaro volta a sorrir

Vinicius Bácaro marcou o golo com que a Itália bateu a Ucrânia na final de 2003 e, antes de novo embate ante a selecção ucraniana, falou ao uefa.com sobre a sua ambição e a renovação da equipa.

Vinicius Bácaro foi o herói da Itália em 2003 e espera repetir a vitória na Hungria
Vinicius Bácaro foi o herói da Itália em 2003 e espera repetir a vitória na Hungria ©Sportsfile

O italiano Vinicius Bácaro, de 31 anos de idade, guarda boas recordações de embates ante a Ucrânia, já que em 2003 foi um golo da sua autoria que deu à "squadra azzurra" a vitória na final do Campeonato da Europa que ela mesmo acolheu. Essa foi a primeira vez que Bácaro disputou uma grande competição, sendo que marcou igualmente presença nas finais do Campeonato do Mundo de 2004 e do Europeu de 2007, perdendo ambas para a Espanha. Bácaro recuperou de uma grave lesão para ajudar o Interviú Madrid a chegar à vitória na Taça UEFA de Futsal 2009, antes de debelar novos problemas físicos que recentemente o apoquentaram para poder alinhar no jogo inaugural da Itália no Campeonato da Europa da Hungria, em que a selecção italiana bateu a Bélgica, por 4-0. Bácaro, nascido no Brasil, falou com o uefa.com durante uma pausa na preparação da Itália para o encontro do Grupo B contra a Ucrânia, no próximo sábado, em Debrecen.

uefa.com: A Itália entrou com o pé direito na competição...

Vinicius Bácaro: Sim, o mais importante era ganhar. A vitória permite-nos encarar com maior tranquilidade o próximo jogo. Tivemos três dias para descansar e preparar o encontro frente à Ucrânia. Para alguns jogadores da nossa equipa, esta é a sua primeira experiência internacional ao mais alto nível. É sempre complicado jogar nos grandes palcos. A Itália está a atravessar um período de renovação da equipa e tem um misto de jogadores nascidos em Itália e no Brasil. Os italianos são menos experientes e a experiência é algo muito importante nestes torneios. Por isso foi muito importante entrar a ganhar. Vai permitir-nos preparar melhor o que se segue e ajudar à adaptação dos novos jogadores.

uefa.com: É um dos jogadores mais experientes da equipa. Como partilha essa experiência com os seus colegas?

Bácaro: Falo muito com eles e o mais importante é tentar fazê-los sentir tranquilos e relaxados quando entram em campo, de forma a sentirem menos pressão. Esta vitória fez-nos ganhar confiança.

uefa.com: Numa equipa com tantas caras novas, será que os objectivos se alteraram em relação aos torneios anteriores?

Bácaro: Não, o objectivo da Itália é sempre o mesmo. A renovação da equipa é algo de interno, mas entramos sempre em campo para ganhar tudo. Queremos chegar à final e derrotar quem nos surgir pela frente. Temos, ainda assim, consciência de que desta vez será mais complicado. Espanha e Rússia são selecções muito fortes, mas todos os países presentes na prova serão difíceis de bater.

uefa.com: Como está a sua lesão no joelho?

Bácaro: Em geral sinto-me bem. Surgiu-me apenas esta dor repentina no joelho cerca de três dias antes do arranque da fase final, que não me permitiu treinar da forma ideal. Mas, graças aos nossos fisioterapeutas, estou totalmente recuperado da minha anterior lesão. Venho com uma grande ambição para esta competição, quer a nível pessoal, quer a nível colectivo, e espero que possamos ir muito longe na prova e atingir a final.