Espanha rejubila com regresso ao trono no Futsal EURO

O UEFA.com reúne as reacções ao triunfo da Espanha no Futsal EURO em que José Venancio López elogiou "a melhor equipa que já treinei" após ter conquistado o seu quarto título.

A Espanha celebra a conquista do UEFA Futsal EURO 2016
A Espanha celebra a conquista do UEFA Futsal EURO 2016 ©Getty Images

José Venancio López, seleccionador da Espanha
Tenho de dar os parabéns à UEFA e à Federação da Sérvia pela organização deste grande espectáculo. Foi um grande torneio e um grande passo em frente para o futsal europeu. Falando do torneio, é meu dever dar os parabéns ao terceiro classificado Cazaquistão, à finalista vencida Rússia e à quarta classificada Sérvia, bem como à minha equipa. Eles trabalharam arduamente, de forma muito concentrada e foram uma equipa muito séria. Os meus jogadores mostraram a todos que são os melhores e que nós temos a melhor equipa.

Fomos magníficos na primeira parte e fizemos tudo aquilo que tínhamos planeado. Correu melhor do que aquilo que tínhamos previsto. Queríamos impedir a Rússia de movimentar a bola da forma que gostam e conseguimos marcar dois golos na sequência de recuperações de bola. A partir desse momento estivemos sempre no controlo das operações e defendemos o guarda-redes avançado de forma brilhante. Sempre que ganhávamos a posse de bola marcávamos um golo.

O modo como temos trabalhado, os jogadores, a federação... é muito importante. O torneio é a prova que a nossa Liga é a melhor da Europa e os jogadores voltaram a surpreender-me. Quando chegámos aqui a Belgrado eu disse-lhes algo importante: "Vocês são a melhor equipa que eu já treinei". E eu treinei muitas! Eles merecem seguramente esta vitória.

Veja o resumo da final
Veja o resumo da final

Sergei Skorovich, seleccionador da Rússia
Aquilo que posso dizer neste momento é que perdemos e que a Espanha foi melhor. Tudo aquilo que me compete fazer é dar-lhes os parabéns. Estávamos preparados para as bolas paradas da Espanha, uma vez que sabíamos que eles são muito bons nesse capítulo. Também nos preparámos para a pressão da Espanha, até porque estávamos cientes que era muito perigoso cometermos erros no nosso meio-campo. No entanto, graças aos erros que cometemos vimo-nos com uma desvantagem de quatro golos e já não havia como parar a Espanha. Fizemos algumas coisas boas e outras más, mas de qualquer das formas a Espanha soube aproveitar os nossos erros. Foram eles que nos forçaram a errar.

A ausência de qualquer jogador pode influenciar o jogo. Hoje foi o Eder Lima, mas eu não posso criticar os jogadores que estiveram em campo, uma vez que deram o seu melhor. É óbvio que não nos sentimos bem neste momento, mas podemos encarar a ocasião de outra perspectiva: foi a nossa terceira final consecutiva.

Ortiz, capitão da Espanha
Tendo em conta o que aconteceu até à final, o favoritismo para esta noite estava do nosso lado e felizmente esse favoritismo confirmou-se. Jogámos realmente muito bem esta noite e merecemos completamente este resultado. Jogámos bem ao longo de todo o torneio, mas hoje foi a nossa melhor exibição.

O segredo do nosso sucesso aqui na Sérvia foi toda a equipa, cada membro desta família que criámos. Há dois anos não alcançámos o nosso objectivo e sentimo-nos muito mal com isso, pelo que desta feita estivemos aqui de corpo e alma irmandados num objectivo.  Todos deram o seu melhor e o resultado é este lindo troféu. Sonhei em erguer um troféu como este durante muito tempo, pelo que não é difícil como me estou a sentir. Estou muito, muito feliz, mas sobretudo pela equipa e não por mim.

Robinho, jogador da Rússia
Sabíamos exactamente como a Espanha joga. Eles são muito agressivos quando nós temos a bola em nosso poder no nosso meio-campo. Treinámos duramente para isso e sabíamos que não podíamos cometer erros nesse particular. Estávamos a disputar uma final e quando o nosso adversário nos está a pressionar há que ser inteligente e saber quando se deve arriscar ou quando se deve atirar a bola para longe para aliviar o perigo. Isso não aconteceu hoje e nós cometemos erros na primeira parte que nos custaram três golos. É impossível vencer quando se comete erros assim.