Magia de Merlim inspira campeã Itália

Itália 3-0 Azerbaijão
Alex Merlim, jogador que alinha no Sporting, bisou frente ao Azerbaijão e ofereceu à campeã uma estreia vitoriosa.

Watch Merlim's magical double
  • Alex Merlim marca um golo em cada parte e dá à campeã Itália um arranque vitorioso
  • Daniel Giasson também bate o impressionante guarda-redes do Azerbaijão, Rovshan Huseynli
  • Veja o resumo do jogo a partir das 23h00
  • Próximos jogos do Grupo D: Azerbaijão - República Checa (sexta-feira), República Checa - Itália (domingo)

A campeã em título do UEFA Futsal EURO, a Itália, iniciou a sua defesa do troféu no Grupo D com uma vitória, muito por culpa de Alex Merlim, jogador que alinha no Sporting e que marcou um golo em cada parte do jogo.

Os dois guarda-redes estiveram brilhantes na primeira parte, em especial o azeri Rovshan Huseynli, que assinou defesas atrás de defesas. Porém, e com apenas 95 segundos por disputar, Amadeu viu o seu segundo cartão amarelo na partida e recebeu ordem de expulsão, deixando a sua equipa em inferioridade numérica. Alex Merlim soube aproveitar o momento e inaugurou o marcador, antes de fazer o 2-0 quando decorriam apenas nove segundos da etapa complementar.

Daniel Giasson deu, mais tarde, o melhor seguimento a um canto apontado por Murilo, com a missão do Azerbaijão a assumir contornos de impossível. A Itália geriu sempre com mestria a vantagem no resultado e nunca tremeu perante a aposta contrária num quinto jogador de campo.

A chave
O Azerbaijão esteve sob pressão desde o apito inicial, com o imbatível Huseynli a impedir a Itália de transformar essa superioridade em golos, e a verdade é que os azeris pareciam mesmo ter ultrapassado o pior. Contudo, a expulsão de Amadeu deu aos italianos a oportunidade que esperavam e os campeões europeus, em particular Alex Merlim, não desperdiçaram.

Guarda-redes brilham
A reputação do guardião da Itália, Stefano Mammarella, precede-o, tendo saído novamente reforçada com mais uma exibição perfeita. Pese embora o resultado final, talvez Husynli tenha até eclipsado o desempenho do seu colega de posto, ao assinar cerca de 20 defesas. O desaire azeri não começou certamente pela baliza.

Azerbaijão tem de reagir
Agora sob o comando técnico de Tino Pérez, o Azerbaijão continua a demonstrar ter talento, mas por vezes a falta de disciplina acaba por trair a equipa. Contudo, a República Checa parece ser uma adversária acessível, sendo que Pérez é o homem certo para tentar reagrupar um conjunto que não vai poder contar com o suspenso Amadeu.

Reacções:
Roberto Menichelli, seleccionador da Itália
Dou os parabéns aos meus jogadores. Eles estiveram bem e não foi fácil frente a uma boa equipa do Azerbaijão. Começámos bem, somos os campeões e não é nada fácil iniciar um torneio com esse estatuto. Estou um pouco desapontado com o facto de termos tido de defender durante quase toda a segunda parte, mas não tivemos outra escolha perante a opção do adversário em jogador com o guarda-redes avançado. Nós teríamos feito o mesmo se a desvantagem estivesse do nosso lado.

Topo