Ucrânia e Portugal mostram respeito mútuo

Ucrânia e Portugal, as únicas selecções presentes numa final do Futsal EURO sem terem conquistado o troféu, abrem esta segunda-feira os quartos-de-final no Sportpaleis.

Ucrânia e Portugal mostram respeito mútuo
©UEFA.com

Ucrânia e Portugal, as duas únicas selecções presentes numa final do UEFA Futsal EURO sem terem conquistado o troféu, medem forças nos quartos-de-final naquele que será o primeiro embate da fase a eliminar de 2014, no Sportpaleis de Antuérpia, na segunda-feira.

Segundo em 2010, Portugal deixou fugir o primeiro lugar do Grupo B quando empatou 4-4 ante a Rússia, no sábado, isto depois de ter batido a Holanda por 5-0. A Ucrânia derrotou a Roménia por 1-0 e empatou 0-0 frente à anfitriã Bélgica para vencer o Grupo A, tornando-se a primeira equipa a ultrapassar um grupo do Europeu de Futsal sem sofrer qualquer golo e igualando o menor número de golos marcados.

O seleccionador ucraniano Yevhen Ryvkin, que não vai poder contar com o homem que fez a assistência para o golo que valeu a vitória contra a Roménia, o suspenso Oleksandr Sorokin, disse ao UEFA.com: "Portugal é uma equipa muito forte. Se perdermos regressamos a casa, mas vamos ver o que somos capazes de fazer na segunda-feira. Não é possível jogar futsal ou futebol sem uma ponta de sorte. Tivemos isso na fase de grupos, mas não conto apenas com a sorte."

Jorge Braz, cujas duas fases finais no comando de Portugal resultaram em outras tantas derrotas nos quartos-de-final, frente à Itália no UEFA Futsal EURO 2012 e, depois, no Campeonato do Mundo de Futsal, disse: "A Ucrânia é já uma equipa conhecida. Fisicamente muito forte e tecnicamente com jogadores evoluídos.

"Sempre tiveram um tipo de futsal um pouco aleatório e imprevisível, porque conseguem aliar a qualidade técnica à forte capacidade física. Parece-me que nestes últimos anos têm vindo a organizar melhor o seu jogo. Vai ser um jogo difícil, em que teremos de estar atentos aos pontos fortes da Ucrânia, mas o mais importante para os quartos-de-final somos nós. Vamos recuperar e preparar os nossos jogadores."

Gonçalo, que poderá ver o colega de equipa Joel Queirós ficar novamente de fora, devido a uma lesão na planta do pé, acrescentou: "Estamos a mostrar toda a nossa qualidade e que estamos prontos para defrontar qualquer adversário. Não tememos ninguém e apenas temos de nos preocupar em jogar o futsal a que estamos habituados. Todos os jogadores têm a mesma prioridade em mente: a equipa vem primeiro. Se nos mantivermos unidos, então poderemos prosseguir neste caminho de sucesso."

Kyrylo Tsypun rendeu Yevgen Ivanyak na baliza ucraniana para o jogo contra a Bélgica e imitou o seu colega ao não sofrer qualquer golo. Mas é no extremo oposto que, certamente, irão precisar de uma inspiração-extra para repetirem o triunfo por 7-4 sobre Portugal, que lhes valeu ultrapassarem a fase de grupos em 2003, naquele que foi o único embate entre as duas selecções numa fase final.

"Quando é que vamos começar a marcar golos?" referiu Tsypun. "É segredo! Deixamos toda a gente pensar que nunca marcamos, mas no fim iremos marcar quando for mais preciso."

Conteúdos relacionados

Topo