Espanha ganha ritmo, checos lamentam-se

A Espanha mostrou-se feliz por esquecer o deslize inaugural ao golear a República Checa, apesar das lesões estarem a aumentar, enquanto Tomáš Neumann lamentou o desperdício.

Espanha ganha ritmo, checos lamentam-se
©UEFA.com

José Venancio López, seleccionador da Espanha
Amanhã o Torras vai fazer um teste para ver a extensão da lesão [no joelho]. Miguelín e Lin estão em dúvida para o jogo diante da Eslovénia [nos quartos-de-final]. Às vezes estas coisas acontecem, mas é preciso estar preparado e, independentemente do que acontecer, possuímos uma grande equipa.

Pedi aos jogadores para darem uma prova de força. Cumprimos o nosso dever, nada mais. Qualquer equipa pode surpreender, não se pode subestimar nenhum adversário. Tudo é muito equilibrado. A partir de agora, não há margem para erros e não podemos falhar como aconteceu na primeira jornada.

Fernandão, avançado da Espanha
Isto é um Campeonato da Europa, e todos querem dar o máximo. A equipa não tem outro objectivo que não alcançar a final. Não foi mau empatar com a Croácia. Ficou um amargo de boca e não queremos que isso se repita. Penso que podemos fazer melhor.

A Eslovénia é uma equipa forte fisicamente. Recentemente, em dois jogos, ganhámos um e empatámos outro. Mas agora vai ser completamente diferente, pois é a eliminar, por isso a abordagem das duas equipas vai ser muito distinta em relação a esses amigáveis.

Tomáš Neumann, seleccionador da República Checa  
Jogámos muito bem na primeira parte. Tivemos cerca de cinco oportunidades, mas não as aproveitámos. Na segunda parte, a Espanha fez o que tinha a fazer. Tentámos marcar, tivemos algumas ocasiões, mas a Espanha foi melhor na etapa complementar.

Na nossa opinião, o jogo frente à Croácia era crucial para chegar aos quartos-de-final, pois era preciso vencer, por isso foi uma pena não termos conseguido.

Conteúdos relacionados

Topo