Herói Capar volta a salvar a Croácia

Croácia 3-3 República Checa
Matija Capar voltou a fazer das suas e resgatou um ponto para os croatas nos instantes finais. O Grupo D terá emoção até ao fim.

Herói Capar volta a salvar a Croácia
©Getty Images

Um golo ao cair do pano de Matija Capar valeu à Croácia um empate 3-3 frente à República Checa, em partida referente ao Grupo D do UEFA Futsal EURO 2014.

Os checos pareciam destinados a garantir o apuramento logo na sua estreia na prova, mas Capar, que já tinha feito o mesmo há dois dias, frente à campeã Espanha, foi lançado para guarda-redes avançado e logrou marcar a pouco mais de um minuto do fim. O desfecho significa que a Croácia apura-se com qualquer resultado que não o empate no Espanha-Rep. Checa. Em caso de igualdade nessa partida, o desempate será feito pelo maior número de golos marcados.

O jogo arrancou a um ritmo elevado e com muito contacto físico, com a República Checa a acumular rapidamente três faltas. O primeiro lance de verdadeiro perigo, esse, surgiu aos quatro minutos, quando Jiří Novotný substituiu o seu guarda-redes e salvou quase em cima da linha fatal o remate de Franko Jelovčić.

O equilíbrio era a nota dominante do encontro, mas eram os croatas que iam desfrutando das melhores ocasiões para se adiantarem no marcador. Jelovčić voltou a ter nos pés o 1-0, mas falhou na hora da verdade, antes de Kristijan Grbeša também errar o alvo por pouco.

Aquilo que a Croácia não conseguia ser - eficiente - logrou-o a República Checa na primeira grande ocasião de que dispôs, aos nove minutos. Jiří Novotný fez tudo bem no lado esquerdo, passando pelo seu marcador directo antes de bater o guardião Ivo Jukić com um remate rasteiro.

A Croácia não perdeu a compostura e operou a reviravolta no marcador ainda na primeira parte. Dario Marinović cobrou um canto no lado esquerdo e picou a bola na perfeição para o disparo imparável, de primeira, de Jelovčić, ao que se seguiu uma combinação letal entre Tihomir Novak e Marinović, com este último a ter apenas de dar o toque final.

Os checos não poderiam ter pedido um regresso mais inspirado para a segunda parte, já que Mareš precisou apenas de 28 segundos para voltar a igualar a partida, num lance em que Jukić deixou escapar a bola por entre as mãos quando a parecia ter controlada.

O tento acelerou ainda mais o já de si dinâmico jogo e Marinović só não bisou porque David Frič leu bem o lance e dobrou o seu guarda-redes. A toada de parada e resposta fazia adivinhar novo golo e ele surgiu mesmo, mas do outro lado. Uma excelente jogada ao primeiro toque do ataque checo permitiu a Belej dar nova cambalhota ao resultado.

A Croácia voltou à carga e foi desperdiçando várias oportunidades para obrigar a novo empate, mas os checos também podiam ter marcado, com Jukić a defender o penalty duplo de Seidler. Numa última e desesperada tentativa, os croatas lançaram o guarda-redes avançado Capar e este voltou a vestir a pele de herói, tal como já tinha feito contra a Espanha.

Topo