Capar: Golo ainda mais especial

Após voltar a salvar a Croácia com um golo perto do fim como guarda-redes avançado, Matija Capar explicou por que razão o empate com a República Checa foi ainda mais especial.

A Croácia faz a festa no final do jogo
A Croácia faz a festa no final do jogo ©Sportsfile

Matija Capar, guarda-redes da Croácia
Não vencemos, mas o empate acaba por ser positivo para nós, pois a República Checa vai agora ter de defrontar a Espanha e nós estamos ficamos apurados a menos que esse jogo termine 4-4 ou 5-5.

A sensação é fantástica, porque no banco de suplentes todos gritavam: "Acreditem, acreditem, acreditem". Há cinco anos perdemos com a República Checa na fase de qualificação depois de eles marcarem um golo a três segundos do fim. Nunca esqueci esse jogo e quando foi o sorteio fiquei satisfeito por reencontrar a República Checa. Queria ajustar contas.

Esta noite nem sempre as coisas nos correram bem, mas acreditámos sempre. Temos um excelente espírito de grupo e uma equipa jovem. Acreditávamos que éramos melhores do que a República Checa, mas sabíamos que eles eram uma equipa que parece sempre ter sete vidas. Eles deram a volta depois de estarem a perder por 2-1 e ter conseguido, depois, marcar o golo do empate foi fantástico.

Espero que o jogo de domingo termine 2-2, para seguirmos em frente como vencedores do grupo, mas o importante é seguirmos em frente.

Marin Smoje, seleccionador-adjunto da Croácia
Foi um grande jogo. Quero felicitar a República Checa, que esteve muito bem. Mas conseguimos escapar à derrota e estou muito feliz por isso. O Matija Capar salvou-nos, mas é isso que esperamos dele. Agora vamos esperar pelo jogo de domingo. Vamos estar a torcer pela Espanha mas, de certa forma, sentimos que já estamos apurados.

Tomáš Neumann, seleccionador da República Checa
Foi um jogo totalmente louco. Ganhámos vantagem, depois foi a Croácia a estar na frente, voltámos a virar o marcador e por fim a Croácia chegou ao empate. Cometemos muitos erros, o que é inaceitável num torneio como este. Nos últimos dez minutos não conseguimos jogar o nosso futsal habitual e não conseguimos marcar mais golos. Foi pena não termos conseguido aproveitar o livre de dez metros de que beneficiámos. Agora temos de nos preparar para defrontar a Espanha.

Roman Mareš, avançado da República Checa
Não entrámos bem no jogo, era a nossa estreia neste Europeu. Marcámos um golo, isso tranquilizou-nos um pouco, mas eles deram a volta ao resultado. Na segunda parte voltámos a ganhar vantagem, mas sabíamos que precisávamos de mais um golo e não o conseguimos marcar. Vimos o jogo entre a Croácia e a Espanha e estávamos preparados para a tácticas deles. O nosso treinador fez um bom trabalho.

Topo