"Hat-trick" de André Silva inspira Portugal

Com três golos em 25 minutos da primeira parte, André Silva marcou uma exibição de sonho que catapultou Portugal para um triunfo tranquilo na visita às Ilhas Faroé.

Depois de Andorra em casa na sexta-feira, Portugal registou a segunda vitória seguida por 6-0 ao bater as Ilhas Faroé, em Tórshavn.

Três golos do jovem avançado André Silva no espaços de 25 minutos da primeira parte, antes de Cristiano Ronaldo, João Moutinho e João Cancelo marcarem após o intervalo, ajudaram Portugal a conseguir um triunfo tranquilo que lhe valeu subir ao segundo lugar do Grupo B da Qualificação Europeia para o Mundial 2018.

A selecção lusa surgiu em campo com as novidades Antunes, João Mário e William Carvalho a renderem Raphael Guerreiro, João Moutinho e Bernardo Silva, e cedo se perceberam dificuldades na adaptação ao piso sintético do estádio.

Contudo, a noite de André Silva estava prestes a começar e o ponta-de-lança marcou na primeira vez que surgiu na cara de Gunnar Nielsen (12), irrompendo por entre os defesas-centrais para concluir a assistência de João Mário.

O instinto para o golo do dianteiro do FC Porto foi ainda mais notório quando, dez minutos depois, surgiu no sítio certo a cabecear para o fundo das redes após ressalto. Este golo teve o condão de acalmar a equipa portuguesa e promover um jogo mais seguro.

Os anfitriões mostravam-se inofensivos e o atacante português insaciável, pelo que, pouco depois da meia-hora, consumou o “hat-trick” a terminar uma jogada em que interveio outro jovem em bom plano em Tórshavn, João Cancelo. A segunda parte começou com Pepe a encurtar as opções da selecção para próximo jogo, ao ser admoestado com o cartão amarelo, mas Cristiano Ronaldo depressa chamou a si o protagonismo, com o golo 66 (em 135 jogos por Portugal), ao minuto 65.

A diferença de qualidade não se esbateu com o quarto golo de Portugal, que aproveitou para tentar ampliar a vantagem face a uma equipa local que continuava a não ter bola e cada vez mais permeável em contra-ataque. O resto ficou guardado para os descontos, com o suplente João Moutinho a fazer o 5-0 antes de Cancelo fechar a contagem e manter a média de um golo por internacionalização (3/3), aliás tal como André Silva.

Figura: André Silva (Portugal)
A menos de um mês de completar 21 anos, o jovem avançado, após estrear-se a marcar na sexta-feira contra Andorra, fez dos minutos 12, 22 e 37 uma equação de sonho na sua ainda recente carreira ao consumar um “hat-trick” ao quarto jogo pela selecção. Notável.

Momento: Minuto 37
A viver uma noite de sonho, André Silva já se distinguira pela rapidez e posicionamento nos dois golos anteriores, mas com Nielsen (mais uma vez!) a não segurar um remate de Portugal, a história multiplicou-se por três em dia de aniversário (62 anos) do seleccionador que o lançou, Fernando Santos.

Reacções:
André Silva, avançado de Portugal
Não tenho palavras para o que está a suceder. É um sonho concretizado. Em campo só penso meter a bola no fundo das redes. Temos muitos jogadores com muita qualidade e muitos jogos pela frente, cabe ao mister decidir quem vai jogar.

Fernando Santos, seleccionador de Portugal
A equipa cumpriu o plano previsto e com uma atitude muito correcta. Hoje pareceu que o jogo foi fácil, mas nos dois jogos anteriores esta equipa mostrou que tinha qualidade. Eles interpretaram a atitude e foram fantásticos. As questões individuais têm que ver com trabalho de equipa. E quando assim é os mais jovens podem crescer. Depois do 4-0 desacelerámos um bocadinho, mas depois a equipa voltou a acelerar e é isso que eu quero, e será isso que vamos continuar a manter. Temos de continuar a depender apenas de nós e a ganhar os nossos jogos.

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
Topo