Vitória em mente na recepção à Hungria

Fernando Santos acredita que "com maior ou menor dificuldade" Portugal irá vencer a Hungria, enquanto Bernd Storck afirma que a sua equipa "não tem nada a perder" frente ao campeão da Europa.

©Getty Images

  • Portugal venceu os últimos três jogos do Grupo B, marcando 14 golos
  • A Hungria venceu os dois últimos encontros de qualificação
  • Fernando Santos acredita na vitória num estádio cheio a apoiar
  • Bernd Storck afirma que a Hungria "não tem nada a perder"
  • Adrien e Nani são baixas por lesão

Fernando Santos, seleccionador de Portugal
Acredito que a Hungria vai jogar no contra-ataque, o que era bom sinal. Nós queremos dominar o jogo e esperamos que por causa disso sejam obrigados a jogar no contragolpe. Mas a Hungria não é uma equipa que jogue assim por opção. Gostam de ter a bola, de sair a jogar, com dois médios que gostam de começar a construir de trás. Não acredito que vão mudar, acho que vão tentar continuar iguais a si próprios. Estamos preparados para as suas saídas no contra-ataque.

Analisámos bem o jogo em França, o que fizemos de bem e de mal para tentar corrigir o que de mal se passou e melhorar ainda mais o que correu bem. Temos um objectivo comum que é o apuramento para o Campeonato do Mundo e dependemos apenas de nós. Eles vão tentar fazer o seu trabalho. Pela qualidade que têm e pelo trabalho do seu treinador há que ter isso em conta. Acho que vai ser um jogo difícil e que acredito que com maior ou menor dificuldade, vamos vencer.

Temos a humildade de reconhecer o valor dos adversários e tentar ganhar. Vimos os quatro jogos da Hungria e não há muita diferença em relação ao EURO. Espero um estádio cheio e que empurre a nossa equipa rumo à vitória, à semelhança do que aconteceu no EURO e também neste apuramento. As coisas são diferentes agora, pois no EURO jogaram o jogo pelo jogo, já estavam apurados e nós apenas precisávamos do empate. Vão ser jogos totalmente distintos e neste a ambição de ambas será a vitória.

Bruno Alves, defesa de Portugal
Esperamos um jogo difícil, mas que queremos ganhar para continuar na procura do nosso objectivo que é o apuramento. A Hungria é uma equipa forte e que procura o mesmo que nós, mas estamos preparados para vencer. Sabem como fazer golos, fizeram dois à Suíça na qualificação e marcaram-nos três no EURO. Temos que defender bem, marcar golos e ganhar.

Acredito que vão jogar da mesma maneira que no EURO. São fortes colectivamente, nas bolas paradas e vão tentar defender e sair no contra-ataque. Vai ser um jogo intenso, um bom jogo que queremos ganhar, pois é muito importante para nós. Vamos tentar eliminar a concorrência e tentar chegar ao objectivo o mais rápido possível. Temos trabalhado bem, vamos ter que defender como equipa e estamos prontos para a vitória.

Bernd Storck, seleccionador da Hungria
Vai ser um jogo fantástico. Jogamos quatro meses depois contra Portugal. Não temos nada a perder. A situação é clara: Portugal é favorito, mas queremos dar o nosso melhor. No encontro do EURO 2016 também jogámos bem, sem medo, com organização. Temos de marcar golos para ganhar. Estou certo que será um jogo muito interessante. 

Não temos nada a perder. Defrontar o campeão europeu não traz pressão adicional. Portugal é que carrega esse título. Queremos fazer o nosso jogo, representar o nosso país da melhor maneira e mostrar que temos jogadores de qualidade.

Balász Dzsudzák, avançado da Hungria
O jogo contra Portugal tem um peso muito grande, mas não penso que a nossa qualificação dependa exclusivamente deste jogo. Queremos conseguir aqui o melhor resultado possível, mas ainda faltam muitas jornadas. Um bom resultado será um passo importante, sem dúvida, até porque jogamos em casa de uma selecção forte e que é nossa concorrente directa.

Topo