Mundial 2018: Golos de Cavani afastam Portugal

O Uruguai bateu Portugal por 2-1, com Edinson Cavani a bisar, e marcou encontro com a França nos quartos-de-final do Mundial 2018.

Um bis de Edinson Cavani fez a diferença
Um bis de Edinson Cavani fez a diferença ©Getty Images

O Uruguai bateu Portugal por 2-1 e marcou encontro com a França nos quartos-de-final do Campeonato do Mundo da FIFA de 2018. 

Cristiano Ronaldo fez o primeiro remate com perigo do encontro, com Fernando Muslera a defender, mas foi o Uruguai ganhou vantagem aos sete minutos. Edinson Cavani fez uma mudança de flanco para Luis Suarez e desmarcou-se rapidamente para surgir a cabecear no coração da área sem hipóteses de defesa para Rui Patrício.

Portugal dominava a posse de bola, mas o Uruguai criava mais perigo. Luis Suarez bateu um livre de forma exemplar aos 22 minutos, mas Rui Patrício voou para evitar o golo. A tendência do encontro não se alterou até ao intervalo, com Portugal a mostrar falta de criatividade para ultrapassar a bem organizada defesa uruguaia que segurou com sucesso a vantagem tangencial.

Raphaël Guerreiro fez o primeiro remate da segunda parte em Sochi aos 52 minutos, mas o remate passou ligeiramente ao lado da baliza uruguaia. A equipa de Fernando Santos empatou aos 55 minutos, na sequência de um canto curto, Guerreiro cruzou tenso para um cabeceamento fulminante de Pepe. O primeiro golo sofrido pelos sul-americanos na Rússia.

Os homens de Oscar Tabarez responderam aos 62 minutos. Pepe falhou um corte de cabeça, a bola sobrou para Nahitan Nandez que foi rápido a servir Cavani e o avançado voltou a bater Rui Patrício, desta vez um remate de primeira em arco. Portugal esteve perto de empatar de novo aos 70 minutos, Muslera desentendeu-se com os colegas da defesa e perdeu a bola para Bernardo Silva, o remate do português saiu por cima da baliza. 

Manuel Fernandes foi a última aposta de Portugal, aos 85 minutos, e no minuto seguinte rematou forte, mas à figura de Muslera. Quaresma ainda obrigou o guarda-redes a uma defesa apertada, no final do período de compensação, com o Uruguai a conseguir a passagem à ronda seguinte.

Figura: Edinson Cavani
O avançado do Paris foi decisivo, não fez muitos remates, mas marcou dois excelentes golos. Quando saiu lesionado, o Uruguai já estava lançado para os quartos-de-final.

Momento: Primeiro golo
Dois dos melhores avançados da actualidade, que nasceram em Salto num espaço de apenas 20 dias, combinaram de forma sensacional na jogada que deixou Portugal em desvantagem no jogo a eliminar.

Declarações
Fernando Santos, seleccionador de Portugal
Portugal fez o suficiente para conseguir outro resultado. Há jogos em que não acontece, por vezes as exibições não são tão boas, não são tão conseguidas. Entrámos bem no jogo, criámos condições para fazer o golo, mas não conseguimos. O Uruguai marcou na primeira vez que fez um remate à baliza. Na segunda parte as coisas melhoraram, a equipa foi muito dominadora, fizemos um golo que era o mais difícil, mas acabámos por sofrer mais um golo noutro remate à baliza. Estamos todos muito tristes, mas o futebol é isto.

Bernardo Silva, jogador de Portugal

Estamos muito desiludidos, mas há que aceitar a derrota, parabéns ao Uruguai que tem uma boa equipa e fez um bom jogo. Merecíamos mais neste jogo, mas nas grandes competições é assim, há que estar ao mais alto nível. Portugal conseguiu assumir o controlo do jogo, com mais posse de bola, conseguiu encostar mais o Uruguai ao meio-campo adversário, mas eles têm jogadores com enorme capacidade para o contra-ataque.

Oscar Tabarez, seleccionador do Uruguai

Foi um jogo difícil, o nosso adversário teve mais posse de bola e jogou mais no nosso meio-campo. Tínhamos o jogo controlado, mas cometemos um erro defensivo. Fomos fortes mentalmente e conseguimos encontrar espaços para voltar a marcar. Estamos felizes e preparados para o próximo adversário que é a França.

Topo