Wilmots exulta com exibição belga

Marc Wilmots não poupou nos elogios a Eden Hazard e a Kevin De Bryune pelas exibições realizadas na vitória por 4-0 da Bélgica sobre uma Hungria cheia de orgulho por ter chegado aos oitavos-de-final.

Watch Belgium storm into the last-eight in Toulouse with Eden Hazard getting the pick of the goals with a fine individual effort.

Marc Wilmots, seleccionador da Bélgica
Disse a Eden [Hazard] que queria vê-lo a marcar um golo numa diagonal para dentro. Ele não tem estado suficientemente perto da baliza e precisa de se divertir em campo. Um capitão não pode limitar-se às palavras e por vezes tem de falar com os pés. Foi o que ele fez hoje.

Podíamos ter chegado ao intervalo a ganhar por 3-0 e deixámos o resultado em 1-0 demasiado tempo. Marcámos o segundo e o terceiro golos num curto espaço de tempo, mas desperdiçámos muitas ocasiões, e nos grandes jogos, quando se falha muito, paga-se caro.

Joguei quase com quatro avançados, no esquema de 4-2-3-1, com dois médios defensivos a garantir que não dávamos muitos espaços, mas tenho de dizer que Kevin De Bryune, sempre que perdeu a bola, fez um esforço enorme para recuperá-la rapidamente. É isso que torna a equipa forte. Quando não temos a bola, não permitimos muitas oportunidades.

Eden Hazard, autor de um dos golos da Bélgica e Melhor em Campo
Foi um grande jogo. Merecemos a vitória. Podíamos ter marcado mais, mas o guarda-redes fez excelentes defesas. O que importa é que estamos felizes por passar aos quartos-de-final.

Ainda não ganhámos nada. Vamos pensar num jogo de cada vez. Defrontámos uma grande equipa e quero congratular a Hungria por ter dado tudo. Penso que fomos sólidos, criámos muitas jogadas de perigo e não permitimos muitas.

Bernd Storck, seleccionador da Hungria
É muito difícil analisar o jogo depois de termos perdido por 4-0, sobretudo pela forma como fomos derrotados. Primeiro, gostava de dar os parabéns à Bélgica por chegar aos quartos-de-final. Não fiquei muito satisfeito por termos sofrido um golo de bola parada na primeira parte. Não fomos tão bravos e compactos como nos jogos anteriores. Faltou-nos confiança.

Disse aos jogadores ao intervalo que tinham de ser mais ambiciosos e criar mais oportunidades. Estivemos perto de empatar, mas quando ia arriscar ainda mais sofremos o segundo golo. Continuámos a tentar atacar e foi por isso que ficámos expostos atrás.

Gábor Király, guarda-redes da Hungria
Penso que demos o máximo. Estamos todos exaustos. Esta equipa merece tudo. Tivemos muitos adeptos e todo o país ao nosso lado. Foi um torneio muito positivo para nós, pois ganhámos o nosso grupo. Defrontámos uma Bélgica perfeita, que tem grandes hipóteses de ganhar este EURO. Desfrutámos de todos os momentos.

Topo