Ross Barkley brilha por Inglaterra

Ross Barkley está a fazer uma época no Everton e esta sexta-feira realizou uma grande exibição por Inglaterra, dando a sensação que também se está a afirmar na selecção.

1010_EQ_MD9_ENGEST_AMB

A Inglaterra vai viajar para a Lituânia, para o último jogo do Grupo E na segunda-feira, com a esperança de terminar a qualificação com o registo perfeito de dez vitórias em dez jogos, mas foi um outro número dez que esteve no centro das atenções depois do jogo de sexta-feira.

Ross Barkley, o jovem médio do Everton, foi eleito o homem do jogo na primeira vez que jogou em Wembley. A distinção foi motivada por uma exibição de grande criatividade no papel de número 10, e que ajudou a Inglaterra a bater a Estónia por 2-0 e a manter o único registo 100 por cento vitorioso na qualificação para o UEFA EURO 2016.

O ponto alto da exibição foi, sem dúvida, o passe que permitiu a Theo Walcott dar vantagem à Inglaterra no final no primeiro tempo. O jovem de 21 anos, natural de Liverpool, fez a bola passar por entre as pernas do estoniano Karol Mets e atravessar a área na diagonal, para a conclusão de Walcott por trás da defesa.

O avançado do Arsenal elogiou Barkley no final do encontro. "O Ross jogou com muita liberdade esta noite, é visível que tem muita classe com a bola. O treinador entregou-lhe a tarefa de organizar o jogo e ele agarrou-a com as duas mãos", explicou Walcott.

Barkley não ficou por aqui, também mostrou a capacidade, cada vez mais rara nos jogadores ingleses, de fintar os defesas com bola, tal como fez o jovem Wayne Rooney no UEFA EURO 2004, embora os especialistas prefiram fazer comparações com o estilo de jogo de Paul Gascoigne. Barkley, que ainda está a aprender, mostrou o seu talento em duas jogadas no segundo tempo, quando passou pelo meio de dois adversários como se fosse um esquiador. Esteve perto de marcar em ambas ocasiões, mas o primeiro remate saiu ao lado e o segundo foi travado pelo guarda-redes.

"Tenho de reconhecer que o guarda-redes esteve bem", afirmou Barkley. "Peguei bem na bola, mas devia ter rematado rasteiro, o guarda-redes fez uma grande defesa. Fiquei desiludido por não marcar, mas o mais importante foi ganharmos o jogo e manter a invencibilidade no grupo. Fiz uma assistência e fico satisfeito por isso."

Topo