O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Jogadores europeus com mais jogos: Ronaldo

Cristiano Ronaldo é futebolista europeu com mais jogos pela sua selecção: 184.

Cristiano Ronaldo soma 184 jogos por Portugal, recorde europeu
Cristiano Ronaldo soma 184 jogos por Portugal, recorde europeu Sportsfile via Getty Images

Cristiano Ronaldo fugiu ainda mais ao espanhol Sergio Ramos como o jogador europeu com mais internacionalizações pela respectiva selecção nacional sénior.

O capitão de Portugal somou depois mais três partidas na Qualificação Europeia ao encerrar a fase de grupos de apuramento para o Campeonato do Mundo da FIFA de 2022 com uma derrota diante da Sérvia, por 2-1, a 14 de Outubro, resultado que obriga os lusos a disputarem o "play-off".

Ao alcance de Ronaldo e de Ramos está o máximo mundial de 195 na posse de Soh Chin Ann, da Malásia. Fique a conhecer os dez jogadores europeus com mais internacionalizações.

  • Recordista mundial: Soh Chin Ann (Malásia) 195

184: Cristiano Ronaldo (Portugal)*
De longe o melhor marcador europeu ao nível de selecções, Ronaldo ultrapassou a marca dos 100 golos por Portugal em Setembro de 2020, igualou o recorde mundial de 109 tentos do iraniano Ali Daei durante o UEFA EURO 2020 e quebrou-o a 1 de Setembro de 2021 num jogo da Qualificação Europeia. O vencedor do UEFA EURO 2016 é um ano mais velho do que Sergio Ramos, seu antigo colega no Real Madrid – que não constou dos convocados da Espanha nos últimos jogos – e ultrapassou-o em Outubro de 2021.

Grandes golos de Ronaldo por Portugal
Grandes golos de Ronaldo por Portugal

180: Sergio Ramos (Espanha)*
Ramos ultrapassou o antigo recorde europeu de Gianluigi Buffon de 176 internacionalizações pela Espanha no jogo da UEFA Nations League, na Suíça, a 14 de Novembro de 2020. Jogador europeu mais jovem a chegar aos 100 jogos em Março de 2013, aos 26 anos de idade, Ramos tem dois título no Campeonato da Europa e um Mundial no seu palmarés. "Gostaria de continuar a representar a Espanha por muitos mais anos", disse. "Se necessário, irei ao Qatar [para o Mundial de 2022] com uma barba grisalha."

176: Gianluigi Buffon (Itália)
Campeão do Mundo em 2006, Buffon somou a última internacionalização pela Itália em Março de 2018, num amigável diante da Argentina. Esse feito superou o momento em que, em 2011, ultrapassou o recorde nacional de Dino Zoff de 111 jogos pela selecção. "Quando me estreei pela Itália em 1997, chegar a estes números era apenas um sonho para mim", disse.

Veja cinco defesas fantásticas de Buffon
Veja cinco defesas fantásticas de Buffon

167: Vitālijs Astafjevs (Letónia)
"Eu amo o futebol e sempre amei", afirmou o voluntarioso médio quando fez a sua última partida internacional, com 39 anos, em Novembro de 2010. O auge da carreira de Astafjevs ocorreu quando representou a Letónia no UEFA EURO 2004: "Conseguimos um milagre e todos ficaram espantados" disse. "Foi uma verdadeira felicidade."

167: Iker Casillas (Espanha)
Guarda-redes fantástico no Real Madrid, Casillas afirmou que representar a Espanha era algo especial: "Responsabilidade. Orgulho. Satisfação. Felicidade. Compromisso. Respeito por quem me precedeu. Uma infinidade de palavras – e dar tudo pelos adeptos espanhóis." Tal como Ramos, conquistou dois Europeus e um Mundial pelo seu país.

Destaques da carreira de Iker Casillas
Destaques da carreira de Iker Casillas

157: Martin Reim (Estónia)
"Não há maneira de eu continuar a jogar até morrer", disse o médio Reim no seu jogo de despedida – aos 38 anos – em 2009, concluindo uma carreira de 17 anos na selecção. O baluarte do Flora Tallinn apenas por uma vez jogou no estrangeiro, nos finlandeses do KooTeePee. Mais tarde, desempenhou o cargo de seleccionador da Estónia entre 2016 e 2019.

150: Lothar Matthäus (Alemanha/República Federal da Alemanha)
Campeão europeu em 1980 e mundial em 1990, o esteio do meio-campo atravessou duas eras do futebol germânico. Médio "box-to-box, Matthäus passou a parte final da sua carreira a jogar como líbero e sobre ele disse Diego Maradona: "É o maior rival que jamais enfrentei. Penso que é tudo o que precisam de saber."

Lothar Matthäus com o troféu após o triunfo no Campeonato do Mundo em 1990
Lothar Matthäus com o troféu após o triunfo no Campeonato do Mundo em 1990Bongarts/Getty Images

148: Anders Svensson (Suécia)
O médio e especialista em livres directos terminou a carreira internacional em Novembro de 2013, sublinhando: "É tempo de eu sair e abrir caminho aos jogadores mais jovens". "Taco-Anders" – assim apelidado devido ao seu prato favorito – alinhou em dois Campeonatos do Mundo e três Campeonatos da Europa.

146: Robbie Keane (República da Irlanda)
Keane despediu-se da selecção em Agosto de 2016, após 68 golos em mais de 18 anos ao serviço da Irlanda. Ronaldo, Ferenc Puskás, Sándor Kocsis, Miroslav Klose e Robert Lewandowski são os únicos jogadores europeus que marcaram mais golos. "Excedeu todas as esperanças que tinha quando era um miúdo maluco por futebol em Dublin", disse Keane sobre a sua carreira.

 Robbie Keane festeja um golo pela Irlanda
Robbie Keane festeja um golo pela IrlandaAFP via Getty Images

146: Luka Modrić (Croácia)*
O maestro croata passou o seu antigo companheiro de selecção Darijo Srna para se tornar no jogador com mais jogos pelo seu país em Março de 2021. "Quando vais parar de jogar?", perguntou a sua esposa Vanja à figura que inspirou a caminhada da Croácia até à final do Campeonato do Mundo de 2018. "Não sei, meu amor", foi a resposta. "Vais ter de ser um pouco mais paciente."

144: Anatoliy Tymoshchuk (Ucrânia)
O UEFA EURO 2016 foi o fim da linha para Tymoshchuk na selecção, pela qual atingiu os 100 jogos em 2010. Doze meses mais tarde foi eleito o melhor jogador da Ucrânia pós-independência. Retirou-se dos relvados com 37 anos, em 2017, dizendo: "Terminei de forma tranquila a minha carreira de jogador e vou fazer uma pausa para reflectir sobre o meu novo estatuto."

*ainda em actividade na selecção