O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Jogadores europeus com mais jogos: Ronaldo

Cristiano Ronaldo deixou para trás Sergio Ramos como o futebolista europeu com mais jogos pela sua selecção.

Ronaldo tem 182 internacionalizações por Portugal
Ronaldo tem 182 internacionalizações por Portugal AFP via Getty Images

Cristiano Ronaldo fugiu ainda mais a espanhol Sergio Ramos como o jogador europeu com mais internacionalizações pela respectiva selecção nacional sénior.

O capitão de Portugal somou a sua 181ª internacionalização no encontro amigável com o Qatar,a 9 de Outubro de 2021, isto depois de ter igualado o registo de 180 jogos de Ramos a 1 de Setembro, diante da República ca Irlanda. Somou entretanto mais uma no jogo na Qualificação Europeia diante do Luxemburgo, a 12 de Outubro.

Ao alcance de Ronaldo e de Ramos está o máximo mundial de 195 na posse de Soh Chin Ann, da Malásia. Fique a conhecer os dez jogadores europeus com mais internacionalizações.

  • Recordista mundial: Soh Chin Ann (Malásia) 195

182: Cristiano Ronaldo (Portugal)*
De longe o melhor marcador europeu ao nível de selecções, Ronaldo ultrapassou a marca dos 100 golos por Portugal em Setembro de 2020, igualou o recorde mundial de 109 tentos do iraniano Ali Daei durante o UEFA EURO 2020 e quebrou-o a 1 de Setembro de 2021 num jogo da Qualificação Europeia. O vencedor do UEFA EURO 2016 é um ano mais velho do que Sergio Ramos, seu antigo colega no Real Madrid – que tem estado ausente dos convocados da Espanha nos últimos jogos – e ultrapassou-o em Outubro de 2021.

Grandes golos de Ronaldo por Portugal
Grandes golos de Ronaldo por Portugal

180: Sergio Ramos (Espanha)*
Ramos ultrapassou o antigo recorde europeu de Gianluigi Buffon de 176 internacionalizações pela Espanha no jogo da UEFA Nations League, na Suíça, a 14 de Novembro de 2020. Jogador europeu mais jovem a chegar aos 100 jogos em Março de 2013, aos 26 anos de idade, Ramos tem dois título no Campeonato da Europa e um Mundial no seu palmarés. "Gostaria de continuar a representar a Espanha por muitos mais anos", disse. "Se necessário, irei ao Qatar [para o Mundial de 2022] com uma barba grisalha."

176: Gianluigi Buffon (Itália)
Campeão do Mundo em 2006, Buffon somou a última internacionalização pela Itália em Março de 2018, num amigável diante da Argentina. Esse feito superou o momento em que, em 2011, ultrapassou o recorde nacional de Dino Zoff de 111 jogos pela selecção. "Quando me estreei pela Itália em 1997, chegar a estes números era apenas um sonho para mim", disse.

Veja cinco defesas fantásticas de Buffon
Veja cinco defesas fantásticas de Buffon

167: Vitālijs Astafjevs (Letónia)
"Eu amo o futebol e sempre amei", afirmou o voluntarioso médio quando fez a sua última partida internacional, com 39 anos, em Novembro de 2010. O auge da carreira de Astafjevs ocorreu quando representou a Letónia no UEFA EURO 2004: "Conseguimos um milagre e todos ficaram espantados" disse. "Foi uma verdadeira felicidade."

167: Iker Casillas (Espanha)
Guarda-redes fantástico no Real Madrid, Casillas afirmou que representar a Espanha era algo especial: "Responsabilidade. Orgulho. Satisfação. Felicidade. Compromisso. Respeito por quem me precedeu. Uma infinidade de palavras – e dar tudo pelos adeptos espanhóis." Tal como Ramos, conquistou dois Europeus e um Mundial pelo seu país.

Destaques da carreira de Iker Casillas
Destaques da carreira de Iker Casillas

157: Martin Reim (Estónia)
"Não há maneira de eu continuar a jogar até morrer", disse o médio Reim no seu jogo de despedida – aos 38 anos – em 2009, concluindo uma carreira de 17 anos na selecção. O baluarte do Flora Tallinn apenas por uma vez jogou no estrangeiro, nos finlandeses do KooTeePee. Mais tarde, desempenhou o cargo de seleccionador da Estónia entre 2016 e 2019.

150: Lothar Matthäus (Alemanha/República Federal da Alemanha)
Campeão europeu em 1980 e mundial em 1990, o esteio do meio-campo atravessou duas eras do futebol germânico. Médio "box-to-box, Matthäus passou a parte final da sua carreira a jogar como líbero e sobre ele disse Diego Maradona: "É o maior rival que jamais enfrentei. Penso que é tudo o que precisam de saber."

Lothar Matthäus com o troféu após o triunfo no Campeonato do Mundo em 1990
Lothar Matthäus com o troféu após o triunfo no Campeonato do Mundo em 1990Bongarts/Getty Images

148: Anders Svensson (Suécia)
O médio e especialista em livres directos terminou a carreira internacional em Novembro de 2013, sublinhando: "É tempo de eu sair e abrir caminho aos jogadores mais jovens". "Taco-Anders" – assim apelidado devido ao seu prato favorito – alinhou em dois Campeonatos do Mundo e três Campeonatos da Europa.

146: Robbie Keane (República da Irlanda)
Keane despediu-se da selecção em Agosto de 2016, após 68 golos em mais de 18 anos ao serviço da Irlanda. Ronaldo, Ferenc Puskás, Sándor Kocsis, Miroslav Klose e Robert Lewandowski são os únicos jogadores europeus que marcaram mais golos. "Excedeu todas as esperanças que tinha quando era um miúdo maluco por futebol em Dublin", disse Keane sobre a sua carreira.

 Robbie Keane festeja um golo pela Irlanda
Robbie Keane festeja um golo pela IrlandaAFP via Getty Images

144: Luka Modrić (Croácia)*
O maestro croata passou o seu antigo companheiro de selecção Darijo Srna para se tornar no jogador com mais jogos pelo seu país em Março de 2021. "Quando vais parar de jogar?", perguntou a sua esposa Vanja à figura que inspirou a caminhada da Croácia até à final do Campeonato do Mundo de 2018. "Não sei, meu amor", foi a resposta. "Vais ter de ser um pouco mais paciente."

144: Anatoliy Tymoshchuk (Ucrânia)
O UEFA EURO 2016 foi o fim da linha para Tymoshchuk na selecção, pela qual atingiu os 100 jogos em 2010. Doze meses mais tarde foi eleito o melhor jogador da Ucrânia pós-independência. Retirou-se dos relvados com 37 anos, em 2017, dizendo: "Terminei de forma tranquila a minha carreira de jogador e vou fazer uma pausa para reflectir sobre o meu novo estatuto."

*ainda em actividade na selecção