O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Vagas para o Brasil em jogo

Com Itália e Holanda já apuradas, 29 selecções, entre as quais Portugal, perseguem as sete vagas directas e as oito do "play-off" para o Mundial 2014 no fecho dos grupos.

Vagas para o Brasil em jogo
Vagas para o Brasil em jogo ©AFP/Getty Images

Itália e Holanda estão apuradas para a fase final do Campeonato do Mundo, no próximo Verão, mas ainda falta decidir sete vencedores dos grupos e oito vagas resultantes do "play-off", com a qualificação europeia a concluir-se esta sexta-feira e na próxima terça-feira. O UEFA.com analisa todos os cenários possíveis para as 29 equipas com hipóteses matemáticas de apuramento.

Os nove vencedores dos grupos apuram-se automaticamente para a fase final a 32 equipas, que decorre entre 12 de Junho e 13 de Julho, no Brasil. Os oito segundos classificados com o melhor registo frente ao primeiro, terceiro, quarto e quinto do respectivo agrupamento, seguem para o "play-off", cujo sorteio está agendado para 21 de Outubro, em Zurique. As quatro selecções com melhor classificação no ranking FIFA de 17 de Outubro recebem o estatuto de cabeça-de-série, para os jogos dos dias 15 e 19 de Novembro.

Sorteio da fase final do Mundial: 6 de Dezembro (16h00, de Portugal Continental), Baía

Países apurados: Brasil (anfitrião), Argentina, Austrália, Costa Rica, Irão, Itália, Japão, Holanda, Coreia do Sul, Estados Unidos

Garantidos pelo menos no "play-off" da UEFA: Bélgica, Alemanha

Garantidos num dos dois primeiros lugares: Bósnia e Herzegovina, Croácia, França, Grécia, Espanha (campeã)

Com possibilidade de vencer o grupo: Inglaterra, Islândia, Israel, Montenegro, Polónia, Portugal, Rússia, Eslovénia, Suécia, Suíça, Ucrânia

Com possibilidade de atingir o "play-off": Albânia, Arménia, Áustria, Bulgária, República Checa, Dinamarca, Hungria, Noruega, República da Irlanda, Roménia, Turquia

Grupo A
Apenas duas equipas lutam pelo apuramento: a Bélgica tem cinco pontos de vantagem sobre a Croácia, por isso necessita apenas de um empate na deslocação a Zagreb, no dia 11 de Outubro, para se qualificar. A Croácia precisa de vencer essa partida e, quatro dias depois, bater a Escócia, ao mesmo tempo que espera por um deslize caseiro da Bélgica frente ao País de Gales, de modo a evitar o "play-off".

Grupo B
O triunfo da Itália sobre a República Checa em Turim, deixou-a com sete pontos na frente do grupo e presença garantida no Brasil, ao mesmo tempo que ditou a saída do treinador visitante, Michal Bílek. A Bulgária é segunda classificada, com um ponto de vantagem sobre a Dinamarca, enquanto os checos e a Arménia estão a três de distância. A Bulgária visita a Arménia e depois recebe a República Checa; os nórdicos esperam que vitórias sobre Itália e Malta lhes permitam a subida ao segundo posto, e uma possível vaga no "play-off".

Grupo C
A Alemanha tem mais cinco pontos que a Suécia, cuja recuperação para empatar a quatro em Berlim, em Outubro passado, continua a ser fulcral para manter vivas as suas hipóteses no grupo. Ainda assim, um empate na recepção à República da Irlanda será suficiente para a tricampeã mundial - que tem uma diferença de golos muito superior - mesmo que a Suécia vença a Áustria e depois a Alemanha nos jogos que faltam. A Áustria está a três pontos da Suécia, mas com uma melhor diferença de golos, por isso uma vitória quando se encontrarem, e outra frente às Ilhas Faroé, garantem-lhe o segundo lugar. Quanto à Irlanda, a três pontos dos austríacos, precisa de ganhar na Alemanha e bater o Cazaquistão, esperar que a Suécia perca os dois jogos que ainda lhe restam, e que a Áustria seja derrotada nas Ilhas Faroé, isto se quiser ter hipóteses de ser segunda, com base na diferença de golos.

Grupo D
A Holanda perdeu os seus únicos pontos nesta campanha a 7 de Setembro, por culpa do empate a dois na Estónia, mas depois ganhou por 2-0 em Andorra e garantiu o apuramento, já que a Roménia perdeu em casa com a Turquia, deixando os holandeses com oito pontos de vantagem. Esse resultado permitiu à Hungria ascender ao segundo lugar, com um mais um ponto que Turquia e Roménia, graças à goleada por 5-1 sobre a Estónia. A Hungria desloca-se até à Holanda a 11 de Outubro, antes de defrontar Andorra, por isso ainda há esperança para a Turquia de Fatih Terim, que possui melhor diferença de golos que as três selecções que lutam pelo segundo lugar, e visita a Estónia antes de receber a Holanda. A Roménia pode ultrapassar Hungria e Turquia já que tem um calendário em teoria mais acessível, visitando Andorra e recebendo a Estónia.

Grupo E
O triunfo da Suíça na Noruega, por 2-0, parece o resultado decisivo num grupo onde apenas o Chipre está definitivamente afastado. A equipa de Ottmar Hitzfeld tem cinco pontos de vantagem sobre a Islândia, com Eslovénia, Noruega e Albânia separadas por um ponto. A diferença de golos da Suíça é superior em pelo menos nove golos em relação a qualquer um dos seus rivais, e a formação helvética apura-se se conseguir somar dois pontos nos jogos que lhe faltam, frente a Albânia, fora, e Eslovénia, em casa. A Islândia sabe que triunfos sobre Chipre e Noruega significam, na pior das hipóteses, o segundo lugar. O outro jogo a 11 de Outubro coloca frente-a-frente Eslovénia e Noruega, enquanto quatro dias depois a Albânia desloca-se a Chipre, na esperança de ainda lutar pelo apuramento.

Grupo F
Após uma luta ombro a ombro, a Rússia lidera com um ponto de vantagem sobre Portugal e Israel a cinco de distância, mantendo hipóteses matemáticas. A Rússia viaja até ao Luxemburgo e ao Azerbaijão, enquanto Portugal recebe Israel e Luxemburgo, que averbou uma rara vitória frente à Irlanda do Norte, que lhe permitiu deixar o último lugar do grupo. Israel recebe a Irlanda do Norte a 15 de Outubro na esperança de ter ganho em Portugal.

Grupo G
A vantagem da Bósnia e Herzegovina sobre a Grécia foi anulada em Setembro, mas tem uma diferença de golos superior (15), com a vitória por 2-1 na Eslováquia a vingar a derrota caseira quatro dias antes, acabando de vez com as hipóteses do conjunto eslavo, única equipa a poder alcançar os dois primeiros lugares. A primeira qualificação de sempre será uma realidade para a Bósnia-Herzegovina se ganhar na recepção ao Liechtenstein e na deslocação à Lituânia. A menos que a Grécia consiga bater Eslováquia e Liechtenstein por margem suficiente para anular essa diferença de golos, precisa que a Bósnia-Herzegovina perca pontos.

Grupo H
O empate a zero da Inglaterra em Kiev deixou-a com um ponto de vantagem sobre Ucrânia e Montenegro, com a Polónia a dois de distância. Vitórias em Wembley, sobre Montenegro e Polónia, serão suficientes para a Inglaterra ganhar o grupo. A Ucrânia, cuja diferença de golos é superior a Montenegro em oito mas inferior à Inglaterra em sete, recebe a Polónia e visita São Marino. No derradeiro dia, Montenegro enfrenta a República Moldava, na esperança de que, se ganhou em Inglaterra, mais uma vitória garante pelo menos um dos dois primeiros lugares.

Grupo I
A Espanha lidera graças à melhor diferença de golos em relação à França, faltando-lhe dois jogos, contra apenas um dos "bleus", com mais nenhuma das equipas no único grupo de cinco a ter hipóteses de apuramento. A campeã qualifica-se se somar quatro pontos na recepção a Bielorrússia e Geórgia, com o segundo desses desafios agendados para 15 de Outubro, dia em que a França recebe a Finlândia.

Conteúdos relacionados