O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Dinamarca volta a acreditar

A Dinamarca defronta a Bulgária na terça-feira com espírito renovado após a vitória crucial por 3-0 frente à República Checa, descrita por Morten Olsen como "uma das mais importantes".

A Dinamarca venceu a República Checa por 3-0 na sexta-feira
A Dinamarca venceu a República Checa por 3-0 na sexta-feira ©AFP/Getty Images

Depois de um mau início de campanha de qualificação para o Campeonato do Mundo de 2014, a Dinamarca vai defrontar a Bulgária, na terça-feira, com a esperança de que possa conseguir um bilhete de acesso ao torneio no Brasil.

Os pupilos de Morten Olsen finalmente deram novo ânimo à sua candidatura à fase final, graças a uma vitória fora frente à República Checa, por 3-0, na sexta-feira, um resultado que aumentou o moral e a crença após meses de desilusão. Não só foi o seu primeiro triunfo no Grupo B, como foi igualmente o primeiro sucesso da formação escandinava a nível oficial desde que bateu a Holanda, por 1-0, no jogo inaugural do UEFA EURO 2012, no Verão passado.

"Esta vitória foi uma das mais importantes", comentou Olsen após o jogo em Olomouc. "Recordo-me que perdemos nos quartos-de-final do EURO 2004 frente aos checos, por isso isto foi uma espécie de vingança. Quando marcámos o primeiro golo, conseguimos acalmar-nos e podíamos inclusive ter marcado mais".

O jovem avançado Andreas Cornelius inaugurou o marcador aos 57 minutos e, de forma decisiva, o seu golo colocou a Dinamarca na frente do marcador pela primeira vez desde o início da campanha. "Marquei numa altura em que estávamos a pressionar", disse. "Começámos bem a segunda parte e um cruzamento foi na direcção do Nico [Nicolai Jørgensen], que cabeceou para mim. Aparentemente, ele sabia que eu estava naquele sítio. Driblei o adversário, rematei de pé direito e acertei em cheio na bola".

Antes do jogo, Olsen tinha enfatizado várias vezes que quatro pontos nos jogos frente a República Checa e Bulgária seriam suficientes para reavivar o sonho da Dinamarca em marcar presença no Mundial. No entanto, depois de vencer os checos, não fica satisfeito com um empate frente à Bulgária, no Parken Stadion.

A Itália lidera o grupo com dez pontos, seguindo-se a Bulgária, com menos um, após golear Malta por 6-0 na sexta-feira, mas uma vitória em Copenhaga colocaria os dinamarqueses a um ponto da Bulgária – e, crucialmente, com menos um jogo que a equipa de Luboslav Penev. Subitamente, a Dinamarca voltaria a depender apenas de si, à medida que procura, pelo menos, o segundo lugar e o apuramento para o "play-off".

Como consequência, a frustração foi substituída pelo optimismo entre os adeptos do país, com a imprensa nacional a reflectir sobre o novo estado de espírito positivo. Como um dos jornais mais populares do país, o Jyllands-Posten, escreveu: "Ainda nada é certo, mas ao vencer o anfitrião checo por 3-0, Morten Olsen e os jogadores dinamarqueses deram um grande passo rumo à construção de um sentimento de segurança, antes das batalhas decisivas que se aproximam".