Walters coloca Irlanda no EURO 2016

República da Irlanda 2-0 Bósnia e Herzegovina (tot: 3-1)Jon Walters marcou de penalty antes de bisar a 20 minutos do fim e apurou a equipa de Martin O'Neill para França.

Watch Walters' double that clinched Republic of Ireland finals spot
  • Jon Walters converte uma grande penalidade aos 24 minutos, a coroar o bom início da Irlanda
  • Visitantes com mais posse de bola mas não conseguem criar oportunidades
  • Irlandeses apuram-se para o seu terceiro EURO, após as participações em 1988 e 2012
  • Walters bisa com um remate ao segundo poste
  • Equipas usam braçadeiras negras e respeitam um minuto de silêncio na sequência dos trágicos acontecimentos em Paris

O veterano Jon Walters regressou à selecção da República da Irlanda na melhor altura e marcou dois golos, uma grande penalidade aos 23 minutos e num remate de primeira aos 70, confirmando o triunfo sobre a Bósnia e Herzegovina no "play-off" com um total de 3-1.

A felicidade de Martin O'Neill
A felicidade de Martin O'Neill

A equipa da casa nem precisava marcar, mas entrou ao ataque apoiada pelos adeptos que esgotaram o Aviva Stadium. A pressão foi intensa nos primeiros minutos, a primeira situação de perigo surgiu apenas aos 23 minutos. O árbitro Björn Kuipers assinalou grande penalidade favorável aos anfitriões numa jogada confusa e Walters não perdeu a oportunidade de inaugurar o marcador.

O golo parece ter despertado a equipa de Mehmed Baždarević, com o capitão Edin Džeko a dar o exemplo e a rematar com perigo aos 26 minutos. Também faltou um ponto de pontaria a Haris Medunjanin, aos 34 minutos, e os irlandeses seguraram a vantagem tangencial até ao intervalo.

Edin Cocalić cedeu o lugar a Muhamed Bešić, ao intervalo, na equipa visitante, um troca que levou os irlandeses a defenderem mais recuados, mas foi Walters que bisou aos 70 minutos e dissipou todas as dúvidas quanto ao vencedor do “play-off”.  Robbie Brady marcou um livre da esquerda, Ognjen Vranješ falhou o corte e acabou por amortecer para o avançado irlandês, que bateu Asmir Begović com um remate de primeira.

A 15 minutos do final, o suplente Shane Long aproveitou um mau atraso de uma adversário para se isolar frente a Begović, mas falhou o 3-0 para a equipa de Martin O'Neill de forma incrível. Já em tempo de compensação, o suplente Vedad Ibišević rematou com estrondo à trave da baliza de Darren Randolph e os adeptos da casa puderam levar a festa para as ruas de Dublin.

Martin O'Neill, seleccionador da República da Irlanda:
Não poderia estar mais orgulhoso dos jogadores. Foram absolutamente fantásticos desde o início da campanha de qualificação. Tenho uma enorme estima por estes jogadores. Esta é uma noite especial. Tenho um grupo fantástico que quer jogar pelo seu país. Esta noite deram tudo o que tinham, penso que não tinham mais para dar. O Jon Walters [que marcou os dois golos do jogo] teve uma campanha para recordar, foi fantástico. Tivemos uma série de boas exibições, mas a do Walters foi excepcional. Estou muito feliz e emocionado, por mim e pelos jogadores, que estiveram de alma e coração em todos os jogos. Foi um momento muito especial quando o árbitro apitou para o final e estávamos em França.

Mehmed Baždarević, seleccionador da Bósnia e Herzegovina:
Estou triste pelos adeptos que nunca deixaram de nos apoiar. Tenho de reconhecer que poderíamos ter dado e mostrado mais. Sabíamos como jogam os irlandeses, que nos podiam causar problemas com duelos mentais e lutas, e foi isso que fizeram. Queriam a vitória mais do que nós. Esta derrota dói, especialmente porque perdemos para uma equipa que poderíamos ter vencido.

Topo