Centenário Király alerta: Hungria ainda não está apurada

Gábor Király viveu uma noite sonho em Oslo, ao manter a sua baliza intacta no triunfo por 1-0 da Hungria na Noruega, mas lembra que de nada valerá se a sua equipa perder a segunda mão.

Highlights: Watch Hungary play-off goal

Era grande a satisfação de Gábor Király, depois de não ter sofrido qualquer golo na vitória por 1-0 na Noruega, a qual deixa a Hungria em excelente posição para chegar à fase final de um grande torneio pela primeira vez em três décadas. Mas o guardião recusa entrar em festejos prematuros.

O guarda-redes de 39 anos, que esta época regressou à Liga húngara para representar o Haladás, após 18 temporadas em Inglaterra e na Alemanha, mostrou em Oslo que os anos parecem não ter passado por ele. Envergando as suas famosas calças de fato-treino cinzentas, mostrou-se atento desde o apito inicial, impedindo que os anfitriões ganhassem vantagem logo a abrir, ao defender para cima da trave um madrugador remate de Per Ciljan Skjelbred.

Essa intervenção, bem como outras mais à frente no jogo, em particular aquelas em que negou o golo a Alexander Søderlund e Stefan Johansen, revelaram-se determinantes para um triunfo selado, depois, por um golo do estreante Lázló Kleinheisler a meio do primeiro tempo.

Gábor Király na véspera da partida da primeira mão
Gábor Király na véspera da partida da primeira mão©AFP/Getty Images

Király, contudo, está no futebol há anos suficientes para saber que a tarefa ainda não está concluída. "Vencer foi importante, mas agora temos de esquecer este jogo e centrar atenções na segunda mão", afirmou Király ao UEFA.com. "Temos de recuperar rapidamente."

A segunda mão está marcada já para domingo, constituindo assim um duro teste à capacidade de recuperação de todos os jogadores, mas a perspectiva de um lugar no UEFA EURO 2016 e a presença dos adeptos em Budapeste conferirão uma energia extra aos húngaros. Király está certo de que a sua selecção tem mesmo o que é preciso para segurar a vantagem conquista no solo do adversário. "Temos uma equipa forte. Agora cabe-nos mostrá-lo também na Hungria."

Topo