O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Espanha 2-1 França: a frutífera sociedade Jesús Navas-Lamine Yamal

Os observadores técnicos da UEFA, Ioan Lupescu, David Moyes e Aitor Karanka, gostaram de ver um jogador de 38 anos e um jovem de 16 a demonstrarem o entendimento entre gerações pela Espanha.

Jesús Navas e Lamine Yamal festejam o golo do empate da Espanha contra a França
Jesús Navas e Lamine Yamal festejam o golo do empate da Espanha contra a França Getty Images

As progressões da Espanha pela esquerda têm sido uma caraterística recorrente da sua caminhada até à final do UEFA EURO 2024, mas foi do outro lado do campo que surgiram os momentos decisivos durante a meia-final contra a França, em Munique.

O melhor momento de todos veio de Lamine Yamal, cujo magnífico golo de empate serviu de base à reviravolta espanhola e garantiu ao jovem extremo de 16 anos um lugar nos livros de história como o mais jovem a marcar numa fase final do EURO.

A análise é feita no vídeo abaixo, que também destaca o trabalho de Yamal com Jesús Navas, o lateral de 38 anos que, substituindo o castigado Dani Carvajal, combinou de forma excelente com o jovem.

Ao longo do percurso da Espanha neste torneio, os observadores técnicos da UEFA notaram, mais do que uma vez, o entendimento entre Marc Cucurella e Nico Williams na esquerda, mas desta vez o destaque coube à dupla do outro lado, com a presença de Navas em posições avançadas a permitir que Yamal se movimentasse mais por dentro do que em jogos anteriores.

Análise táctica: o papel de Yamal

O primeiro clipe apresenta o seu fantástico golo e, no avanço, vemos as zonas do campo que ele ocupava com mais frequência – o quadrado mais claro é onde apareceu com mais frequência.

No desenrolar da sequência, vemos Yamal avançar para o interior e apanhar uma bola solta a mais de 25 metros da baliza. Com uma finta de corpo, rouba espaço a Adrien Rabiot antes de desferir o seu maravilhoso remate, enviando a bola em arco para o canto superior direito da baliza de Mike Maignan. O xG do remate foi de apenas 0,03.

Espanha 2-1 França: como foi

Didier Deschamps, treinador da França, considerou que os seus jogadores estiveram "demasiado longe" do autor do golo, mas não deixou de declarar que este foi "magnífico". O painel de observadores técnicos da UEFA, composto por Ioan Lupescu, David Moyes e Aitor Karanka, usou um superlativo diferente – "fantástico" – e elogiou o grande jogo do jovem: "Com uma idade tão jovem, ele trabalha muito defensivamente e é uma ameaça com a bola, tendo impressionado com seu posicionamento e formado uma parceria produtiva com Jesús Navas na direita."

Os dados sublinham a contribuição defensiva de Yamal: foi o segundo jogador espanhol em recuperações de bola (quatro) e pressão (25) e também o primeiro em desarmes (três).

Quanto à sua combinação com Navas, esta é evidente no segundo clipe. Com o lateral-direito a progredir por fora, vemos Yamal a entrar mais uma vez e o seu movimento perturba a defesa francesa, com o lateral-esquerdo Theo Hernández a passá-lo a Kylian Mbappé para ver à corrida de Navas.

Yamal continua a avançar em corrida – uma das dez vezes em que conduziu a bola – e termina com um passe para Dani Olmo entre linhas. A partir daí, Olmo devolve a bola a Navas na direita e, apesar de o lance terminar aqui, o cruzamento que se segue vai dar origem ao excelente remate vitorioso de Olmo.

Se Yamal, que completa 17 anos no sábado, fez história como o mais jovem a marcar na história do EURO, Navas, aos 38 anos, alcançou o seu próprio marco como o jogador mais velho a disputar uma meia-final do Campeonato da Europa ou do Campeonato do Mundo.

Apesar da diferença de idade, a parceria deu frutos. De facto, o lateral fez cinco cruzamentos, apenas menos um do que Carvajal nos quatro jogos anteriores.