Turquia vence na estreia de Adrion

Alemanha 1-3 Turquia Rainer Adrion estreou-se no comando da selecção campeã europeia de Sub-21 com uma derrota em Kiev, na Ucrânia.

Umut Kochin (à esquerda) disputa uma bola nas alturas com o alemão Daniel Shvab
Umut Kochin (à esquerda) disputa uma bola nas alturas com o alemão Daniel Shvab ©Bongarts

Alemanha 1-3 Turquia
Rainer Adrion estreou-se no comando da selecção campeã europeia de Sub-21 com uma derrota, já que a Turquia bateu a Alemanha na estreia da Taça Lobanovskiy, a realizar na Ucrânia.

Golo de Schindler
Tevfik Köse apontou o único golo da primeira parte e Aydin Yilmaz fez o 2-0 para a Turquia no início do segundo tempo. O vencedor ficou definido quando Deniz Yilmaz aumentou vantagem dos turcos a 17 minutos do final. Poucos segundos depois, Kevin Schindler fez o golo da Alemanha, que apresentou uma equipa profundamente renovada, com cinco estreantes.

Caras novas
Philipp Bargfrede, Sebastian Langkamp, Thomas Müller, Nils Petersen e Lars Stindl realizaram o primeiro jogo pela selecção alemã de Sub-21, que entrou melhor no encontro, com Anis Ben-Hatira a criar perigo na marcação de um livre. No entanto, o novo capitão germânico, Mats Hummels, derrubou Aydin dentro da área e Tevfik aproveitou para inaugurar o marcador, aos 17 minutos, na conversão da grande penalidade.

Golo de honra
A Alemanha pressionou em busca do empate, mas foi a Turquia que aumentou a vantagem, dois minutos depois do intervalo, quando Aydin ultrapassou o seu marcador directo pela direita e marcou através de um remate à queima-roupa. As esperanças de recuperação de Adrion caíram definitivamente por terra com o tento de Deniz, com os alemães a terem o primeiro motivo para festejar no minuto seguinte, quando Schindler marcou na marcação de um livre que tabelou num jogador, antes de entrar na baliza.

"Muito trabalho pela frente"
Adrion, que vai tentar somar a primeira vitória frente ao Irão, na quarta-feira, afirmou: "Claro que pretendia ter uma estreia diferente. Na primeira parte tentámos atacar, mas sem grande empenho, e assim é impossível. Também nos faltou organização, e depois surgiu a grande penalidade, que era evitável e foi um rude golpe. Não fiquei contente com a primeira parte. As substituições que fizemos ao intervalo trouxeram melhorias à equipa, mas faltou sempre algo. Temos muito trabalho pela frente".

Topo