Qualificação dos Sub-21: história até agora

A qualificação dos Sub-21 recomeça esta semana após três meses e meio de interregno e o UEFA.com relembra os destaques e as histórias da campanha até agora.

Treinada por Gareth Southgate, a selecção Sub-21 da Inglaterra marcou mais golos e sofreu menos do que qualquer outra equipa
Treinada por Gareth Southgate, a selecção Sub-21 da Inglaterra marcou mais golos e sofreu menos do que qualquer outra equipa ©Getty Images
Arkadiusz Milik has scored two hat-tricks
Arkadiusz Milik has scored two hat-tricks©Domenic Aquilina

A fase de qualificação para o Campeonato da Europa de Sub-21 de 2015 recomeça esta semana e 30 selecções preparam-se para continuar a lutar pela presença na prova da República Checa. Embora várias equipas não tenham ainda chegado a meio da respectiva campanha na fase de qualificação, há já algumas que se encontram à beira de carimbar o passaporte para o "play-off". Após três meses e meio de interregno, o UEFA.com aproveita lembra os principais destaques e as histórias da campanha até agora.

Trio perfeito
As seis vitórias somadas em seis jogados no Grupo 4 pela actual detentora do troféu, Espanha, não surpreendem muitos. De facto, a qualificação está bem próxima para a formação orientada por Julen Lopetegui, que conta uma vez mais no ataque com Álvaro Morata, que já marcou oito golos nesta fase de qualificação, depois de ter conquistado a Bota de Ouro adidas na fase final da última edição da prova, no passado Verão, em Israel. A Espanha, porém, não é a única selecção 100 por cento vitoriosa até ao momento, pois Portugal e França apresentam igualmente um registo perfeito.

Ressurgimento da Inglaterra
A Inglaterra esteve muito aquém das expectativas em Israel e despediu-se da prova com uma derrota frente aos anfitriões sem qualquer ponto somado. Tão modesto desempenho levou ao fim dos seis anos de Stuart Pearce à frente dos Sub-21 ingleses, tendo sido substituído por Gareth Southgate, antigo defesa internacional inglês. Os primeiros sinais têm sido promissores, pois a Inglaterra segue invicta no topo do Grupo 1, com mais golos marcados (23) e menos golos sofridos (1) do que qualquer outra selecção nesta fase de qualificação.

Finalistas com sortes diferentes
Mas se aos pupilos de Southgate e à Espanha tudo tem corrido sobre rodas, a realidade tem sido bem diferente para outros países que estiveram presentes na fase final de Israel. Por exemplo, a Itália – derrotada por 4-2 pela Espanha na final da prova, em Jerusalém – encontra-se apenas no terceiro lugar do Grupo 9, a quatro pontos da liderança. Noruega e Israel, por seu lado, seguem atrás de Portugal no Grupo 8. A Alemanha tem sido convincente como sempre e lidera o Grupo 6, mas a Holanda e a Rússia estão a encontrar dificuldades para chegarem ao topo.

Equipas-sensação
A selecção "laranja" persegue a Eslováquia no Grupo 3. Os pupilos de Ivan Galád, ausentes de fases finais de Europeus de Sub-21 desde o virar do século, lideram o grupo com 13 pontos somados em seis jogos. A decisão poderá ficar guardada para a última jornada, a 8 de Setembro, quando eslovacos e holandeses medirem forças. A Croácia, por seu lado, lidera o Grupo 5, com seis pontos de avanço sobre a Suíça, ainda que tenha já disputado mais um jogo do que os helvéticos. Será que conseguem segurar o primeiro lugar até ao fim?

Magia de Milik
Se Morata tem brilhado à altura das expectativas, poucos poderiam prever o nome do único jogador que, neste momento, se encontra à sua frente na lista de melhores marcadores. Arkadiusz Milik já fez as redes balançarem por nove vezes e assinou os dois primeiros "hat-tricks" como jogador profissional no espaço de apenas cinco dias esta semana, frente a Malta e à Grécia, "Os jornalistas disseram-me que estava a fazer melhor do que o Álvaro Morata, do Real Madrid", referiu. "É uma situação extremamente agradável, pois toda a gente sabe a qualidade dele." A veia goleadora de Milik tem contribuído decisivamente para a liderança da Polónia no Grupo 7.

Contínuo florescer da Bélgica
Houve quem desse a entender que a actual selecção principal da Bélgica, em destaque na qualificação para o Mundial do Brasil, em 2014, era simples fruto do acaso – uma "geração de ouro" de jogadores que jamais será possível de repetir. E, considerando o talento à disposição de Marc Wilmots, que conta com jogadores como Romelu Lukaku, Eden Hazard e Marouane Fellaini, para mencionar apenas alguns, os belgas sabem bem que têm de aproveitar ao máximo esta fantástica colheita de atletas. Porém, uma vista de olhos pelo que a selecção Sub-21, orientada por Johan Walem, tem estado a fazer no Grupo 9, o qual lidera, deixa antever que o futuro pode também ser brilhante.

Laços de família
Dificilmente outra campanha de qualificação para o Europeu de Sub-21 teve uma história tão bonita como a do clã Babunski. Treinados pelo pai Boban, os irmãos David e Dorian Babunski foram titulares pela Antiga República Jugoslávia da Macedónia frente ao Azerbaijão, na passada sexta-feira. Foi a primeira vez que um pai treinou um filho num jogo internacional de uma selecção daquele país dos Balcãs. "Há alguns anos, o futebol era responsável por estarmos afastados enquanto família, mas agora é a razão pela qual estamos de novo juntos e isso deixa-nos muito felizes", afirmou David.

Preparação do anfitrião
A República Checa disputou oito amigáveis em 2013 e despediu-se com uma vitória de 3-0 em Chipre e um empate 2-2 diante da Inglaterra. O resultado mais marcante obtido até ao momento nestes preparativos dos anfitriões do Europeu de Sub-21 de 2015 foi uma vitória por 1-0 sobre a Holanda, em Agosto. O seleccionador Jakub Dovalil tem levado a cabo inúmeras experiências e sabe que tem ainda muito trabalho pela frente. "Precisamos de melhorar o nosso jogo colectivo e o nosso contra-ataque", reconheceu. "Ainda estamos à procura de avançados que evidenciem uma boa capacidade de concretização no primeiro e segundo escalões do nosso campeonato."

Topo