O "site" oficial do futebol europeu

Itália vence de forma surpreendente

A Alemanha era a grande favorita para o torneio disputado em França, mas foi a Itália a ter motivos para festejar, ao conquistar o Europeu de Sub-19 pela primeira vez.
Itália vence de forma surpreendente
Kathrine Andresen coloca Alice Parisi (à direita) sob pressão ©Sportsfile

Itália vence de forma surpreendente

A Alemanha era a grande favorita para o torneio disputado em França, mas foi a Itália a ter motivos para festejar, ao conquistar o Europeu de Sub-19 pela primeira vez.

A Alemanha, detentora do título, chegou ao Vale do Loire novamente na condição de favorita, após uma bela campanha na fase de qualificação. A goleada (8-3) sobre a Rússia foi o destaque e o sexto título em 11 temporadas parecia para alguns uma mera formalidade. Ainda assim, a treinadora Maren Meinert admitiu que não partilhava esse ponto de vista e viria a ter razão, ainda que poucos pudessem adivinhar o eventual vencedor.

A Alemanha começou bem a prova, vencendo a Inglaterra numa repetição da final do ano anterior. Seguiu-se um empate contra a Suécia, antes da demonstração de força com a goleada por 7-0 sobre a Escócia no último jogo do Grupo B, com seis jogadoras diferentes a marcarem. A Suécia juntou-se às detentoras do título nas meias-finais, mas houve mais surpresas no outro grupo, uma vez que a França, anfitriã da competição, viu-se afastada de forma prematura. A derrota por 3-1 contra a Itália foi o resultado mais marcante, que permitiu às italianas somarem duas vitórias consecutivas, depois de terem derrotado a Noruega no primeiro jogo graças a um golo tardio da sua "Maradona", Tatiana Bonetti.

No entanto, a Noruega recuperou e garantiu a passagem à fase seguinte com um empate suado (1-1), mas seria nas meias-finais que as nórdicas deixariam a sua marca. Perante a Alemanha, as norueguesas voltaram a demonstrar o seu espírito combativo depois de se terem visto em desvantagem logo no início da partida. Ida Elise Enget fez o golo do empate que obrigou a um prolongamento e depois a grandes penalidades, sendo que a número dez voltou a ser a heroína norueguesa, selando uma vitória por 4-2 no desempate por grandes penalidades e a presença na final contra a Itália. As duas equipas já se tinham encontrado na fase de qualificação, onde a vitória por 2-1 da Noruega valeu o primeiro lugar do Grupo 5 e deixou a Itália sujeita à luta pelo melhor segundo lugar. As italianas garantiram mesmo a qualificação e tiraram o melhor partido da oportunidade.

Após a fase de grupos, a equipa capitaneada pela internacional sénior Sara Gama cerrou os dentes nas meias-finais e derrotou de forma convincente uma selecção sueca orientada por Calle Barrling, que tinha afirmado que a sua equipa estava "em grande forma". Pamela Gueli marcou dois golos no triunfo por 4-0 e a excelente Alice Parisi fechou a contagem da marca de penalty. A 19 minutos do final de uma partida muito disputada em Tours, Gueli sofreu falta de Gunhild Herregården já dentro da grande área. Parisi não perdoou e a Itália conquistou o troféu pela primeira vez na sua história, ficando o seleccionador norueguês Jarl Torkse com o título de "Sr. Prata", depois de ter perdido novamente na final.

http://pt.uefa.com/womensunder19/history/season=2008/index.html#italia+vence+forma+surpreendente