O "site" oficial do futebol europeu

Alemanha chega ao tetra

A espera da Alemanha para alcançar o quarto título demorou quatro anos, mas acabou em 2006, embora os resultados transpareçam uma facilidade inexistente na conquista do campeonato.

Alemanha chega ao tetra

A espera da Alemanha para alcançar o quarto título demorou quatro anos, mas acabou em 2006, embora os resultados transpareçam uma facilidade inexistente na conquista do campeonato.

A Alemanha esperou quatro anos para alcançar o quarto título, que conquistou em 2006, embora os resultados transpareçam uma facilidade que não existiu no caminho para a vitória.

O percurso para alcançar a fase final na Suíça foi relativamente fácil, juntamente com a Rússia, campeã em título, a França, segunda classificada, a Suécia, a Dinamarca, a Holanda e a estreante Bélgica. Mas, na primeira jornada da fase final, as germânicas apenas garantiram o empate já muito perto do apito final, quando um golo de Ann-Christian Angel valeu a divisão de pontos (1-1) com a Dinamarca. Também no Grupo A, a Dinamarca esteve a perder, mas levou de vencida a Bélgica, por 2-1. Dois dias depois, as belgas empataram a zero com as suecas, ao passo que a Alemanha bateu a Dinamarca, por 2-0, num jogo adiado devido a uma tempestade que se abateu sobre Langenthal. O primeiro lugar foi garantido pela Alemanha, com um triunfo, por 4-0, sobre a Bélgica, mas a Suécia terminou sem derrotas, na sequência de uma igualdade sem golos perante a vizinha Dinamarca, com quem já havia empatado na fase de qualificação.

O Grupo B começou com uma reedição da final de 2005, entre a Rússia e a França, que também haviam jogado no encontro inaugural da prova. Mas o resultado foi mais parecido com o verificado na fase de grupos (4-0) do que com o da final. A partida terminou com uma goleada (4-1), com dois golos de Marie Laure Delie. A Suíça bateu a Holanda por 2-0, mas, depois de ter estado a vencer a Rússia, acabou por perder por 2-1, graças a dois golos de Elena Danilova. A França levou a melhor sobre as holandesas, por 1-0, e depois sobre a Suíça (3-0), com todos os golos averbados no primeiro tempo, terminando na frente da Rússia, segunda classificada, que garantiu o apuramento com uma goleada, por 5-1, sobre a Holanda, com Danilova outra vez em destaque, rubricando um número máximo de golos (quatro) numa fase final.

No entanto, Danilova, que acabou a prova com o título de melhor marcadora pelo segundo ano consecutivo, com sete golos, não conseguiu ajudar o seu país a levar de vencida a Alemanha na meia-final de Berna. Foi o terceiro encontro consecutivo nas meias-finais em quatro anos entre os dois países. As germânicas igualaram a vitória de 2004 e fizeram esquecer a derrota de 2005, impondo-se por 4-0. O jogo chegou ao intervalo sem golos, mas Maren Meinert, seleccionadora da Alemanha, fez entrar Angel e Monique Kerschowski, sendo que as duas marcaram no espaço de cinco minutos. Juliane Maier também chegou ao golo na cobrança de um livre, tendo a outra gémea Kerschowski, Isabel, fechado a contagem. Já em Solothurn, a partida entre a França e Dinamarca foi bem mais disputada, mas as gaulesas levaram a melhor (1-0) com um golo de Delie, de cabeça, a 20 minutos do fim; o quinto em cinco jogos da fase final, tendo marcado em todos os encontros. Ainda assim, as nórdicas desperdiçaram boas ocasiões para chegarem ao golo.

Assim, a França podia vingar-se da derrota um ano antes, mas tal não aconteceu. Isabel Kerschowski fez o 1-0 aos 13 minutos, e voltou a facturar já no segundo tempo, através de um remate de longe que apanhou desprevenida a guarda-redes Véronique Pons. Monique Kerschowski, então titular, não ficou em branco e, a 15 minutos do apito final, selou uma final em grande para as duas irmãs. Para a França foi a terceira derrota numa final, que alcançou por quatro vezes em Sub-19.

http://pt.uefa.com/womensunder19/history/season=2006/index.html#alemanha+chega+tetra