O "site" oficial do futebol europeu

"Bleuettes" de Bini cumprem promessa

A França, de Bruno Bini, viajou até à Alemanha, onde venceu o Campeonato da Europa Feminino de Sub-19 de 2002/03, batendo a Noruega na final.

"Bleuettes" de Bini cumprem promessa

A França, de Bruno Bini, viajou até à Alemanha, onde venceu o Campeonato da Europa Feminino de Sub-19 de 2002/03, batendo a Noruega na final.

A detentora do título, a Alemanha, parecia favorita à vitória final no Campeonato da Europa Feminino de Sub-19 que organizava em 2002/03, mas teve de contar com a oposição de um número recorde de 36 selecções concorrentes.

Conteúdos relacionados

Tal como sucede nas competições de futebol juvenil masculino, a prova foi restruturada para duas eliminatórias preliminares. Os grupos da primeira eliminatória foram vencidos por Bélgica, Finlândia, Suíça, República da Irlanda, Inglaterra (semi-finalista de 2002) , Escócia e Ucrânia, com a invicta Eslováquia a qualificar-se como melhor segunda classificada.

Tal como em 2001/02, quatro vencedores de grupos e três segundos classificados qualificaram-se para a fase final. Espanha e Inglaterra somaram ambas sete pontos no Grupo A1, ficando à frente da República da Irlanda e da Dinamarca. A Suécia e a França somaram sete e seis pontos, respectivamente, no Grupo A2, deixando pelo caminho a Suíça e a Finlândia.

No Grupo A3, a Itália somou por vitórias todas as partidas realizadas, ao passo que as holandesas se impuseram à Ucrânia e à Eslováquia. Tal como com a França, uma diferença de golos positiva mostrou-se decisiva, pois, apesar de a Bélgica também ter somado seis pontos no Grupo A4, atrás da Noruega, o seu registo de dois golos marcados e outros tantos sofridos acabou por comprometer a sua campanha.

O sorteio da fase final emparelhou a Alemanha com a Inglaterra, Suécia e Itália no Grupo A, o que veio a provocar uma série de jogos memoráveis. Um golo nos derradeiros segundos de Fara Williams deu à Inglaterra um triunfo por 2-1 sobre a Suíça, enquanto a Itália surpreendeu a Alemanha, vencendo por 2-0. Dois dias mais tarde, as alemãs viram-se fora da prova após nova derrota, desta vez com a Suécia, graças a um tento de Nilla Fischer nos descontos, ao passo que a Inglaterra qualificou-se mercê de um triunfo sobre a Itália, por 3-1.

A Alemanha despediu-se em grande, cilindrando a Inglaterra por 6-0, tendo os quatro golos apontados permitido a Shelly Thompson sagrar-se melhor marcadora da prova. Mas a verdadeira emoção teve lugar em Borna, onde Suécia e Itália se equivaleram em tudo. A Suécia chegou ao intervalo a perder por 1-0 e esteve, depois, a vencer por 2-1, ainda que somente por poucos segundos. O golo de Hodan Siid-Ahmed aos 83 minutos parecia ter dado o triunfo às suecas, mas Giulia Domenichetti empatou já em pleno período de descontos. Foi necessário o recurso ao desempate por grandes penalidades, onde a Suécia se impôs com relativa facilidade, tendo Siid-Ahmed fixado o resultado em 4-1.

No Grupo B, a Holanda venceu a Espanha por 2-1 na jornada inaugural, com o golo da vitória a ser alcançado nos instantes finais por Marjan Brouwer, enquanto a França empatou (2-2) com a Noruega. Depois, as holandesas soçobraram face às norueguesas, perdendo por 2-1, enquanto a Espanha venceu a França por 3-2. As "Bleuettes" acabaram por se impor à Holanda por 2-1, mas estavam eliminadas, atrás da Espanha, a cinco minutos do final do outro jogo, até que Guro Knutsen deu à Noruega uma vitória por 2-1, permitindo, assim, que a França passasse na segunda posição.

A Suécia parecia a caminho de uma vitória nas meias-finais, graças a dois golos de Fischer ainda na primeira parte frente à Noruega, mas tentos de Stine Frantzen e, já nos descontos, de Tone Heimlund, levaram a decisão para as grandes penalidades, onde as norueguesas venceram por 4-2. Na final, encontrariam a França, que venceu a Inglaterra por 2-0, com golos de Cécilia Josserand e Nonna Debonne.

Bruno Bini dirigia a França desde a primeira edição do Europeu de Ssub-18, em 1997/98, quando as gaulesas perderam a final. Desta vez, foi a sua selecção a levar a melhor, graças aos golos de Amélie Coquet e Lilas Traïkia no início de cada parte.

http://pt.uefa.com/womensunder19/history/season=2003/index.html#bleuettes+bini+cumprem+promessa