Espanha assegura terceira vitória

A Espanha conseguiu, em 2015, na Islândia, um terceiro sucesso a este nível, ao derrotar a Alemanha, por 4-0, na fase de grupos, e a Suíça, na final, por 5-2.

Spain celebrate
©Sportsfile

A fase final do Campeonato da Europa feminino de Sub-17 de 2015 foi a segunda edição da prova a apresentar oito equipas, após o sucesso que constituiu a expansão da competição em 2013/14 para um formato com oito selecções nacionais.

Três das quatro semifinalistas da edição de 2013/14, que decorreu em Inglaterra, estavam de volta, com a Alemanha, Espanha e a própria Inglaterra a regressarem para a primeira vez com oito equipas, tal como a França. O resto das formações incluiu participantes pela segunda vez em fases finais, como a anfitriã, a Noruega, a República da Irlanda e a Suíça.

A Islândia iniciou o Grupo A com uma derrota por 5-0 com a Alemanha e, de seguida, perdeu por 3-1 com a Inglaterra, antes de limitar a Espanha a um triunfo por 2-0, no seu terceiro e derradeiro encontro. Espanha e Inglaterra empataram 1-1, numa reedição da meia-final de 2013/14 e, três dias depois, a equipa de Pedro López infligiu uma derrota por 4-0 à equipa que a havia derrotado na final da época anterior, a Alemanha, graças a um "hat-trick" de Lucía García ainda na primeira parte. Os detentores da prova ficariam, no entanto, no segundo lugar do grupo, ao golearem a Inglaterra por 5-0, com quatro golos de Stefanie Sanders, que já bisara frente à Islândia.

[VIDEO src="2263554" size="smallLandscape" align="Right" caption=" Resumo: Suíça bate Alemanha" ]  No Grupo B, a França teve de aplicar-se bastante para bater a Irlanda por 1-0, através de um golo de Emelyne Laurent. A Suíça, apesar da ausência por lesão da capitã Camille Surdez, assim como da dianteira Vanessa Hoti, empatou 2-2 com a Noruega e, depois, superiorizou-se por 1-0 à Irlanda. A França ultrapassou a Noruega por 2-0, carimbando o apuramento. No entanto, fê-lo no segundo posto, uma vez que a equipa de Sandrine Soubeyrand perderia por 2-1 com a Suíça. Este resultado tornou inútil o triunfo da Noruega sobre a Irlanda por 2-0.

A Alemanha dominou a meia-final com a Suíça em termos de ocasiões de golo. Todavia, o quarteto defensivo das suíças composto por Luisa Felder, Thais Hurni, Sarah Kaufmann e Naomi Mégroz frustrou Sanders. Amira Arfaoui entrou aos 56 minutos para liderar a frente de ataque helvética e, a segundos dos descontos, concluiu com sucesso uma jogada de envolvimento, terminando com o reinado das alemãs.

[VIDEO src="2263068" size="smallLandscape" align="Right" caption=" A emoção dos penalties no Espanha-França" ] A Espanha esteve a um minuto da derrota no duelo com a França, após Sarah Galera ter punido um raro erro da guarda-redes Amaia Peña. Com efeito, uma fisicamente mais forte França, com Kakoto e Inès Boutaleb a colocarem as defesas contrárias em sentido, deixou a Espanha em apuros. Mas a extremo-direita Natalia Montilla isolou-se e fez um "chapéu" perfeito, quando estavam decorridos 79 minutos. Depois, García converteu a tentativa de desempate decisiva, fixando o triunfo das espanholas em 4-3 nas grandes penalidades.

A Espanha tinha agora a oportunidade de lograr um terceiro título, para ficar a apenas um da Alemanha, e conseguiu isso mesmo em grande estilo, ao derrotar a Suíça por 5-2, com García a apontar o seu quinto golo na fase final e a terminar a apenas um tento de Sanders. Entre si, Alemanha e Espanha venceram sete das oito edições da prova.