O "site" oficial do futebol europeu

2013: Ewa Pajor

Quando a Polónia conquistou o seu primeiro título em Sub-17, Ewa Pajor deixou a sua marca como "pérola" da equipa com uma série de exibições impressionantes no ataque.
por Paul Woloszyn
de Nyon
2013: Ewa Pajor
Ewa Pajor (Polónia) ©Sportsfile

2013: Ewa Pajor

Quando a Polónia conquistou o seu primeiro título em Sub-17, Ewa Pajor deixou a sua marca como "pérola" da equipa com uma série de exibições impressionantes no ataque.

Quando a Polónia conquistou o seu primeiro Campeonato da Europa Feminino de Sub-17, tal ficou a dever-se ao trabalho de equipa e à organização, mas o sucesso da selecção em 2013 fez também destacar um talento individual: a avançada Ewa Pajor.

Pajor foi a força criativa por detrás da vitória polaca em Nyon, uma jogadora com uma rara mistura de aptidões, bons movimentos e um instinto para o golo que a fez compararem-na a Lionel Messi no regresso ao seu país. Apesar de ter apenas 16 anos e ainda que provar se vai conseguir fazer valer o seu potencial no escalão sénior, como todos os grandes jogadores, ela floresceu no maior evento em que participou até à data.

Antes da fase final, Pajor já havia mostrado o seu talento a nível doméstico, estreando-se pelo equipa sénior do KKPK Medyk Konin e ajudando-as a terminar em segundo lugar na primeira liga polaca de futebol feminino, somando nove golos em 16 jogos antes de brilhar na final da taça. Suplente utilizada ao intervalo contra o RTP Unia Racibórz, foi a autora de dois golos, ajudando a sua equipa a selar um triunfo memorável.

Desempenhou também um papel decisivo na primeira qualificação da Polónia para uma fase final feminina de Sub-17. Após duas assistências na vitória por 4-0 sobre a Eslováquia, fez dois golos em 39 minutos na vitória por 3-0 sobre as Ilhas Faroé. Na segunda ronda de qualificação, teve também uma contribuição notável, inaugurando o marcador na vitória por 2-1 sobre a República da Irlanda, antes de fazer golos também à Noruega no triunfo por 3-0, que assegurou a viagem até à Suíça.

Pajor fez constar o seu nome na lista dos marcadores, pelo terceiro jogo consecutivo, na meia-final contra a Bélgica, que a Polónia venceu. Uma constante ameaça como ponta-de-lança de um esquema de 4-2-3-1, fez o terceiro golo no triunfo por 3-1 após driblar a guarda-redes belga Diede Lemey, após o que mostrou compostura, apesar de tenra idade, e bateu com calma para o fundo das redes.

Apesar de não ter conseguido marcar na final contra a Suécia, Pajor foi novamente a estrela. Por três vezes na primeira parte colocou em alerta a defesa contrária, usando a sua astúcia antes de rematar ao lado, com a Polónia a explorar o seu talento tratando de lhe fazer chegar a bola sempre que possível.

"Deixem-me dizer que a Ewa Pajor é uma individualidade importante e toda a gente se deve ter apercebido", disse o seleccionador polaco Zbigniew Witkowski, enquanto a autora do golo na final, Ewelina Kamczyk, acrescentou: "Ela é uma espécie de pérola na nossa equipa".

"Quando ela está em campo dá-nos uma grande ajuda. Ajuda-nos a construir jogo. Penso que ela se está a tornar, pela sua forma de jogar, um pouco como o Cristiano Ronaldo. Ela ajuda as colegas, não lhes grita, mas dá-lhes sugestões, e joga sempre até ao fim. Ajuda toda a equipa".


Última actualização: 25-11-13 17.30CET

http://pt.uefa.com/womensunder17/history/season=2013/goldenplayer/index.html#2013+ewa+pajor