Guia do sorteio do EURO feminino: Grupo B

Alemanha e Suécia renovam a rivalidade no Grupo B do EURO feminino, com Itália e Rússia à espreita de um desliza os Jogos Olímpicos de 2016.

Antonio Cabrini, Steffi Jones, Pia Sundhage e Elena Fomina
Antonio Cabrini, Steffi Jones, Pia Sundhage e Elena Fomina ©Sportsfile
  • As equipas: Alemanha (campeã), Suécia, Itália, Rússia
  • Os jogos (horas de Portugal Continental)

Segunda-feira 17 de Julho
Itália - Rússia (Roterdão) 17h00
Alemanha - Suécia (Breda) 19h45

Sexta-feira 21 de Julho
Suécia - Rússia (Deventer) 17h00
Alemanha - Itália (Tilburg) 19h45

Terça-feira 25 de Julho
Rússia - Alemanha (Utrecht) 19h45
Suécia - Itália (Doetinchem) 19h45

  • Três coisas a saber

• A Alemanha vai tentar conquistar o sétimo título consecutivo frente à Suécia, equipa que as germânicas bateram por 2-1 na final do torneio Olímpico em Agosto último, no Rio de Janeiro.

• A Itália chegou sempre aos quartos-de-final; a Rússia nunca foi além da fase de grupos de um EURO feminino.

• A Alemanha ganhou à Rússia por 2-0 e 4-0 na qualificação.

  • Reacção

Steffi Jones, seleccionadora da Alemanha
Conhecemos bem a Suécia. É um "clássico", se podemos chamar assim a este jogo, mas acontece muito cedo. Estou um pouco ansiosa pelo torneio pois são adversárias muito diferentes, cada uma com o seu estilo de jogo. Não dá para as comparar. Cada equipa tem as suas próprias características.

Pia Sundhage, seleccionadora da Suécia
Jogámos contra a Alemanha algumas vezes, perdemos várias vezes e quando vi o sorteio e que tínhamos de voltar a defrontar a Alemanha, pensei que tínhamos apenas de desfrutar do jogo e fazer o nosso melhor. Estamos cada vez mais perto de ganhar à Alemanha e esperamos aproveitar essa ocasião no próximo ano. Vai ser um grupo difícil. Mas honestamente penso que todos os quatro grupos são difíceis.

Antonio Cabrini, seleccionadora de Itália
Este é, provavelmente, o grupo mais difícil do EURO. Calhou-nos a Alemanha, que é campeã do Mundo e olímpica, e a Suécia, que também realizou uns excelentes Jogos Olímpicos. Sabemos o difícil que vai ser, mas não nos devemos desmotivar; temos de dar o nosso máximo e jogar ao mesmo nível das outras equipas. A mensagem que quero transmitir é de que, em teoria, as outras equipas são provavelmente mais fortes, mas também deverão estar atentas a Itália.

lena Fomina, seleccionadora da Rússia
Queríamos evitar a Alemanha porque já a defrontámos muitas vezes e conhecemo-nos muito bem. Claro que estamos num patamar diferente neste momento. Vamos jogar e dar o nosso melhor para passar a fase de grupos. É um grupo muito bom.