Sporting bate Braga na taça e consuma “dobradinha”

Perante assistência recorde, o campeão Sporting conquistou pela primeira vez a Taça de Portugal Feminina ao derrotar o Braga na final, por 2-1, após prolongamento.

As jogadoras do Sporting festejam com o troféu após conquistarem a Taça de Portugal Feminina 2016/17 frente ao Braga
As jogadoras do Sporting festejam com o troféu após conquistarem a Taça de Portugal Feminina 2016/17 frente ao Braga ©FPF

O Sporting CP conquistou pela primeira vez a Taça de Portugal Feminina e juntou o troféú ao título de campeão nacional ao bater o SC Braga na final, por 2-1, após prolongamento.

Depois da conquista do seu primeiro campeonato nacional, as "leoas" tiveram de sofrer no Estádio Nacional para derrotarem as mais directas concorrentes nessa competição, num encontro presenciado por assistência recorde em jogos do futebol feminino em Portugal de 12.213 espectadores.

As bracarenses começaram melhor e chegaram ao golo no minuto 13, de grande penalidade, convertida por Vanessa Marques, a punir falta de Joana Marchão sobre Mélissa Antunes. O Sporting respondeu e chegou a criar alguns lances de perigo, com destaque para Diana Silva, mas o encontro chegou ao intervalo com a formação do Minho a controlar os acontecimentos.

Na segunda parte, o Sporting entrou decidido a dar a volta ao resultado e, no minuto 57, a inevitável Diana Silva fez o empate, num remate à meia-volta dentro da área após recuperação de bola e passe de Ana Borges. Até ao final do tempo regulamentar ambas as equipas dispuseram de situações para marcar, mas o empate manteve-se.

No prolongamento, o pontapé de Ana Capeta, aos 105 minutos, operou a reviravolta a favor do Sporting e permitiu-lhe assim suceder ao CF Benfica, vencedor das duas edições anteriores.

Reacções ("site" do Sporting)
Nuno Cristóvão, treinador do Sporting

Deram tudo o que tinham e mais alguma coisa. Entrámos mal no jogo. Não consegui perceber o que se passou com a equipa. Ao intervalo disse-lhes que era o Braga que precisava de salvar a época e que nós não tínhamos nada a perder. Acrescentei ainda que o adversário era mais forte do que nós fisicamente, por isso se não tivéssemos bola andaríamos aos papéis.

Vanessa Marques, do Braga, tenta escapar a uma jogadora do Sporting na final da Taça de Portugal Feminina 2016/17
Vanessa Marques, do Braga, tenta escapar a uma jogadora do Sporting na final da Taça de Portugal Feminina 2016/17©FPF