Arsenal intromete-se na luta

O Arsenal tornou-se na primeira equipa fora da Alemanha e Escandinávia a chegar à final da edição 2006/07 da Taça UEFA Feminina e a conquistar o troféu.

Veja a vitória do Arsenal na Taça UEFA

O Arsenal LFC tornou-se na primeira equipa fora da Alemanha e Escandinávia a chegar à final da edição 2006/07 da Taça UEFA Feminina e a conquistar o troféu.

Claro "outsider" frente ao bicampeão europeu Umeå IK, na final, o Arsenal viajou até à Suécia ventosa no jogo da primeira mão e sobreviveu ao massacre ofensivo liderado por Marta para alcançar a vitória, por 1-0, nos instantes finais, graças ao remate de longe de Alex Scott. O Umeå deu tudo o que tinha na segunda mão, uma semana depois, rematando aos ferros da baliza mais do que uma vez em Borehamwood, mas o Arsenal conseguiu segurar a magra vantagem.

As duas primeiras eliminatórias decorreram sem grandes surpresas, mas tudo mudou nos quartos-de-final. O campeão 1. FFC Frankfurt perdeu a primeira mão do confronto frente ao Kolbotn IL, por 2-1, na Noruega. E, apesar de o detentor do título ter marcado três golos sem resposta nos primeiros 60 minutos do segundo jogo, Solveig Gulbrandsen e Isabell Herlovsen fizeram dois tentos a meio da segunda parte, no espaço de um minuto, e as visitantes acabaram por levar a melhor devido ao maior número de golos marcados fora de casa. Mas esse não foi o único desaire para a Alemanha, já que o campeão germânico Potsdam perdeu por 3-0 no terreno do Brøndby IF e apenas conseguiu vencer em casa por 2-1, o que significou que, pela primeira vez na competição, nenhum clube do campeonato germânico estaria presente nas meias-finais.

As emoções foram mais escassas nos outros dois confrontos dos quartos-de-final. O Arsenal ultrapassou o Breidablik, da Islândia, com um resultado total de 9-1, depois de ter marcado cinco golos sem resposta na primeira mão, realizada fora de casa. Julie Fleeting esteve em destaque ao assinar um "hat-trick" nesta eliminatória, a juntar aos cinco golos marcados no triunfo de 5-4 sobre o WFC Rossiyanka, na Rússia, na segunda ronda. O Umeå derrotou o Saestum, campeão da Holanda, por 6-1 fora e 5-2 em casa, passando às meias-finais ainda com maior tranquilidade. O campeão sueco continuou no mesmo registo nas meias-finais e ganhou por 5-1 em casa do Kolbotn e fez da segunda mão uma mera formalidade, celebrada com nova goleada, agora de 6-0, tornando-se na primeira equipa a participar na final por quatro vezes.

No entanto, a outra meia-final continuava em aberto depois do primeiro jogo, pois Kelly Smith bisou para o Arsenal em Brøndby, até à resposta da equipa dinamarquesa, que chegou ao empate das duas vezes em que esteve em desvantagem. Para aumentar ainda mais a frustração do Arsenal, Smith, a estrela da companhia, foi expulsa nos últimos minutos e punida com três jogos de castigo. Mas mesmo sem ela, Rachel Yankey, Karen Carney e Fleeting marcaram em Borehamwood e ajudaram ao apuramento das "gunners" para a final. No encontro decisivo voltaram a não contar com Smith, mas conquistaram o troféu para festejar o 20º aniversário do clube, sempre sob o comando do mesmo treinador, Vic Akers.