O "site" oficial do futebol europeu

Umeå reina na Europa

A final de 2002/03 foi decidida entre dois clubes escandinavos, com as suecas do Umeå IK a baterem as dinamarquesas do Fortuna Hjørring, conquistando a Taça UEFA Feminina à segunda tentativa.
Umeå reina na Europa
Malin Moström (Umeå IK) ©Getty Images
 

Umeå reina na Europa

A final de 2002/03 foi decidida entre dois clubes escandinavos, com as suecas do Umeå IK a baterem as dinamarquesas do Fortuna Hjørring, conquistando a Taça UEFA Feminina à segunda tentativa.

A cidade de Umea foi fundada em 1622, no Norte da Suécia, pelo Rei Gustav II Adolf mas, 266 anos depois, a maioria dos seus edifícios foi destruída por um grande incêndio. Quando a cidade foi reconstruída, foram plantadas milhares de bétulas, o que valeu à cidade ser conhecida como "Björkarnas stad", "a cidade de bétulas de prata". Em Junho de 2003 passou a ser associada ao ouro, pois o Umeå IK bateu as dinamarquesas do Fortuna Hjørring e conquistou a Taça UEFA Feminina à segunda tentativa, pois no ano anterior tinha sido batida na primeira final da prova pelas alemãs do 1. FFC Frankfurt.

A segunda edição desta competição contou com a participação de 35 clubes, um aumento em relação aos 33 do primeiro ano, verificando-se também grande emoção com os dois finalistas a desbravarem caminho para os clubes nórdicos. O então presidente da UEFA, Lennart Johansson, afirmou: "O facto dos dois finalistas serem escandinavos só vem reforçar a imagem do futebol desta região como uma referência para o resto da Europa. O futebol feminino continua a ganhar popularidade em toda a Europa e os torneios que fomentem a competição internacional entre clubes só contribuem para aumentar o nível da modalidade".

Os quartos-de-final contaram com a presença de seis equipas repetentes desta mesma fase da edição inaugural, com o Hjørring e o CSK VVS Samara da Rússia a serem os estreantes As russas foram batidas pelos Arsenal LFC nos quartos-de-final, mas as campeãs ingleses não resistiram ao Hjørring na ronda seguinte, com as dinamarquesas a passarem à final com um total de 8-2. A emoção estava reservada para a outra meia-final, pois o Umeå reencontrou o carrasco de 2002 e chegou ao final dos dois jogos com o Frankfurt com uma igualdade a dois golos. Nenhuma das equipas marcou no prolongamento de 30 minutos, mas as suecas revelaram-se mais fortes no desempate por grandes penalidades, com Hanna Marklund a ser a heroína no triunfo por 8-7.

O vencedor da final a duas mãos ficou definido logo no primeiro encontro, pois o Umeå conseguiu uma goleada de 4-1 frente aos seus adeptos. Hanna Ljungberg, que tinha falhado a final de 2002 devido a castigo, realizou uma exibição de luxo, apontando dois golos e fazendo a assistência para os outros dois, levando ao delírio os 7.600 espectadores que proporcionaram uma assistência recorde em Gammliavallen. O treinador do Hjørring, Steen Refsgaard, reconheceu que a sua equipa "precisaria de um milagre" para anular a desvantagem no encontro na Dinamarca. Assim, na segunda mão, Malin Moström, Laura Kalmari e Ljungberg marcaram os golos do triunfo do Umeå, que se tornou no segundo campeão europeu da história.

http://pt.uefa.com/womenschampionsleague/history/season=2002/index.html#umea+reina+europa