Possíveis estrelas do próximo EURO Sub-21

Faltam alguns meses para o anúncio das convocatórias, mas deixamos uma possível estrela de cada uma das selecções presentes próximo EURO Sub-21, entre as quais Gelson Martins e Andrija Živković.

U21 stars montage
©UEFA.com

Grupo A

Inglaterra: Marcus Rashford (Manchester United)
Embora esta época esteja a ser sobretudo utilizado por José Mourinho como arma-secreta, pronta a saltar do banco, Rashford continua a ser uma ameaça constante para os defesas da Premier League, em virtude da sua electrizante velocidade e do seu estilo de jogo incisivo. Seja quem for que estiver ao leme da selecção de sub-21 de Inglaterra na Polónia, poderá certamente contar com o talento deste jovem avançado do Manchester United.

Polónia: Piotr Zieliński (Nápoles)
Considerado um dos maiores jovens talentos a surgir no futebol polaco nos últimos anos, Zieliński foi levado para Itália pela Udinese quando tinha apenas 16 anos. É um organizador de jogo clássico e, no último Verão, quando rumou ao Nápoles, tornou-se no terceiro jogador polaco mais caro de sempre (apenas atrás do colega de equipa Arkadiusz Milik e de Grzegorz Krychowiak, do Paris). Soma já 23 internacionalizações pela selecção principal.

Eslováquia: Martin Chrien (Plzeň)
Este médio que adora entrar na área adversária e tentar o golo pode ser crucial para as aspirações da Eslováquia. Marcou três golos nos três primeiros jogos que disputou na sua passagem por empréstimo pelo Ružomberok no arranque da época e regressou, entretanto, ao Plzeň, onde tem impressionado o treinador Roman Pivarník.

Suécia: Alexander Isak (AIK)
Em Março de 2016, poucos tinham ouvido falar de Alexander Isak. Mas, no mês seguinte, o jovem avançado, então com 16 anos, fez a sua estreia no escalão principal do futebol sueco ao serviço do AIK, marcando um dos golos no triunfo por 2-0 sobre o Östersund. Desde então não mais parou de se destacar, chegando mesmo à selecção principal da Suécia, pela qual se tornou no jogador mais jovem de sempre a marcar, com 17 anos e 114 dias, num amigável frente à Eslováquia.

Grupo B

ARJ Macedónia: Enis Bardi (Újpest)
Bardi soma já esta época oito golos em 18 jogos no escalão principal do futebol húngaro, apesar de actuar sobretudo como médio. Além disso, marcou dois golos pela selecção húngara de sub-21 na fase de qualificação, sendo determinante na organização do seu futebol ofensivo.

Portugal: Gelson Martins (Sporting)
Com enorme capacidade de drible, rápido a pensar e dono de velocidade e aceleração impressionantes, Gelson – o mais recente de uma longa linha de extremos de classe mundial a surgir da reputada academia de formação do Sporting – começou a dar que falar na época passada e mostrou-se em definitivo ao mundo nesta temporada, quando causou inúmeros problemas a Marcelo, do Real Madrid, na primeira jornada da fase de grupos da UEFA Champions League. Soma oito assistências para golo na Liga portuguesa na presente época e estreou-se entretanto, em Outubro, pela selecção principal de Portugal. A menos que Fernando Santos decida que vai precisar dele na Taça das Confederações da FIFA, tem tudo para brilhar na Polónia.

Sérvia: Andrija Živković (Benfica)
É o mais jovem internacional de sempre da Sérvia e foi a estrela da vitória da Sérvia no Campeonato do Mundo de Sub-20 da FIFA de 2015. Živković chegou a capitão do Partizan antes de rumar ao Benfica, no Verão passado. Ainda só tem 20 anos, mas Siniša Mihajlović, que lançou Živković, acredita que o jogador pode chegar bem longe "Este rapaz vai ser um grande jogador", disse.

Espanha: Marco Asensio (Real Madrid)
Um grande golo no seguimento de uma grande jogada frente ao Sevilha há bem pouco tempo foi apenas mais um exemplo do enorme talento de Asensio. Fantástico no drible, é inteligente e vai certamente dar que falar por Espanha na Polónia.

Grupo C

República Checa: Patrik Schick (Sampdória)
Melhor marcador da fase de qualificação com dez golos – a que junta quatro assistências –, Schick participou entretanto em dois encontros da selecção principal da República Checa na Qualificação Europeia para o Campeonato do Mundo da FIFA de 2018. O esquerdino de 20 anos ingressou na Sampdória proveniente do Sparta Praga no Verão e marcou à Juventus na partida de estreia como titular da equipa de Génova.

Dinamarca: Kasper Dolberg (Ajax)
Já internacional pela selecção principal, Dolberg, de 19 anos, marcou na sua estreia pelo Ajax, nas pré-eliminatórias da UEFA Champions League, e bisou na fase de grupos da UEFA Europa League. Foi descoberto por John Steen Olsen, o homem que levou Zlatan Ibrahimović e Christian Eriksen para Amesterdão.

Alemanha: Matthias Ginter (Dortmund)
Valiso pela sua versatilidade – pode jogar a defesa-central, lateral-direito ou a médio – e pela sua experiência – esta poderá ser a terceira presença num Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA para este vencedor do Campeonato do Mundo de 2014 da FIFA.

Itália: Domenico Berardi (Sassuolo)
Uma lesão no joelho obrigou-o a falhar a primeira metade da temporada, mas espera-se que este extremo lidere a Itália na Polónia graças à sua capacidade e ao seu letal pé esquerdo. aos 22 anos, já marcou mais de 50 golos na Serie A e esta temporada, antes de se lesionar, brilhou nas pré-eliminatórias da UEFA Europa League.